Ambiente Educação

Árvore Educacional - Caule

O caule é um órgão vegetativo, geralmente aéreo, clorofilado quando jovem e aclorofilado quando adulto. As gemas são locais que dão origem ao desenvolvimento de partes vegetativas da planta, dependendo da espécie.

Envie para um amigo

 

 

q

O que é?

O caule é um órgão vegetativo, geralmente aéreo, clorofilado quando jovem e aclorofilado quando adulto. As gemas são locais que dão origem ao desenvolvimento de partes vegetativas da planta, dependendo da espécie.

 

Suas Funções

a) Sustentação (= suporte) - folha, flores e frutos.

b) Condução de seivas bruta (xilema) e elaborada (floema).

c) Fotossíntese: os caules jovens e caules adultos de plantas herbáceas (que são verdes, como as folhas) são capazes de produzir seu próprio alimento, e para isso são dotados de pigmentos (clorofilas - pigmento verde) capazes de captar a energia solar e a partir de substâncias inorgânicas simples (água e gás carbônico), transformá-la em alimento orgânico.

d) Reserva nutritiva em alguns casos como das batatas, das cebolas, dos alhos, etc.

 

Suas Partes

Nó: local onde se inserem as folhas.

Entre-nó: porção entre os nós.

Gema ou broto apical (= terminal): folhas apicais em formação.

Gema ou broto lateral (= axilar): folhas laterais em formação.

 

Classificação do Caule

São classificados quanto ao porte em:

  • Herbáceos: caules não lignificados, verdes, flexíveis e caracterizam as plantas herbáceas.
  • Lenhosos: caules lignificados, rígidos, porte geralmente avantajado, caracterizam arbustos e árvores.

São classificados quanto ao meio em:

  • Subterrâneos ou hipógeos: Os caules subterrâneos, assim como as raízes, contêm normalmente uma grande reserva nutritiva e podem ser utilizados na alimentação humana. Desenvolvem-se, assim como as raízes, imersos na terra, sem luz solar, a exemplo das batatas (tubérculos) e das cebolas (bulbos).
  • Aéreos ou epígeos: Os caules aéreos são todos aqueles que crescem em sentido radial, indo em direção à luz, como os troncos das árvores.
  • Aquáticos ou hidróbios: caules de plantas aquáticas.

 

Subterrâneos ou hipógeos

a) Rizomas: caules levemente cilíndricos, que se desenvolvem paralelo ao solo, podendo emitir ramos aéreos a partir da gema apical ou das gemas laterais. Ex.: samambaias, bananeiras e íris.

b) Tubérculos: caules arredondados, hipertrofiados, que acumulam substâncias de reserva (amido). Apresentam saliências denominadas olhos ou brotos (gemas). Ex.: batatas, cará, inhame.

c) Bulbos: são estruturas complexas subterrâneas, onde uma porção denominada prato, representa o caule. O prato é envolvido por folhas modificadas, os catáfilos, suculentos, que armazenam substâncias de reserva. Ex.: cebola, alho, lírio.

d) Cormos: semelhantes aos bulbos, alguns autores os consideram bulbos maciços. São comparados aos rizomas que sofreram encurtamento. Possui catáfilos secos e bem menores que os bulbos. Ex.: palma-de-santa-rita, açafrão.

f) Xilopódio: caule típico do cerrado e nordeste, são caules hipertrofiados que armazenam água. Quando ocorre queimadas a planta tem condições de se refazer. Ex.: maniçoba.

 

Aéreos ou epígeos

1. Eretos Normais

          a) Tronco: caule lenhoso e resistente, ex.: ipês, paineiras, pinheiros, etc.

          b) Haste: caule geralmente verde, pouco resistente. Ex.: margarida, copo-de-leite, etc.

          c) Colmo: caule lenhoso, com nós cheios (como a cana-de-açúcar) ou ocos (como o bambú), é característico das monocotiledôneas.

          d) Estipe: caule lenhoso, longo, não ramificado, com folhas no ápice, característicos das palmeiras (Família Arecaceae).

