Controle Natural de Pragas

A cultura popular brasileira é diversa em dicas para o controle natural de pragas, seja para controle ou repelência nas residências e em produtos.

A maior parte das pragas atacam geralmente na primavera, per√≠odo de fertilidade e de grande atividade na natureza. Elas causam v√°rios estragos nas plantas, al√©m de favorecer o surgimento de doen√ßas, principalmente f√ļngicas.

Receitas naturais para o controle de pragas.

As pragas geralmente se tornam um problema s√©rio quando h√° um desequil√≠brio ecol√≥gico no sistema onde a planta est√° inserida. Outras situa√ß√Ķes que podem favorecer o seu surgimento s√£o:

  • Desequil√≠brios t√©rmicos;
  • Excesso ou escassez de √°gua;
  • Insola√ß√£o inadequada.

Principais pragas e dicas naturais de controle

Como identificar um pulg√£o?

Os pulg√Ķes podem ser pretos, marrons, cinzas e at√© verdes. Alojam-se nas folhas mais tenras, brotos e caules, sugando a seiva e deixando as folhas amareladas e enrugadas. Al√©m disso, possuem as seguintes caracter√≠sticas:

  • Em grande quantidade podem debilitar demasiadamente a planta e at√© transmitir doen√ßas perigosas;
  • Podem aparecer em qualquer √©poca do ano, mas os per√≠odos mais prop√≠cios s√£o a primavera, o ver√£o e o in√≠cio do outono;
  • Precisam ser controlados logo que notados, pois multiplicam-se com rapidez;
  • As joaninhas s√£o predadoras naturais dos pulg√Ķes;
  • Um chuma√ßo de algod√£o embebido em uma mistura de √°gua e √°lcool em partes iguais ajuda a retirar os pulg√Ķes das folhas e isso pode ser feito semanalmente; aplica√ß√Ķes de calda de fumo ou macerado de urtiga tamb√©m s√£o indicados.
Cochonilhas

As cochonilhas s√£o insetos min√ļsculos, geralmente marrons ou amarelos, que alojam-se principalmente na parte inferior das folhas e nas fendas.

  • Al√©m de sugar a seiva da planta, as cochonilhas liberam uma subst√Ęncia pegajosa que facilita o ataque de fungos, em especial, o fungo fuliginoso;
  • Nota-se sua presen√ßa quando as folhas apresentam uma crosta com consist√™ncia de cera;
  • Algumas cochonilhas apresentam uma esp√©cie de carapa√ßa dura, que impede a a√ß√£o de inseticidas em spray. Neste caso, produtos √† base de √≥leo costumam dar melhores resultados, pois formam uma capa sobre a carapa√ßa, impedindo a respira√ß√£o do inseto;
  • As joaninhas tamb√©m s√£o suas predadoras naturais, al√©m de certos tipos de vespas;
  • Calda de fumo e a emuls√£o de √≥leo s√£o os m√©todos naturais mais eficientes para combat√™-las;
  • Deve-se evitar o controle qu√≠mico mas, quando necess√°rio em casos extremos, normalmente s√£o usados √≥leo mineral e inseticida organofosforado.
O que causa mosca branca?

S√£o insetos pequenos e, como diz o nome, de colora√ß√£o branca. N√£o √© dif√≠cil notar sua presen√ßa ao esbarrar numa planta infestada por moscas brancas, √© poss√≠vel ver uma pequena revoada de min√ļsculos insetos brancos.

  • Costumam localizar-se na parte inferior das folhas, onde liberam um l√≠quido pegajoso que deixa a folhagem viscosa e favorece o ataque de fungos;
  • Alimentam-se da seiva da planta;
  • As larvas deste inseto, praticamente impercept√≠veis, tamb√©m alojam-se na parte inferior das folhas e, em pouco tempo, causam grande infesta√ß√£o;
  • √Č dif√≠cil elimin√°-las, por isso muitas vezes √© preciso aplicar inseticidas espec√≠ficos para plantas;
  • Quando o ataque √© pequeno, o uso de plantas repelentes como tagetes ou cravo-de-defunto (Tagetes sp), hortel√£ (Mentha sp), cal√™ndula (Calendula officinalis), arruda (Ruta graveolens) costumam dar bons resultados.
Lesmas e caracóis

Normalmente as lesmas e carac√≥is atacam √† noite, furando e devorando folhas, caules e bot√Ķes florais, mas tamb√©m podem atingir as ra√≠zes subterr√Ęneas.

