Ambiente Agropecuário

Histórico da Extensão Rural

História da extensão rural.

Envie para um amigo

 

 

A implantação de uma mentalidade extensionista no Brasil deve-se, em grande parte, ao trabalho pioneiro desenvolvido pela ACAR ­– Associação de Crédito e Assistência Rural, – fundada em 1948, em Minas Gerais.

Por sua vez, a criação da ACAR foi fruto dos esforços feitos pela “American International Association,” a A.I.A., que estava empenhada em difundir o modelo do Serviço de Extensão norte-americano, como meio de ajudar o desenvolvimento econômico e social de alguns países em fase de desenvolvimento.

A expansão dos Serviços de Extensão Rural, no Brasil, processou-se da seguinte forma:

 

  • Criação da ACAR – 1948

      Em dezembro de 1948, o Governo de Minas Gerais assinava convênio com a A.I.A., criando a Associação de Crédito e Assistência Rural – ACAR, que iniciou suas atividades a partir de janeiro de 1949.

Introduzia-se, assim, no Brasil, a idéia extensionista, com o objetivo de trabalhar pela promoção do homem rural.

 

  • Surge a ANCAR no Nordeste – 1954

Devido à criação do Banco do Nordeste do Brasil, com sede em Recife, em 1954, um grupo de líderes e autoridades resolveu criar uma entidade nos moldes da ACAR, porém de âmbito regional, abrangendo os oitos Estados do Polígono das Secas: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

 

  • Novos Serviços de Extensão surgem no Sul – 1955/56

No Rio Grande do Sul, em junho de 1955, surge o terceiro Serviço de Extensão, com o nome de Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural, – ASCAR, pela iniciativa de várias instituições públicas e privadas, a qual iniciou suas atividades a partir de 1965.

Por essa época, existia o “Programa de Cooperação Técnica Brasil – Estados Unidos”, do qual fazia parte o Escritório Técnico de Agricultura, ETA”, que funcionava em conjunto com Ministério da Agricultura.

O ETA contribuiu de forma decisiva para expansão dos serviços de extensão, especialmente na região Sul do país.

Com a participação técnica e financeira do ETA, foram criados e iniciaram suas atividades, em 1956, mais dois serviços de extensão: a Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Santa Catarina – ACARESC, e a Associação de Crédito e Assistência Rural do Paraná – ACARPA.

 

  • Fundação da ABCAR – 1956

O ano de 1956 foi decisivo para a consolidação da Extensão Rural no Brasil. Após a criação dos Serviços de Extensão nos estados sulinos, houve um aceleramento no ritmo de expansão dos serviços, e vários outros estados começaram tomar iniciativa, para criar seus próprios Serviços de Extensão.

 

Atualmente, as empresas responsáveis pela Extensão Rural nos estados brasileiros são:

  • EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) – nos seguintes Estados: Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás e Minas Gerais
  • EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Divisão Tecnológica) - em Santa Catarina
  • CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo) - São Paulo
  • EBDA (Empresa Baiana de Desenvolvimento Agropecuário S.A.) - na Bahia
  • IDAM (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas) – Amazonas
  • EMPAER (Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural S.A.)- Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Além destas empresas, ressalta-se o trabalho de organizações não governamentais brasileiras que se propõem a assessorar e apoiar o desenvolvimento rural.

 

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Agropecuário Açai Acerola Agricultura Agroecologia Agroflorestais Agropecuária Agropecuárias Agrotóxicos Água Alimentação Alimentos Orgânicos Ambientais Ambiental Animais Animal Orgânico Área de Preservação Assentamento Atividades econômicas Autossuficiência Avaliação Benefícios Bibliografia Biodinâmica Biodiversidade Biologia do Solo Biológicas Biorremediação Braquiárias Brasil Café Camu-Camu CAR Características Caramujo Censo Agropecuário Cerca Ecológicas Certificação de Produtos Ciclo do Carbono Clima Cobertura do solo Como Fazer Comprimento da rampa Conceito Conservação Conservação Ambiental Consumo Contaminação Contaminação ambiental Controle Controle Ambiental Controle de praga Convencional Corte Crescimento Econômico Critérios Cultura Cupim Dano e efeitos ambientais DDT Declive Definição Dejetos Desertificação Dessalinização Desvantagens Dificuldades Dioxina Doenças Ecologia Educação Energia Alternativa Erosão Estratégico Estrutura Estrutura Fundiária EXemplos Exploração Extensão Extinção Fatores Feijão Fertilização Fertilizantes Físicas Fitoterápico Florestal Florestas Fontes Energéticas Frutas Nativas Gado de corte Grãos Hidropônico História Impactos Ambientais Indicadores Inseticidas Legislação Lodo Mandioca Manejo Manejo Sustentável Mata Atlântica Matéria Orgânica Medicina Meio Ambiente Migratória Monitoramento Mosca-dos-chifres Natural Nitrogênio Nutrientes Objetivos Ondas do mar Operacional Orgânico Pantanal Particulados Pastagem Pecuária Perda de solo Perigos Permacultura Pesquisa Científica Pimenta Planejamento Planta medicinal Planta Tóxicas Plantas Política Polpa congelada Práticas Conservacionistas Princípios Problemas ecológicos Procedimento Procedimentos Proibidos Produção Produtividade Produtos Programas Projetos Propriedade do solo Proteção Qualidade Nutricional Queimada Químicas Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos Naturais Reflorestamento Regiões Requisitos Reserva Legal Rios Riscos à saúde Roraima Rural Saúde Selos Sistema Educativo Situação Soja Solos Suinocultura Tático Técnicas Tecnologia Tipos de Agricultura Topografia Tradicional Transporte Tratamento Tratamento de Efluentes Urbano Uso de terras Uso do Solo Usos Vantagens Velocidade Veneno Vento

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.