Ambiente Energia

Tecnologia nova para elevar a Produção dos Poços Submarinos

A Petrobrás iniciou a operação do protótipo de um sistema de separação e bombeamento de óleo e gás, instalado no fundo do mar, que proporciona a elevação da produção de óleo e gás, ao reduzir a contrapressão na cabeça dos poços.

Envie para um amigo

 

A Petrobrás iniciou a operação do protótipo de um sistema de separação e bombeamento de óleo e gás, instalado no fundo do mar, que proporciona a elevação da produção de óleo e gás, ao reduzir a contrapressão na cabeça dos poços. Instalado no Campo de Marimbá, na Bacia de Campos, o sistema elevou em 27% a produção do poço MA-1, situado em lâmina d’água de 410 metros, que passou de 4.700 para 5.970 barris diários, no início da operação. A equipe do projeto considera que esse ganho deverá ser ainda maior, nos próximos dias. Se os testes continuarem registrando sucesso, em seis meses essa nova tecnologia estará aprovada e disponível para utilização em toda a companhia, permitindo elevar a vazão dos poços produtores submarinos.

 

q

Denominado VASPS (Vertical Annular Separation and Pumping System) o projeto foi desenvolvido em parceria com outras companhias internacionais de petróleo (BP, Conoco, Agip, Mobil e Baker Jardine) através de projeto multicliente e foi dividido em quatro fases. A Petrobras participa desde a segunda fase, que teve início em Janeiro de 1994, e foi responsável pela execução da atual fase submarina. Além das parcelas das operadoras, o projeto contou também com aporte financeiro da Comunidade Econômica Européia. Instalado em um poço “falso”, no fundo do mar, o VASPS promove a separação das fases gasosas e líquidas provenientes dos poços submarinos. A fração líquida é enviada para a plataforma através de uma bomba centrífuga submersa e a gasosa escoa por outra linha independente.


O sistema permite, também, reduzir a vazão do gás lift (destinado a aumentar a vazão do poço). O desenvolvimento do sistema na Petrobras foi coordenado por técnicos do seu Centro de Pesquisas (Cenpes) sob custódia do Programa de Capacitação para Águas Profundas (Procap 2000), com a participação de especialistas da área de Exploração e Produção (E&P). A contribuição tecnológica da Petrobras foi significativa para o êxito do projeto, destacando-se o desenho dos helicóides de separação (que é patente da Empresa) a especificação do sistema de controle (uma das partes mais críticas do projeto) e os procedimentos de instalação submarina, onde é evidente a especialização dos técnicos brasileiros.

Fonte: Petrobrás



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Energia Ação de Emergência Acidentes Ambientais Acidentes Nucleares Água Águas Profundas Álcool Álcool Etílico Alta pressão Alternativa Energéticas Ambientes Marinhos Angra I Angra II Angra III Aplicação Aproveitamento Armazenamento Arquitetura Bioclimática Artigo Aspectos Socioambientais Aterro Sanitário Atmosfera Modificada Ausência de Emissão Bacias Hidrográficas Biocombutível Biodiesel Biodigestores Biomas Biomassa CaC's Calor da Terra Cana de Açúcar Carvão Carvão Mineral Célula Combustível Célula Fotovoltaica Centro de Defesa Ambiental Césio 137 Chernobyl Co-processamento de resíduos Cogeração Coleta Seletiva Coletor Solar Combustíveis fósseis Combustível Combustível Ecológico Combustível Nuclear Combustível Renovável Combustível Veicular Conservação Ambiental Consumo de Energia Consumo Energético Contaminação Hospitalar Contingências Controle Ambiental Controle de Qualidade Correntes Marítimas Crescimento Econômico Custos Demanda Energética Desenvolvimento Sustentável Distribuição Economia Efeito Fotovoltaico Efluentes Emissão de Gases Emissões de Poluentes Emprego Energia Energia Alternativa Energia Elétrica Energia Eólica Energia Geotérmica Energia Hidrica Energia Limpa Energia Maremotriz Energia não-renovável Energia Nuclear Energia Nucleoelétrica Energia Renovável Energia Solar Energias Renovavéis Engenharia Oceânicas Eólica Etanol Exploração Fauna Flora Marinha Fonte de Combustíveis Fonte não-renovável Fonte Renovável Fontes de Hidrogênio Fontes Energéticas Fontes Orgânicas Fontes Termais Formas de Enxofre Gás Hidrogênio Gás Natural Gases Gases de Efeito Estufa Gases para Embalagens Gasoduto GEE Geração de Energia Gestão ambiental Gestão de Segurança Grau Geotérmico Hidrografia História Horário de Verão Impactos Ambientais Indústria do Carvão Instalação Nuclear Lixo atômico Mar Material radioativo Matriz Energética Medicina Medidas de Segurança Meio Ambiente Mineração Mudanças Climáticas Navios Normas Ambientais O que é Paraná Petróleo Plano de Contingência Plataforma de Exploração Política Energética Potencial Energético Potencial Eólico Potencial Hidrico Potencial Solar Preservação Ambiental PROÁLCOOL Produção de Energia Produção de Gás Produtos Programa de Excelência Projetos ambientais Radiação Nuclear Reciclagem Recuperação Ambiental Recuperação do Óleo Recurso Eólico Recursos Energéticos Recursos Hídricos Recursos Renováveis Redução de Emissão Região Carbonífera Regulamentação Reserva Geológica Reservas Reservatórios Subterrâneos Resfriamento Resíduos Resíduos Agrícolas Resíduos oleosos Resumo Rio Grande do Sul Saneamento Ambiental Setor Agropecuário Setor Transporte Sindicatos Sistema de Cogeração Tecnologia Nuclear Teor de Carbono Termelétrica Three Mile Island Transporte Tratamento de Água Tratamento de Efluentes Tratamento de Resíduos Sólidos Tratamento do Ar Usina Elétrica Usina Nuclear Usinas Eólicas Usinas Termelétricas Vantagens Vazamentos de Óleo Yellow cake Zero Poluição

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.