Ambiente Florestal

Melhoramento Genético Florestal x Agrícola

Em espécies utilizadas comercialmente, a determinação da variabilidade genética para uso no melhoramento em características relacionadas à produção de celulose, painéis de madeira e carvão se tornam interessantes devido à possibilidade de ganhos em qualidade e quantidade significativos no produto final.

Envie para um amigo

 

 

O melhoramento genético é uma atividade já consagrada na agricultura, que permitiu a obtenção de resultados fantásticos em culturas anuais como o milho, a soja e a cana-de-açúcar.

Entre estes resultados estão o aumento da produtividade, a resistência a doenças e o aumento do teor de brix. Tal sucesso se deve aos esforços para o conhecimento e definição das melhores técnicas de melhoramento em função da cultura com a qual se está trabalhando, e de condições favoráveis, como a floração anual, o porte das plantas e facilidades na polinização, diferentemente do que se encontra em espécies arbóreas.

Apesar das diferenças encontradas para as condições citadas na área florestal, o melhoramento genético também é possível e vem sendo realizado desde o início do século XX, em diferentes países e com diferentes espécies. Mas, mesmo com as dificuldades inerentes às espécies arbóreas, como o tempo para a maturidade fisiológica e a conseqüente floração, a distribuição das árvores nas populações naturais e a dificuldade de coleta de sementes representativa da variação existente, a altura das árvores, a variedade de agentes polinizantes, dificuldades na propagação vegetativa, etc., o melhoramento vem sendo realizado e os resultados já são visíveis.

A maioria dos trabalhos desenvolvidos no melhoramento genético florestal visam o aumento volumétrico das árvores e a melhoria da retidão do fuste, mas diversas outras características, principalmente voltadas à tecnologia da madeira, já são também contempladas na seleção.

Em espécies utilizadas comercialmente, a determinação da variabilidade genética para uso no melhoramento em características relacionadas à produção de celulose, painéis de madeira e carvão se tornam interessantes devido à possibilidade de ganhos em qualidade e quantidade significativos no produto final, trazendo bons resultados econômicos e compensando o custo envolvido com a pesquisa e a tecnologia aplicadas.

Como exemplo, o teor de lignina e o rendimento em celulose, a densidade da madeira e seu poder calorífico, a presença de tiloses, o teor de cinzas, o teor de extrativos, e muitas outras variáveis mostram a importância da condução de pesquisas em anatomia e tecnologia da madeira paralelamente a programas de melhoramento genético, otimizando o tempo e incrementando os resultados obtidos.

 

Melhoramento Genético Agrícola

Utiliza técnicas avançadas de biotecnologia, em função do amplo conhecimento genético das principais culturas utilizadas, facilitado pelas curtas rotações e pela possibilidade de obtenção de vários ciclos de seleção em curto espaço de tempo.

 

Melhoramento Genético Florestal

Através da seleção de famílias, procedências e indivíduos, procura explorar a variabilidade natural das espécies, ainda pouco conhecidas em função da amplitude de variação em que ocorrem.

O eucalipto, por exemplo, ocorre naturalmente na Austrália entre latitudes de 13o a 43o, altitudes que vão do nível do mar até 4.000 m, em regiões sem problemas de déficit hídrico e outras onde este déficit chega a 300 mm.

Basicamente, o resultado do melhoramento genético ocorre em função:

  • Da variabilidade genética existente.
  • Da intensidade de seleção a ser praticada (manuseada pelo homem).
  • Da herdabilidade do caráter de interesse na espécie e condições disponíveis.

As principais espécies às quais o melhoramento genético florestal vem se dedicando no mundo, são:

  • Eucalyptus grandis
  • Eucalyptus urophylla
  • Eucalyptus saligna
  • Pinus taeda
  • Pinus caribaea var. hondurensis
  • Pinus radiata
  • Criptomeria japonica
  • Acacia mearnsii, que vem sendo melhorada na África do Sul desde 1920

 

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Florestal Agricultura Agrossilvicultura Agrossilvipastoril Água Alimentação Amanita Amazônia Amostragem Animais silvestres Araucária Área de Preservação Área Protegida Artigo Banco de Sementes Bibliografia Biodiversidade Borracha Bracatinga Brotação Características Carregamento Carvão Castanha-do-brasil Celulose Cerrado Certificação de Produtos Certificação Florestal Certificado Certificado Fitossanitário CFOC Classificação Cobertura Florestal Comércio Conceito Consciência Ecológica Conservação Ambiental Consumo de Madeira Controle Controle Ambiental Copaíba Cortiça Culinária Curiosidades Custos Dados Dano e efeitos ambientais Desbastes Descascamento Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Doenças Dossel Economia Erva - Mate Espaçamentos Espécies Espécies Exóticas Estatística Estradas Estrutura Estrutura Fundiária Eucalipto EXemplos Exploração Extinção Extração Fitossociológico Floresta Tropical Florestal Florestas Fluxograma Fogos Fomento Fragmentação Fungo Geneticamente Modificados Genoma Gestão ambiental Gestão Florestal Governo Herdabilidade Incêndio Indústria Instituições Invasão Biológica Inventário Florestal IPAM Látex Legislação Lista Espécies Localização Lodo de Esgoto Macaco Madeira Manejo Manejo Florestal Mapa Matas Ciliares Material Genético Melhoramento Genético Mercosul Miltiplicação Vegetativa Mogno Monitoramento Nomenclatura Normalização Normas Ambientais Objetivos ONGs Operação Palmito Palmito Juçara Paraná Pasta Patauá Perguntas Permacultura Pinhão Pinus Planejamento ambiental Plantas Plantio PNF Poda Poluição Praga Premissas Preservação Ambiental Prevenção Princípios Privado Produção Produtos Produtos Madereiros Projetos Projetos ambientais Proteção Pública Qualidade da Madeira Queimada Recuperação Ambiental Reflorestamento Segurança Seleção Selos Sementes Seringueira Silvicultura Silvipastoril Sistema Agroflorestais Solos Substrato Sustentabilidade Técnicas Tipos de viveiros Transporte Uso do Solo Usos Vantagens Vegetação Vespa da Madeira Viveiros

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.