Como exemplos de controle natural de pragas, tem-se os besouros e passarinhos, que são seus predadores naturais. Uma boa forma de eliminá-los é usar armadilhas, feitas com isca de cerveja para atraí-los. Para isso, tire a tampa de uma lata de azeite e enterre-a deixando a abertura no nível do solo. Coloque dentro um pouco de cerveja misturada com sal. As lesmas e os caracóis caem na lata atraídas pela cerveja e morrem desidratados pelo sal.

Receitas naturais para o controle de pragas.
Receitas naturais para o controle de pragas.
Lagartas

As lagartas costumam atacar as plantas de jardim mas, em alguns casos, também podem danificar as plantas de interior, possuindo as seguintes características:

  • F√°ceis de serem reconhecidas, as lagartas costumam enrolar-se nas folhas jovens e literalmente comem brotos, hastes e folhas novas, formando uma esp√©cie de teia para proteger-se;
  • Todas as plantas que apresentam folhas macias est√£o sujeitas ao seu ataque;
  • As chamadas ‚Äútaturanas‚ÄĚ s√£o lagartas com pelos, e algumas esp√©cies podem queimar a pele de quem as tocar;
  • Caso n√£o apresente um ataque maci√ßo, o controle das lagartas deve ser manual, ou seja, devem ser retiradas e destru√≠das uma a uma, lembrando que √© importante usar uma prote√ß√£o para a que a lagarta n√£o toque na pele;
  • A Calda de Angico ajuda a afastar as lagartas n√£o prejudicando a planta, al√©m do uso de plantas repelentes, como a arruda, mantendo-as afastadas;
  • As aves e pequenas vespas s√£o suas inimigas na natureza, podendo atuar como um controle natural de pragas;
  • √Č preciso lembrar que sem as lagartas, n√£o h√° borboletas. Ao elimin√°-las completamente, se est√° privando da beleza e da gra√ßa desses belos seres alados. Mais uma vez, o equil√≠brio √© a chave.
√Ācaros

O tipo de ácaro mais comum é conhecido como ácaro-vermelho, tem a aparência de uma aranha de cor avermelhada.

  • Ataca flores, folhas e brotos, deixando marcas semelhantes √† ferrugem;
  • O ataque de √°caros diminui o ritmo de crescimento, favorece a m√° forma√ß√£o de brotos e, em caso de grande infesta√ß√£o, pode matar a planta;
  • Ambientes quentes e secos favorecem o desenvolvimento dessa praga;
  • Apesar de quase invis√≠veis a olho nu, sua presen√ßa √© denunciada pelo aparecimento de uma teia fina;
  • Costuma atacar mais as plantas envasadas do que as que est√£o em canteiros;
  • Uma boa dica √© borrifar a planta com √°gua, regularmente, j√° que este inseto n√£o gosta de umidade;
  • Casos mais severos exigem que as partes bem atacadas sejam retiradas; a Calda de Fumo ajuda a controlar o ataque.
Percevejos

S√£o mais conhecidos como maria-fedida ou fede-fede, pois exalam um odor desagrad√°vel quando se sentem amea√ßados. Seu ataque costuma provocar a queda de flores, folhas e frutos, prejudicando novas brota√ß√Ķes.

As vespas realizam o controle natural, por serem suas predadoras naturais. Devem ser removidos manualmente, um a um; se o controle manual n√£o surtir efeito, a Calda de Fumo pode funcionar como um repelente natural.

Porque os tatuzinhos aparecem?
  • Os tatuzinhos s√£o muito comuns nos jardins com umidade excessiva, s√£o tamb√©m conhecidos como tatus-bolinha, pois se enrolam como uma bolinha quando s√£o tocados;
  • Vivem escondidos e alimentam-se de folhas, caules e brotos tenros, al√©m de transmitir doen√ßas √†s plantas;
  • Para reduzir seu aparecimento, deve-se evitar a umidade excessiva em vasos e canteiros;
  • Devem ser retirados manualmente e eliminados um a um.
Nematoides

São parentes das lombrigas e atacam pelo solo, representando as seguintes características:

  • As plantas afetadas apresentam ra√≠zes grossas e cheias de fendas;
  • Num ataque intenso, provocam a morte do sistema radicular e, consequentemente, da planta;
  • Algumas plantas d√£o sinais em sua parte a√©rea, mostrando sintomas do ataque de nematoides: as d√°lias, por exemplo, podem apresentar √°reas mortas, de colora√ß√£o marrom, nas folhas mais velhas;
  • O melhor controle natural quando se torna praga √© o plantio de tagetes (o popular cravo-de-defunto) na √°rea infestada, que atua como um repelente natural;
  • Se o controle ficar dif√≠cil, √© indicado eliminar a planta infestada do jardim, para evitar a prolifera√ß√£o.
Formigas

As formigas cortadeiras (Atta spp e Acromyrmex spp) são as que mais causam estragos. Elas cortam as folhas para levá-las ao formigueiro, onde servem de nutrição para os fungos, os verdadeiros alimentos das formigas.

Um bom método natural para espantar as formigas é espalhar sementes de gergelim em torno dos canteiros. Além disso, o gergelim colocado sobre o formigueiro, intoxica o fungo e ajuda a eliminar o ninho das formigas.

Em ataques maciços, recomenda-se o uso de iscas formicidas, à venda em casas especializadas em produtos para jardinagem. As formigas carregam a isca fatal para o formigueiro.

Dicas de receitas para controle natural de pragas

Alho
  • O extrato do alho pode ser utilizado na agricultura como defensivo agr√≠cola, tendo ampla a√ß√£o contra pragas e mol√©stias;
  • Segundo v√°rios pesquisadores, quando adequadamente preparado tem a√ß√£o fungicida, combatendo doen√ßas como m√≠ldio e ferrugens;
  • Tem a√ß√£o bactericida e controla insetos nocivos como a lagarta da ma√ß√£, pulg√£o, etc;
  • Sua principal a√ß√£o √© de repel√™ncia sobre as pragas, sendo inclusive recomendado o plantio intercalado de certas fruteiras como a macieira, para repelir pragas.

No Brasil o uso do alho est√° restrito ainda a pequenas √°reas, como na agricultura org√Ęnica, enquanto que em outros pa√≠ses como nos Estados Unidos, pela possibilidade de empregar o √≥leo de alho, obtido atrav√©s de extra√ß√£o industrial, j√° √© poss√≠vel empreg√°-lo em larga escala em cultivos comerciais.

  • Preparo: Uma f√≥rmula para o preparo de um defensivo com alho compreende a mistura de 1,0 kg de alho + 5,0 litros de √°gua + 100 gramas de sab√£o + 20 colheres (de caf√©) de √≥leo mineral. Os dentes de alho devem ser finamente mo√≠dos e deixados repousar por 24 horas, em 20 colheres de √≥leo mineral. Em outro vasilhame, dissolve-se 100 gramas de sab√£o (picado) em 5 litros de √°gua, de prefer√™ncia quente. Ap√≥s a dissolu√ß√£o do sab√£o, mistura-se a solu√ß√£o de alho.
  • Aplica√ß√£o: Antes de usar, √© aconselhavel filtrar e diluir a mistura com 20 partes de √°gua. As concentra√ß√Ķes s√£o vari√°veis de acordo com o tipo de pragas que se quer combater (Stoll, 1989). Quando pulverizado sobre as plantas depois de 36 horas n√£o deixa cheiro nos produtos agr√≠colas.
Ch√° de Cavalinha (Equisetum arvense ou E. giganteum)

√Č muito indicada e empregada na horticultura org√Ęnica para aumentar a resist√™ncia das plantas contra insetos nocivos em geral, seguindo como exemplo uma receita natural de controle de pragas:

  • Ingredientes: 100 gramas de cavalinha seca ou 300 gramas de planta verde; 10 litros de √°gua para macera√ß√£o e 90 litros de √°gua para dilui√ß√£o;
  • Preparo: ferver as folhas de cavalinha em 10 litros de √°gua por 20 minutos. Diluir a calda resultante em 90 litros de √°gua;
  • Aplica√ß√£o: regar ou pulverizar as plantas, alternando com a urtiga. (Geraldo Deffune, 1992).
Confrei

Combate a pulg√Ķes em hortali√ßas e frut√≠feras e como adubo foliar, com a seguinte receita natural:

  • Ingredientes: 1,0 kg de confrei e √°gua para dilui√ß√£o;
  • Preparo: Utilizar o liquidificador para triturar 1 quilo de folhas de confrei com √°gua ou ent√£o deixar em infus√£o por 10 dias. Acrescentar 10 litros de √°gua;
  • Aplica√ß√£o: Pulverizar periodicamente as plantas.
 Alternativas em hortas para o controle natural de pragas.
Alternativas em hortas para o controle natural de pragas.
Para que serve o Cravo-de-defunto?

