Essa Praça é Nossa

 

 

Como já dizia Mokiti Okada em uma de suas citações “A consciência do Belo é o que de melhor existe para a elevação dos sentimentos humanos”. O Belo nessa citação é a natureza, por isso a importância de preserva – la e aprender a viver em harmonia com essa natureza.

Em 5 de julho de 1997 foi inaugurada a Praça Manoel Marques da Fonseca Junior, mais conhecida como a Praça Modelo de Pelotas, um projeto extremamente interessante para o município, de autoria de Gislaine Lopes Menezes e do Engenheiro Gilberto Cunha em sua Gestão na Associação de Engenheiros e Arquitetos de Pelotas. O projeto possui patrocínios das empresas Expresso Embaixador e Ecosul, as quais sempre buscaram ajudar, mostrando que são empresas cidadãs, e apoio da Associação dos Moradores das moradas de Nazareth. Ao citar Rogéria Taragano, felizmente parece que o discurso da responsabilidade social corporativa está se transformando em ação sob as mais diversas formas e resultante de diferentes forças.

O elemento propulsor que faz com que as empresas arregacem as mangas e se envolvam em assuntos aparentemente não ligados ao seu core business está muitas vezes no altruísmo de um fundador, na vontade de mudar o que está em volta de uma alma mais sensível na diretoria há mais tempo engajada no conceito de que o bom negócio é aquele que é bom para todos e não para apenas uma de suas partes.O exercício da Cidadania Empresarial está na atuação eficaz da empresa em duas maneiras: a gestão da responsabilidade social interna e a mesma externa. A responsabilidade social interna focaliza o público interno da empresa, seus empregados e dependentes.

O seu objetivo é motivá-los para um desempenho ótimo, criar um ambiente agradável de trabalho e contribuir para seu bem-estar. Com isso a empresa ganha a sua dedicação, empenho e lealdade. A responsabilidade social externa tem como foco o local onde ela está situada. Assim, quando uma empresa atua em ambas as dimensões adquire um status de empresa-cidadã. Quanto mais empresas trabalharem para ajudar sua comunidade, maior serão os benefícios para a comunidade e também para a empresa.

O projeto da Praça Modelo está até hoje sendo desenvolvido na Praça Manoel Marques da Fonseca Junior e tem como objetivo despertar nas crianças a necessidade de respeito com a natureza ou o belo, a importância da horta natural, e da melhoria sócio-ambiental.

O projeto da Praça modelo de Pelotas possui sub-projetos como, por exemplo, as visitas ecológicas, aonde as escolas inscritas no projeto, que hoje são 12, poderão participar. Um ônibus da Empresa Expresso Embaixador busca e leva as crianças para essa visita na praça, aonde as crianças terão aulas no projeto Horta natural no Mini Horto com doações de sementes do Instituto Souza Cruz, conhecerão a Biblioteca Infantil do Meio Ambiente que recebeu doações de livros da Fundação O Boticário, poderão participar da Gincana Social desenvolvida pela ONG Voluntários Sorriso da Criança, terão oficinas de reciclagem e sua importância e como fazer brinquedos com materiais recicláveis, poderão assistir aulas de capoeira, taekwondo e dança com a academia Personal Fitness. Ao final do ano o envolvimento do corpo dicente e docente da escola com o projeto será avaliado e a escola que tiver maior integração com o projeto receberá o Troféu Destaque da Praça Modelo 2004.

Podemos observar que dos últimos trinta anos até o dia de hoje, a sociedade passa por uma crise ambiental e sócio-econômica, que questiona o conceito de “desenvolvimento” social.

Entramos assim na era do desenvolvimento sustentável, que consiste no equilíbrio da vida de um ser humano na sociedade e no seu habitat.

Diante dessa realidade faz-se necessário à atuação da Educação Ambiental na formação de cidadãos conscientes, que saibam conviver em harmonia com a natureza e possam retirar dela seu sustento. Porque na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma, aconselhou sabidamente Lavoisier. Com certeza, quando disse esta frase, a maior parte da terra do planeta ainda era fértil. Hoje sabemos que já não é assim. O homem sugou e continua sugando a terra, sem refletir que precisa devolver a ela tudo o que dela retira; existem pessoas que ainda não tem o costume de separar lixo, reciclar, preservar e produzir hortas naturais.

A consciência ecológica é de fundamental importância na formação de um aluno que será um formador de opinião em um futuro próximo. Com isso podemos dizer que a Praça Modelo de Pelotas está desenvolvendo um importante papel na formação dessas crianças, proporcionando uma Educação sócio-Ambiental, e atuando junto ao município. Quem sabe esse projeto será o primeiro de muitos em Pelotas e em outras cidades, porque essa praça é nossa, é para Pelotas.

 

Roberta Hanke e Sandra Barbosa