Árvore Educacional – Folha

 

 

O que é?

As folhas são órgãos vegetativos, geralmente laminares, que formam a parte aérea da planta. Tem sua origem nos meristemas primários, protuberâncias arredondadas do eixo caulinar chamados de primórdios foliares.

Cada espécie possui folhas de formato e tamanho particulares, que são elementos fundamentais para a sua identificação e classificação

q

Suas Funções

  • Fotossíntese: os vegetais são seres autotróficos (capazes de produzir seu próprio alimento), e para isso são dotados de pigmentos (clorofilas, carotenóides e ficobilinas) capazes de captar a energia solar e a partir de substâncias inorgânicas simples (água e gás carbônico), transformá-la em alimento orgânico.
  • Respiração: entrada de oxigênio e saída de gás carbônico, através de estruturas especializadas denominadas estômatos.
  • Transpiração: perda de água em forma de vapor.
  • Gutação ou Sudação: perda de água em forma de líquido e ocorre apenas com alguns vegetais.

 

Suas Partes

As folhas podem ser compostas por 4 partes:

  • Estípula (apêndices localizados na base da folha, geralmente com função de proteção, podendo algumas vezes transformar-se em espinhos);
  • Bainha (base de inserção no caule);
  • Pecíolo (pedúnculo);
  • Limbo (lâmina foliar).

As folhas que contenham essas 4 partes são chamadas de completas e aquelas que faltam uma ou mais partes são chamadas de incompletas. O menos freqüente é a ausência de limbo e mais freqüente é a falta das estípulas.

 

Classificação das Folhas

As folhas podem ser classificadas quanto ao:

 

1. Aspecto do limbo:

          1. Simples: com limbo e pecíolo simples.

          2. Compostas: com o limbo dividido em folíolos independentes e pecíolo ramificado:

              a. Digitada: com cinco folíolos, lembrando uma mão.

              b. Imparipenadas: com folíolos em número ímpar;

              c. Paripenadas: com folíolos em número par;

 

2. Forma do limbo (folha simples):

          1. Acicular: em forma de agulha (araucária).

          2. Assimétrica: com as duas metades do limbo desiguais (begônia, feijão).

          3. Lanceolada: em forma de lança (limoeiro).

          4. Oblonga: quando a forma é mais ou menos circular (cocóloba).

          5. Obovada: com a forma de um oval invertido (jacarandá).

          6. Orbicular: quando a forma é mais ou menos circular (aguapé).

          7. Ovalada: forma do contorno de um ovo e o pecíolo inserido na extremidade mais larga (pereira).

          8. Peltada: em forma arredondada e o pecíolo inserido quase no centro do limbo, de onde partem as nervuras (capuchinha).

 

3. Nervação (folha simples):

         1. Curvinérvea: as nervuras são curvas desde a base do limbo até o ápice, e simétricas em relação a nervura principal ou mediana. Ex.: quaresmeira.

       2. Palminérvea: quando as nervuras se irradiam do ponto de inserção do pecíolo, distribuindo-se, no limbo, sempre em número ímpar, como os dedos separados da mão. Ex.: mandioqueira, mamona.

         3. Paralelinérvea: as nervuras se dispõem paralelamente no limbo. Ex.: monocotiledôneas.

         4. Peltinérvea: as nervuras partem radialmente do cento do limbo. Ex.: vitória-régia.

        5. Peninérvea: nervura principal, que se distingue das demais, se originam as secundárias e destas as terciárias, lembrando a disposição das barbas de uma pena de ave. Ex.: maioria das dicotiledôneas.

          6. Uninérvea: apresenta apenas uma nervura central. Ex.: folha de cravo.

 

4. Filotaxia (disposição das folhas no caule):

          1. Alterna: uma folha por nó.

          2. Alterna espiralada: folhas em nós diferentes, formando uma espiral.

          3. Oposta simples: duas folhas se inserem no mesmo nó, mas em oposição, uma de frente para a outra.

          4. Oposta cruzada: cada par cruza-se com o par seguinte, em ângulo reto, formando uma cruz.

          5. Verticilada: três ou mais folhas se inserem no mesmo nó.

 

5. Tamanho do pecíolo:

          1. Brevipeciolada: quando o pecíolo é menor que a quarta parte do comprimento da lâmina foliar.

          2. Medipeciolada: quando o pecíolo é igual a quarta parte do comprimento da lâmina foliar.

          3. Longipeciolada: quando o pecíolo é maior ou igual ao comprimento da lâmina foliar.

 

6. Ramificações do pecíolo:

          1. Simples

          2. Composto

              a. Acrômero: os folíolos partem do mesmo ponto do pecíolo.

              b. Raquímero: os folíolos partem de diferentes pontos do pecíolo.

