Ambiente Educação

Árvore Educacional - Folha

Cada espécie possui folhas de formato e tamanho particulares, que são elementos fundamentais para a sua identificação e classificação.

Envie para um amigo

 

 

O que é?

As folhas são órgãos vegetativos, geralmente laminares, que formam a parte aérea da planta. Tem sua origem nos meristemas primários, protuberâncias arredondadas do eixo caulinar chamados de primórdios foliares.

Cada espécie possui folhas de formato e tamanho particulares, que são elementos fundamentais para a sua identificação e classificação

q

Suas Funções

  • Fotossíntese: os vegetais são seres autotróficos (capazes de produzir seu próprio alimento), e para isso são dotados de pigmentos (clorofilas, carotenóides e ficobilinas) capazes de captar a energia solar e a partir de substâncias inorgânicas simples (água e gás carbônico), transformá-la em alimento orgânico.
  • Respiração: entrada de oxigênio e saída de gás carbônico, através de estruturas especializadas denominadas estômatos.
  • Transpiração: perda de água em forma de vapor.
  • Gutação ou Sudação: perda de água em forma de líquido e ocorre apenas com alguns vegetais.

 

Suas Partes

As folhas podem ser compostas por 4 partes:

  • Estípula (apêndices localizados na base da folha, geralmente com função de proteção, podendo algumas vezes transformar-se em espinhos);
  • Bainha (base de inserção no caule);
  • Pecíolo (pedúnculo);
  • Limbo (lâmina foliar).

As folhas que contenham essas 4 partes são chamadas de completas e aquelas que faltam uma ou mais partes são chamadas de incompletas. O menos freqüente é a ausência de limbo e mais freqüente é a falta das estípulas.

 

Classificação das Folhas

As folhas podem ser classificadas quanto ao:

 

1. Aspecto do limbo:

          1. Simples: com limbo e pecíolo simples.

          2. Compostas: com o limbo dividido em folíolos independentes e pecíolo ramificado:

              a. Digitada: com cinco folíolos, lembrando uma mão.

              b. Imparipenadas: com folíolos em número ímpar;

              c. Paripenadas: com folíolos em número par;

 

2. Forma do limbo (folha simples):

          1. Acicular: em forma de agulha (araucária).

          2. Assimétrica: com as duas metades do limbo desiguais (begônia, feijão).

          3. Lanceolada: em forma de lança (limoeiro).

          4. Oblonga: quando a forma é mais ou menos circular (cocóloba).

          5. Obovada: com a forma de um oval invertido (jacarandá).

          6. Orbicular: quando a forma é mais ou menos circular (aguapé).

          7. Ovalada: forma do contorno de um ovo e o pecíolo inserido na extremidade mais larga (pereira).

          8. Peltada: em forma arredondada e o pecíolo inserido quase no centro do limbo, de onde partem as nervuras (capuchinha).

 

3. Nervação (folha simples):

         1. Curvinérvea: as nervuras são curvas desde a base do limbo até o ápice, e simétricas em relação a nervura principal ou mediana. Ex.: quaresmeira.

       2. Palminérvea: quando as nervuras se irradiam do ponto de inserção do pecíolo, distribuindo-se, no limbo, sempre em número ímpar, como os dedos separados da mão. Ex.: mandioqueira, mamona.

         3. Paralelinérvea: as nervuras se dispõem paralelamente no limbo. Ex.: monocotiledôneas.

         4. Peltinérvea: as nervuras partem radialmente do cento do limbo. Ex.: vitória-régia.

        5. Peninérvea: nervura principal, que se distingue das demais, se originam as secundárias e destas as terciárias, lembrando a disposição das barbas de uma pena de ave. Ex.: maioria das dicotiledôneas.

          6. Uninérvea: apresenta apenas uma nervura central. Ex.: folha de cravo.

 

4. Filotaxia (disposição das folhas no caule):

          1. Alterna: uma folha por nó.

          2. Alterna espiralada: folhas em nós diferentes, formando uma espiral.

          3. Oposta simples: duas folhas se inserem no mesmo nó, mas em oposição, uma de frente para a outra.

          4. Oposta cruzada: cada par cruza-se com o par seguinte, em ângulo reto, formando uma cruz.

          5. Verticilada: três ou mais folhas se inserem no mesmo nó.

 

5. Tamanho do pecíolo:

          1. Brevipeciolada: quando o pecíolo é menor que a quarta parte do comprimento da lâmina foliar.

          2. Medipeciolada: quando o pecíolo é igual a quarta parte do comprimento da lâmina foliar.

          3. Longipeciolada: quando o pecíolo é maior ou igual ao comprimento da lâmina foliar.

 

6. Ramificações do pecíolo:

          1. Simples

          2. Composto

              a. Acrômero: os folíolos partem do mesmo ponto do pecíolo.

              b. Raquímero: os folíolos partem de diferentes pontos do pecíolo.