2. Eretos Modificados

        a)Cladódios: Caules verdes e suculentos, com folhas reduzidas a espinhos ou sem folhas, que acumulam água. Ex.:cactus.

        b) Filocladódios ou filocládios: são cladódios achatados, são projeções do caule verde que parecem folhas. Ex.: aspargo ornamental.

        c) Alados: é uma haste verde com expansão alada, sem reserva. Ex.: carqueja.

        d) Espinhos: formações pontiagudas originadas dos tecidos endógenos do caule, com função de proteção. Ex.: limoeiro, laranjeira.

        e) Gavinhas: ramos filamentosos, herbáceos, sem folhas, que servem como elementos de fixação. Ex.: uva.

3. Trepadores

          a) Volúvel: caule desprovido de órgãos de fixação, apenas enrolando-se em espiral quando encontra suporte. Pode ser dextrógiro , quando enrola-se para a direita, ou levógiro, quando o faz para a esquerda. Ex.: feijão.

          b) Sarmentoso: caules que apresentam elementos de fixação ao longo de seu crescimento, como gavinhas (chuchu) e raízes grampiformes (hera).

4. Rastejantes

          a) Prostrados ou caídos: crescem horizontalmente ao solo por serem pouco resistentes para manterem-se eretos. Não possuem elementos de fixação ao longo do caule. Ex.: melancias, abóboras (Cucurbitaceae).

          b) Estoloníferos: apresentam nós, onde se formam raízes e funciona como elemento de reprodução vegetativa. Ex.: morangueiro, hortelã, trevinho.

 

Aquáticos ou hidróbios: Geralmente pouco desenvolvidos, tenros, quase sempre clorofilados, com aerênquimas, facilitando a flutuação do vegetal. Ex.: nenúfar e plantas aquáticas em geral, exceto a vitória-régia (que não possui caule).

 

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Educação 60's 70's 80's 90's Acre Agenda 21 Agricultura Agronomia Água Alagoas Alimento Amapá Amazonas Ambientais Ambiental Ambiente Anos Aproveitamento de água Aquicultura Área de Preservação Arqueologia Arqueólogo Arquiteto Arquitetura Artigo Árvore Educacional Bahia Bibliografia Bibliotecas Biodiversidade Biologo Bioprocessos Biotecnologia Cadeia alimentar Calendário Capacitação Profissional Cartilha Cartografia Caule Ceará Ciências Ciências do mar Combate a pragas Comemorativas Consciência Consciência Ecológica Conservação Conservação Ambiental Consumidores Consumo Sustentável Cultura Data Datas Dengue Desenvolvimento Sustentável Desordenada Dinheiro Distrito Federal Diversidade Biológica Doenças Dúvidas Eclipse Ecologia Economia Ecosistema Educação Educação Ambiental Engenharia Escola Espírito Santo Estações do Ano Estado Fauna Feriado Festa Junina Financiamento Flor Florestal Florestas Foco do mosquito Fogos Fogueiras Folha Fotografia Frutas Nativas Fruto Geofísica Geografia Geologia Gerenciamento Ambiental Gestão ambiental Glossário Goiás História Impactos Ambientais Incorporação do EA Industrial Inserção de critérios ambientais e sociais Inserção Profissional Instituições Interespecíficos Internacional Intra-específicos Legislação Lei Ambiental Leitura Links Livros Madeira Madeireira Manacial Mato Grosso Meio Ambiente Meio-Ambiente Minas Gerais Mundo Núcleos O que é Oceanografia Pantanal Pará Paraíba Paraná Patrimônio Percepção Perguntas Pernambuco Pesca Piauí Políticas Ambientais Praia Prêmio Prêmio Ambiental Preservação Ambiental Preservação do Meio Ambiente Prevenção Profissionais Programa identificado como A3P Projetos Projetos ambientais Proteção Proteção ao meio-ambiente Qualidade Ambiental Qualidade da água Quimica Racismo Raíz Real Reciclagem Recursos Hídricos Recursos Naturais Responsabilidade Ambiental Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Riscos Ambientais Rondônia Roraima Rural Sanitária Santa Catarina São Paulo Satisfação Selos Sementes Sensibilização Sergipe Socio-ambiental Sustentabilidade Tecnologia Tecnólogo Textos Educativos Tocantins Tráfico de animais Tratamento de Efluentes Urbanização Uso Sustentável de Recursos Naturais Zona Costeira

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.