Serve como combate a pulg√Ķes, √°caros e algumas esp√©cies de lagartas, como exemplo de receita para aplica√ß√£o natural no controle de pragas:

  • Ingredientes: 1 kg de folhas e/ou talo de cravo-de-defunto e 10 litros de √°gua;
  • Preparo: misturar 1 quilo de folhas e/ou talos de cravo-de-defunto em 10 litros de √°gua. Levar ao fogo e deixar ferver durante meia hora ou ent√£o deixar de molho (picado) por dois dias;
  • Aplica√ß√£o: Coar o caldo obtido e pulverizar as plantas atacadas.
Fumo (NICOTINA)

A nicotina contida no fumo √© um excelente inseticida, tendo a√ß√£o de contato contra pulg√Ķes, tripes e outras pragas.

Quando aplicada como cobertura do solo, pode prevenir o ataque de lesmas, caracóis e lagartas cortadeiras, porém, pode prejudicar insetos benéficos ao solo como as minhocas, além disso, apresenta as seguintes características e cuidados:

  • O fumo em p√≥ sobre os vegetais √© um defensivo contra pragas de corpo mole, como lesmas e outras, sendo menos t√≥xico se empregado nesta forma;
  • Na agricultura org√Ęnica seu emprego deve ser precedido de autoriza√ß√£o do √≥rg√£o certificador;
  • A calda pronta pode ser acrescida de sab√£o e cal hidratada, melhorando a sua atividade e persist√™ncia na folha;
  • Quando a nicotina √© exposta ao sol, diminui sua a√ß√£o em poucos dias;
  • A adi√ß√£o de algumas gotas de fenol, √© recomendada para manter suas caracter√≠sticas iniciais;
  • A colheita do vegetal tratado deve ser feita, somente 3 dias ap√≥s a aplica√ß√£o do fumo;
  • N√£o deve ser empregado o fumo em plantas da fam√≠lia da batata ou tomate;
  • O tratamento com concentra√ß√Ķes acima do recomendado, pode causar danos para muitas plantas;
  • A nicotina bem dilu√≠da apresenta baixo risco para o homem e animais de sangue quente e 24 horas depois de pulverizada, torna-se inativa;
  • No entanto, em elevada concentra√ß√£o √© t√≥xica para o ser humano e pode afetar os inimigos naturais;
  • O seu preparo e aplica√ß√£o requerem cuidados. No caso de hortali√ßas e medicinais, aconselha-se respeitar um intervalo m√≠nimo de 3 dias antes do consumo;
  • Devido ao seu alto poder inseticida, o seu emprego na agricultura org√Ęnica √© bastante restrito.

Receita 1 para controle de pulg√Ķes, cochonilhas, grilos, vagalumes.

  • Ingredientes: 15 a 20 cm de fumo em corda e √°gua;
  • Preparo: Coloque o fumo em corda deixando de molho durante 24 horas, com √°gua suficiente para cobrir o recipiente;
  • Aplica√ß√£o: Para cada litro de √°gua, use 5 colheres (de sopa) dessa mistura, usando no mesmo dia.

Receita 2 – controle de lagartas e pulg√Ķes em plantas frut√≠feras e hortali√ßas.

  • Ingredientes: 100g de fumo em corda, 1 litro de √°lcool e 100g de sab√£o;
  • Preparo: misture 100g de fumo em corda cortado em pedacinhos com 1 litro de √°lcool. Junte 100g de sab√£o e deixe curtir por 2 dias;
  • Aplica√ß√£o: para pulverizar plantas utilize 1 copo do produto em 15 litros de √°gua.

Receita 3 – controle de vaquinhas, pulg√Ķes, cochonilhas, lagartas.