 

7. Pilosidade

          1. Glabra: sem pêlos.

          2. Pilosa: com pêlos em alguma superfícies (abaxial e/ou adaxial).

 

8. Coloração

          1. Concolor: uma única cor.

          2. Discolor: duas cores diferentes.

          3. Variegada: três ou mais cores.

 

9. Consistência

          1. Cartácea: quando finas e rígidas e se forem quebradiças.

          2. Coriácea: folhas espessas, consistentes, rígidas mas flexíveis, como couro.

          3. Crassa ou suculenta: espessas, submoles, ricas em água ou sucos diversos, como as da babosa, folha-da-fortuna.

          4. Membranácea: lembrando a consistência de uma membrana, finas, resistentes e flexíveis.

          5. Papirácea: de espessura mediana, são mais ou menos moles, como na maioria das folhas.

 

10. Duração

          1. Caduca: as folhas geralmente caem em algumas épocas do ano.

          2. Persistente: as folhas geralmente permanecem na planta o ano todo.

 

11. Quanto à margem

          1. Pinatífidas: margem com ¼ fendida.

          2. Pinatissectas: com ½ fendida.

          3. Decomposta: com ¾ fendida.

 

12. Quanto ao ápice

          1. Agudo: terminando em ponta e com os lados retos ou levemente convexos.

          2. Arredondado: quando termina por um segmento de círculo.

          3. Assimétrico: quando os lados do ápice são desiguais.

          4. Atenuado: quando o ápice não é angular.

          5. Emarginado: quando possui um reentrância pouco profunda, no vértice.

       6. Mucronado: quando o ápice se apresenta truncado e com uma saliência estreita, bem distinta, mais ou menos no centro.

          7. Obtuso: quando o ápice é mais ou menos arredondado e o ângulo formado maior que noventa graus.

 

13. Quanto à base

          1. Aguda: margens formando ângulos menores que 90 graus.

          2. Arredondada

          3. Assimétrica: quando os lados do limbo são desiguais.

          4. Cuneada: com a base do limbo estreitando-se para o pecíolo, lembrando o corte transversal de uma cunha.

          5. Decurrente: quando a base do limbo continua para baixo unida ao caule.

          6. Lobada: base reentrante, com lobos arredondados.

          7. Obtusa: quando se apresenta arqueada, sendo o ângulo externo com o pecíolo maior que 90 graus.

          8. Sagitada: quando as aurículas formam um ângulo agudo, lembrando a ponta de um seta.

 

 

14. Quanto à borda

          1. Crenada: quando o recorte é arredondado ou obtuso. Se os recortes são bem pequenos, o bordo denomina-se crenulado.

          2. Denteada: quando os recortes são agudos e direitos. Denticulado, se os dentes são finos.

          3. Espinescente- com espinhos nas margens.

          4. Lisa

          5. Revoluta: quando a borda é enrolada (para cima ou para baixo).

          6. Serreada: quando se apresenta como os dentes de uma serra. Serrilhado, se os dentes são de tamanho pequeno.

 

Podem ocorrer algumas modificações na morfologia das folhas. Exemplos:

 

  • Brácteas: folhas coloridas modificadas para atrair os insetos para a polinização (três-marias);
  • Catáfilos: protegem a gema nos bulbos tunicados (cebola e alho);
  • Escamas: protegem as gemas dos bulbos (lírio);
  • Espata: forma um proteção para a inflorescência (copo-de-leite);
  • Espinhos: para a defesa e evitar a perda de água (cactos);
  • Gavinhas: para a sustentação (ervilha).

 

 

Redação Ambiente Brasil