Ambiente Unidades de Conservação

Estação Ecológica da Ilha Maracá

Esta unidade foi criada para preservação de amostra representativa do ecossistema Amazônico, tendo como foco zonas de ecótone. É constituída pela Ilha de Maracá, pelas ilhas e ilhotas situadas no Rio Uraricoera e pelos Furos de Santa Rosa e Maracá.

Envie para um amigo

Região: Norte

Estado: Roraima

Município:
Boa Vista

Bioma: Floresta Amazônia e Cerrado

Área: 101.312 ha

Criação: Decreto 86.061 (02/06/1981)

Unidade de Proteção Integral


Partindo de Boa Vista, percorre-se aproximadamente 65 Km de rodovia asfaltada (RR-205); o percurso restante de 75 Km é realizado na RR-343, passando por comunidades indígenas e fazendas até atingir o rio Uraricoera, onde é feita a travessia para a unidade.

Um dos fatores determinantes do clima da região de Maracá, reside na altitude dos contrafortes da serra de Pacaraíma, que impede que os ventos úmidos que sopram do nordeste para sudeste proporcionem precipitações mais periódicas sobre a ilha.Possui um relevo de elevações de topo convexo e vertentes de declive relativamente fraco, assumindo aspecto de um mar de colinas com cobertura de floresta tropical densa, capaz de produzir em fotografias aéreas e no próprio terreno, um certo mascaramento da topografia.

Encontra-se situada na confluência de duas formações vegetacionais, a savana de Roraima-Rupununi e a floresta Amazônica. Porém, aproximadamente 95% da ilha está coberta por floresta e unicamente uma pequena área está ocupada por formações de savana, as quais são dominantes fora da estação, ao sul e ao leste da ilha. A vasta malha fluvial que envolve a ilha é o habitat de várias espécies de Quelônios.

A ilha também é rica em répteis e ictiofauna, além de possuir mamíferos importantes como a onça pintada ou jaguar (Panthera onca). A pressão antrópica sobre a fauna nos limites geográficos da ilha pode ser considerada muito pequena.

Atualmente, existe uma ameaça incipiente aos recursos naturais da unidade devido às atividades dos núcleos de colonização oficial e fazendas do entorno. Tem sido constatado que muitos garimpeiros estão usando o furo Santa Rosa como hidrovia para alcançarem o extremo oeste do rio Uraricoera. Talvez seja a unidade de conservação mais bem pesquisada da Amazônia Ocidental. Vários trabalhos científicos, envolvendo ampla área do conhecimento e um detalhado levantamento ecológico, possibilitaram uma minuciosa investigação da fauna, flora e outros recursos da ilha.

Ibama - www.ibama.gov.br



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.