  • Ingredientes: 1 peda√ßo de fumo em corda (10 ‚Äď 15 cm); 0,5 litros de √°lcool; 0,5 litros de √°gua e 100g de sab√£o em barra;
  • Preparo: corte o fumo em pequenos peda√ßos e junte a √°gua e o √°lcool. Misture em um recipiente deixando curtir durante 15 dias. Decorrido esse tempo, dissolva o sab√£o em 10 litros de √°gua e junte com a mistura j√° curtida de fumo e √°lcool;
  • Aplica√ß√£o: pode ser aplicado com pulverizador ou regador. No caso de hortali√ßas, aconselha-se respeitar um intervalo m√≠nimo de 3 dias antes da colheita.

Receita 4 – controle de pulg√Ķes, vaquinhas, cochonilhas.

  • Ingredientes: 20 colheres (sobremesa) de querosene, 3 colheres (sopa) de sab√£o em p√≥, 1 litro de calda de fumo e 10 litros de √°gua;
  • Preparo: para o preparo da √°gua de fumo coloque 20 gramas de fumo de rolo bem forte e picado em 1 litro de √°gua, fervendo essa mistura durante 30 minutos.
  • Aplica√ß√£o: co√°-la em pano fino, adicione 3-4 litros de √°gua limpa e utilize o produto obtido no mesmo dia. Em seguida, aque√ßa 10 litros de √°gua e junte 20 colheres (sobremesa) de querosene e 3 colheres (sopa) de sab√£o em p√≥. Deixe esfriar em temperatura ambiente e adicione ent√£o 1 litro de calda de fumo.

Receita 5 – controle de pulg√Ķes, lagartas e tripes.

  • Ingredientes: 1,0 kg de folhas trituradas de fumo em 15 litros de √°gua por 24 horas;
  • Preparo: a solu√ß√£o √© coada e adicionado um pouco de sab√£o;
  • Aplica√ß√£o: pulverizada conforme a receita acima ou no solo na forma de p√≥ feito com folhas secas ou peda√ßos de folhas colocadas no ch√£o em cobertura.
NEEM (Nim) (Azadirachta indica)

Recomendada como inseticida e repelente de pragas em geral, em especial, em pragas de hortali√ßas, tra√ßas, lagartas, pulg√Ķes e gafanhotos.

√Č uma das plantas de maior potencial no controle de pragas, atuando sobre 95% dos insetos nocivos e conta com as seguintes caracter√≠sticas:

  • Utilizada comercialmente em v√°rios pa√≠ses do mundo;
  • Tem como princ√≠pio ativo Azadiractina, podendo ser aproveitado as suas folhas e frutos para extrair esse ingrediente ativo de largo emprego inseticida;
  • Nas doses recomendadas √© um produto sem efeitos de toxicidade ao homem e aos animais.

Receitas para aplicação

√ďleo de Nim √© empregado na dosagem de 0,5% (0,5 litro em 100 litros de √°gua) pulverizado sobre as folhagens e frutos.

No caso do emprego de sementes, o procedimento é o seguinte: 25-50 g de sementes moídas (amarradas em um pano); 1 litro de água, deixando repousar por 1 dia. Indicação: lagarta do cartucho, lagarta das hortaliças, gafanhoto. 5 Kg de sementes secas e moídas; 5 litros de água e 10 g de sabão. Colocar os 5 quilos de sementes de Neem moídas em um saco de pano, amarrar e colocar em 5 litros de água. Depois de 12 horas, espremer e dissolver 10 gramas de sabão neste extrato. Misture bem e acrescente água para obter 100 litros de preparado. Aplique sobre as plantas infestadas, imediatamente após preparado.

O prensado de Neem pode ser utilizado misturando-se com o solo na base de 1 a 2 t/ha. Esta medida protege as beringelas contra minadoras e tomates contra nematóides e septorioses.

Pimenta Malagueta

A pimenta (vermelha ou malagueta) pode ser empregada como um controle natural de pragas em pequenas hortas e pomares.

Tem boa efici√™ncia quando concentrada e misturada com outros defensivos naturais, no combate a pulg√Ķes, vaquinhas, grilos e lagartas.

√Č importante obedecer um per√≠odo de car√™ncia m√≠nima de 12 dias da colheita, para evitar obter frutos com forte odores.

 Alternativas em hortas para o controle natural de pragas.
Alternativas em hortas para o controle natural de pragas.

