Histórico da Extensão Rural

 

 

A implantação de uma mentalidade extensionista no Brasil deve-se, em grande parte, ao trabalho pioneiro desenvolvido pela ACAR ­– Associação de Crédito e Assistência Rural, – fundada em 1948, em Minas Gerais.

Por sua vez, a criação da ACAR foi fruto dos esforços feitos pela “American International Association,” a A.I.A., que estava empenhada em difundir o modelo do Serviço de Extensão norte-americano, como meio de ajudar o desenvolvimento econômico e social de alguns países em fase de desenvolvimento.

A expansão dos Serviços de Extensão Rural, no Brasil, processou-se da seguinte forma:

 

  • Criação da ACAR – 1948

      Em dezembro de 1948, o Governo de Minas Gerais assinava convênio com a A.I.A., criando a Associação de Crédito e Assistência Rural – ACAR, que iniciou suas atividades a partir de janeiro de 1949.

Introduzia-se, assim, no Brasil, a idéia extensionista, com o objetivo de trabalhar pela promoção do homem rural.

 

  • Surge a ANCAR no Nordeste – 1954

Devido à criação do Banco do Nordeste do Brasil, com sede em Recife, em 1954, um grupo de líderes e autoridades resolveu criar uma entidade nos moldes da ACAR, porém de âmbito regional, abrangendo os oitos Estados do Polígono das Secas: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

 

  • Novos Serviços de Extensão surgem no Sul – 1955/56

No Rio Grande do Sul, em junho de 1955, surge o terceiro Serviço de Extensão, com o nome de Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural, – ASCAR, pela iniciativa de várias instituições públicas e privadas, a qual iniciou suas atividades a partir de 1965.

Por essa época, existia o “Programa de Cooperação Técnica Brasil – Estados Unidos”, do qual fazia parte o Escritório Técnico de Agricultura, ETA”, que funcionava em conjunto com Ministério da Agricultura.

O ETA contribuiu de forma decisiva para expansão dos serviços de extensão, especialmente na região Sul do país.

Com a participação técnica e financeira do ETA, foram criados e iniciaram suas atividades, em 1956, mais dois serviços de extensão: a Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Santa Catarina – ACARESC, e a Associação de Crédito e Assistência Rural do Paraná – ACARPA.

 

  • Fundação da ABCAR – 1956

O ano de 1956 foi decisivo para a consolidação da Extensão Rural no Brasil. Após a criação dos Serviços de Extensão nos estados sulinos, houve um aceleramento no ritmo de expansão dos serviços, e vários outros estados começaram tomar iniciativa, para criar seus próprios Serviços de Extensão.

 

Atualmente, as empresas responsáveis pela Extensão Rural nos estados brasileiros são:

  • EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) – nos seguintes Estados: Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás e Minas Gerais
  • EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Divisão Tecnológica) – em Santa Catarina
  • CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo) – São Paulo
  • EBDA (Empresa Baiana de Desenvolvimento Agropecuário S.A.) – na Bahia
  • IDAM (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas) – Amazonas
  • EMPAER (Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural S.A.)- Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Além destas empresas, ressalta-se o trabalho de organizações não governamentais brasileiras que se propõem a assessorar e apoiar o desenvolvimento rural.

 

Redação Ambiente Brasil