Receita 1

  • Ingredientes: 50 g de fumo de rolo, picado + 1 punhado de pimenta vermelha + 1 litro de √°lcool + 250 g de sab√£o em p√≥;
  • Preparo: dentro de 1 litro de √°lcool, coloque o fumo e a pimenta, deixando essa mistura curtir durante 7 dias;
  • Aplica√ß√£o: Para usar essa solu√ß√£o, dilua o conte√ļdo em 10 litros de √°gua contendo 250 gramas de sab√£o em p√≥ dissolvido ou ent√£o, detergente, de modo que o inseto grude nas folhas e nos frutos. No caso de hortali√ßas e medicinais, aconselha-se respeitar um intervalo m√≠nimo de 12 dias antes da colheita.

Receita 2

  • Ingredientes: 500 g de pimenta vermelha (malagueta) + 4 litros de √°gua + 5 colheres (sopa) de sab√£o de coco em p√≥;
  • Preparo: bater as pimentas em um liquidificador com 2 litros de √°gua at√© a macera√ß√£o total. Coar o preparado e misturar com 5 colheres (sopa) de sab√£o de coco em p√≥, acrescentando ent√£o os 2 litros de √°gua restantes;
  • Aplica√ß√£o: pulverizar sobre as plantas atacadas.

Primavera/Maravilha (Bougainvillea spectabilis / Mirabilis jalapa)

Método eficiente para imunizar mudas de tomate contra o vírus do vira cabeça do tomateiro, com o preparo da seguinte forma:

  • Utilizar a quantidade de 1 litro de folhas maduras e lavadas de primavera ou maravilha (rosa ou roxa) e 1 litro de √°gua;
  • Juntar estes ingredientes e bater no liquidificador;
  • Coe com pano fino de gaze e dilua em 20 litros de √°gua;
  • Pulverize imediatamente (em horas frescas);
  • N√£o pode ser armazenado;
  • Aplicar em mudas de tomateiros 10 dias ap√≥s a germina√ß√£o (2 pares de folhas) e repetir a cada 2 a 3 dias at√© a idade de 45 dias.

Urtiga

Planta empregada na agricultura org√Ęnica, principalmente na horticultura para aumentar a resist√™ncia e no combate a pulg√Ķes, conta com o seguinte preparo e aplica√ß√£o:

  • Ingredientes: 500 g de urtiga fresca ou 100g de urtiga seca e 10 litros de √°gua;
  • Preparo: Colocar 500 gramas de urtiga fresca ou 100 gramas de urtiga seca em 10 litros de √°gua por dois dias ou ent√£o deixar curtir por quinze dias;
  • Aplica√ß√£o: a primeira forma de preparo para aplica√ß√£o imediata sobre as plantas atacadas. A segunda, deve ser dilu√≠da, sendo uma parte da solu√ß√£o concentrada para 10 partes de √°gua.

Plantas benéficas no controle natural de pragas

Há na vegetação natural plantas que servem de abrigo e reprodução dos insetos que se alimentam das pragas.

O manejo correto destas ervas e da adubação verde permitirá o incremento da fauna benéfica e o controle natural de pregas.

Dentre as plantas que servem para o manejo ecológico, destaca-se as seguintes:

  • Ageratum conyzoides (mentrasto);
  • Raphanus raphanistrum (nabo forrageiro);
  • Euphorbia brasilensis (erva-de-santa-luzia);
  • Sorghum bicolor (sorgo gran√≠fero);
  • Portulaca oleracea (beldoega);
  • Amaranthus deflexus (caruru rasteiro, caruru).

No caso do sorgo, suas panículas em flor favorecem o abrigo e a reprodução de insetos e ácaros benéficos, como o percevejo Orius insidiosus, predador de lagartas, ácaros e tripes da cebola.

Outras plantas fornecem o pólen como alimento para os ácaros predadores e néctar para as vespinhas parasitas de pragas. Para vários pesquisadores, pode ser constituído na propriedade um programa de manejo ecológico com mentrasto e outras plantas que vegetam bem no verão e início do outono, complementadas com o plantio no inverno de nabo forrageiro ou o sorgo.

Há no entanto, plantas que são desfavoráveis à preservação e aumento de inimigos naturais das pragas, como por exemplo:

  • Mamona;
  • Capim fino;
  • Grama seda;
  • Capim amargoso;
  • Guanxuma;
  • Tiririca;
  • Braqui√°ria;
  • Carrapicho carneiro.

Plantas companheiras para o controle natural de pragas

A instalação de linhas de plantas companheiras pode ser benéfico em pequenas áreas para a repelência de pragas nocivas.

Entre outras, s√£o conhecidos os efeitos repelentes das seguintes plantas, bastante comuns:

  • Alecrim repele borboleta da couve e moscas da cenoura;
  • Hortel√£ repele formigas, ratos e borboleta da couve.
  • Mastru√ßo repele af√≠deos e outros insetos.
  • Tomilho repele borboleta da couve.
  • S√°lvia repele a mariposa do repolho.
  • Urtiga repele percevejo do tomate.
  • O plantio da Trefosia candida, por conter o princ√≠pio ativo da rotenona, vem sendo recomendado para a forma√ß√£o de barreira vegetal contra pragas, servindo tamb√©m como quebra-ventos.

Outras plantas como a erva-cidreira e o girassol s√£o tamb√©m indicadas para repelir pragas dos cultivos. O gergelim √© outra planta √ļtil, que √© cortado e levado pelas sa√ļvas, intoxicando o fungo do qual se alimentam.

Alternativas para o controle natural de pragas.
Alternativas para o controle natural de pragas.

Produtos org√Ęnicos para o controle natural de pragas

Cinzas

A cinza de madeira é um material rico em potássio, muito recomendado na literatura mundial para controle de pragas e até algumas doenças. Pode ser aplicado na mistura com outros produtos naturais.

Receita 1 – Para o combate a lagartas e vaquinhas dos mel√Ķes, conta com o seguinte preparo e aplica√ß√£o:

  • Testar nas condi√ß√Ķes locais a seguinte f√≥rmula: 0,5 copo de cinza de madeira, 0,5 copo de cal virgem e 4 litros de √°gua;
  • A cinza deve ser colocada antes em √°gua, deixando repousar pelo menos 24 horas, coada, misturada com a cal virgem hidratada e pulverizada.
  • Para o preparo de maiores quantidades de calda, pode ser preparado: 1 kg. de cinza de madeira + 1 kg de cal e 100 litros de √°gua.
  • A adi√ß√£o de soro de leite (1 a 2%) na mistura de cinza com √°gua pode favorecer o seu efeito no combate contra pragas e mol√©stias.

Receita 2 РPara combater insetos sugadores e larva minadora, pode ser realizado o seguinte preparo e aplicação:

  • Testar nas condi√ß√Ķes locais a receita de 0,5 kg de cinzas de madeira, deixando descansar 24 horas em 4 litros de √°gua;
  • Coar e acrescentar seis colherinhas (caf√©) de querosene. Misturar e aplicar preventivamente.
Farinha de Trigo

A farinha de trigo de uso dom√©stico pode ser efetiva no controle de √°caros, pulg√Ķes e lagartas em horta dom√©sticas e comunit√°rias, incluindo o seguinte preparo e aplica√ß√£o:

  • O seu emprego √© favor√°vel em dias quentes e secos, com sol;
  • Aplicar de manh√£ em cobertura total nas folhas.
  • Mais tarde, as folhas secando com o sol, forma uma pel√≠cula que envolve as pragas e caem com o vento.
  • Ela pode ser pulverizada em vegetais sujeitos ao ataque de lagartas.
  • Diluir 1 colher de sopa (20 g) em 1,0 litro de √°gua e pulverize nas folhas atacadas.
  • Repetir depois de 2 semanas.
Leite

O leite na sua forma natural ou como soro de leite √© indicado para controle de √°caros e ovos de diversas lagartas, atrativo para lesmas e no combate de v√°rias doen√ßas f√ļngicas e vir√≥ticas. O seu emprego √© recomendado para hortas dom√©sticas e comunit√°rias, tendo como exemplo o seguinte preparo:

  • Um dos m√©todos recomendados, √© diluir 1 litro de leite em 3 a 10 litros de √°gua e pulverizar as plantas;
  • Repetir depois de 10 dias para doen√ßas e 3 semanas quando aplicado contra insetos.
  • A mistura de leite azedo com √°gua e cinza de madeira, √© citado como efetivo no controle de m√≠ldio.
  • H√° indica√ß√Ķes do uso do leite como atrativo para lesmas.
  • Distribuir no ch√£o, ao redor das plantas, estopa ou saco de amiagem molhado com √°gua e um pouco de leite.
  • De manh√£, virar a estopa ou o saco utilizado e matar as lesmas que se reuniram embaixo.
  • Pode ser utilizado como fungicida no piment√£o, pepino, tomate, batata.
  • Sem contra-indica√ß√£o para hortali√ßas.
  • Preparar mistura com: 2,5 litros de leite, 1,5 kg de cinza de madeira, 1,5 kg de esterco fresco de bovino e 1,5 kg de a√ß√ļcar.
  • Aplicar no tomate a cada 10 dias, aplicar no caf√© a cada 15 a 30 dias.
Sab√£o e suas misturas

O sabão (não detergente) tem efeito inseticida e quando acrescentado em outros defensivos naturais pode aumentar a sua efetividade, destacando-se as seguintes características:

  • O sab√£o sozinho tem bom efeito sobre muitos insetos de corpo mole como: pulg√£o, lagartas e mosca branca;
  • A emuls√£o de sab√£o e querosene √© um inseticida de contato, que foi muito empregado no passado, contra insetos sugadores, sendo indicada para combate aos pulg√Ķes, √°caros e cochonilhas.
  • O preparo mais comum consiste em dissolver, mexendo bem, 50 gramas de sab√£o (picado) para 2 at√© 5 litros de √°gua quente.
  • A solu√ß√£o feita com sab√£o tem boa adesividade na planta e no inseto praga.
  • Pulverizar sobre as folhagens e pragas.
  • Nas plantas delicadas e √°rvores novas, no ver√£o ou per√≠odos quentes, utiliza-se a solu√ß√£o de sab√£o e querosene bem dilu√≠da, ou seja, uma parte para 50 a 60 partes de √°gua.
  • Depois de preparada a emuls√£o deve ser aplicada dentro de um ou dois dias, para evitar a separa√ß√£o do querosene, o que acarretaria queimaduras nas folhagens.
  • No inverno, em plantas caducas, utiliza-se dosagens mais concentradas, assim como a pincelagem do tronco contra cochonilhas.

Receita 1 – para o controle de cochonilhas e lagartas.

  • Ingredientes: 50 g de sab√£o de coco em p√≥ + 5 litros de √°gua;
  • Preparo: Coloque 50 g de sab√£o de coco em p√≥ em 5 litros de √°gua fervente.
  • Aplica√ß√£o: essa solu√ß√£o deve ser pulverizada frequentemente no ver√£o e na primavera.

Receita 2 – para o combate de pulg√Ķes, cochonilhas e lagartas.

  • Ingredientes: 1 colher (sopa) de sab√£o caseiro + 5 litros de √°gua.
  • Preparo: utilize uma colher (sopa) de sab√£o caseiro raspado e misture em 5 litros de √°gua agitando bem at√© dissolver o mesmo.
  • Aplica√ß√£o: essa calda deve ser aplicada sobre as plantas com o aux√≠lio de pulverizador ou regador.

Receita 3 – para o combate a pulg√Ķes, √°caros, brocas, moscas da fruta e formigas.

  • Ingredientes: 1 kg de sab√£o picado + 3 litros de querosene + 3 litros de √°gua.
  • Preparo: derreta o sab√£o picado numa panela com √°gua. Quando estiver completamente derretido, desligue o fogo e acrescente o querosene mexendo bem a mistura.
  • Aplica√ß√£o: em seguida, para a sua utiliza√ß√£o, dissolva 1 litro dessa emuls√£o em 15 litros de √°gua, repetindo a aplica√ß√£o com intervalos de 7 dias. No caso de hortali√ßas e medicinais, aconselha-se respeitar um intervalo m√≠nimo de 12 dias antes da colheita.

Receita 4 – como inseticida de contato para sugadores: √°caros, pulg√Ķes e cochonilhas. 

  • Ingredientes: 500 g de sab√£o + 8 litros de querosene + 4 litros de √°gua.
  • Preparo a quente: ferver e dissolver o sab√£o picado em 4 litros de √°gua. Retirar do fogo e dissolver vigorosamente 8 litros de querosene, com a mistura ainda quente. Mexer vigorosamente a mistura quente, at√© formar uma emuls√£o perfeita.
  • Aplica√ß√£o: diluir para cada parte do produto 10 a 60 partes de √°gua.

Maria Beatriz Ayello Leite
Redação Ambientebrasil