 

7. Pilosidade

          1. Glabra: sem pêlos.

          2. Pilosa: com pêlos em alguma superfícies (abaxial e/ou adaxial).

 

8. Coloração

          1. Concolor: uma única cor.

          2. Discolor: duas cores diferentes.

          3. Variegada: três ou mais cores.

 

9. Consistência

          1. Cartácea: quando finas e rígidas e se forem quebradiças.

          2. Coriácea: folhas espessas, consistentes, rígidas mas flexíveis, como couro.

          3. Crassa ou suculenta: espessas, submoles, ricas em água ou sucos diversos, como as da babosa, folha-da-fortuna.

          4. Membranácea: lembrando a consistência de uma membrana, finas, resistentes e flexíveis.

          5. Papirácea: de espessura mediana, são mais ou menos moles, como na maioria das folhas.

 

10. Duração

          1. Caduca: as folhas geralmente caem em algumas épocas do ano.

          2. Persistente: as folhas geralmente permanecem na planta o ano todo.

 

11. Quanto à margem

          1. Pinatífidas: margem com ¼ fendida.

          2. Pinatissectas: com ½ fendida.

          3. Decomposta: com ¾ fendida.

 

12. Quanto ao ápice

          1. Agudo: terminando em ponta e com os lados retos ou levemente convexos.

          2. Arredondado: quando termina por um segmento de círculo.

          3. Assimétrico: quando os lados do ápice são desiguais.

          4. Atenuado: quando o ápice não é angular.

          5. Emarginado: quando possui um reentrância pouco profunda, no vértice.

       6. Mucronado: quando o ápice se apresenta truncado e com uma saliência estreita, bem distinta, mais ou menos no centro.

          7. Obtuso: quando o ápice é mais ou menos arredondado e o ângulo formado maior que noventa graus.

 

13. Quanto à base

          1. Aguda: margens formando ângulos menores que 90 graus.

          2. Arredondada

          3. Assimétrica: quando os lados do limbo são desiguais.

          4. Cuneada: com a base do limbo estreitando-se para o pecíolo, lembrando o corte transversal de uma cunha.

          5. Decurrente: quando a base do limbo continua para baixo unida ao caule.

          6. Lobada: base reentrante, com lobos arredondados.

          7. Obtusa: quando se apresenta arqueada, sendo o ângulo externo com o pecíolo maior que 90 graus.

          8. Sagitada: quando as aurículas formam um ângulo agudo, lembrando a ponta de um seta.

 

 

14. Quanto à borda

          1. Crenada: quando o recorte é arredondado ou obtuso. Se os recortes são bem pequenos, o bordo denomina-se crenulado.

          2. Denteada: quando os recortes são agudos e direitos. Denticulado, se os dentes são finos.

          3. Espinescente- com espinhos nas margens.

          4. Lisa

          5. Revoluta: quando a borda é enrolada (para cima ou para baixo).

          6. Serreada: quando se apresenta como os dentes de uma serra. Serrilhado, se os dentes são de tamanho pequeno.

 

Podem ocorrer algumas modificações na morfologia das folhas. Exemplos:

 

  • Brácteas: folhas coloridas modificadas para atrair os insetos para a polinização (três-marias);
  • Catáfilos: protegem a gema nos bulbos tunicados (cebola e alho);
  • Escamas: protegem as gemas dos bulbos (lírio);
  • Espata: forma um proteção para a inflorescência (copo-de-leite);
  • Espinhos: para a defesa e evitar a perda de água (cactos);
  • Gavinhas: para a sustentação (ervilha).

 

 

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Educação 60's 70's 80's 90's Acre Agenda 21 Agricultura Agronomia Água Alagoas Alimento Amapá Amazonas Ambientais Ambiental Ambiente Anos Aproveitamento de água Aquicultura Área de Preservação Arqueologia Arqueólogo Arquiteto Arquitetura Artigo Árvore Educacional Bahia Bibliografia Bibliotecas Biodiversidade Biologo Bioprocessos Biotecnologia Cadeia alimentar Calendário Capacitação Profissional Cartilha Cartografia Caule Ceará Ciências Ciências do mar Combate a pragas Comemorativas Consciência Consciência Ecológica Conservação Conservação Ambiental Consumidores Consumo Sustentável Cultura Data Datas Dengue Desenvolvimento Sustentável Desordenada Dinheiro Distrito Federal Diversidade Biológica Doenças Dúvidas Eclipse Ecologia Economia Ecosistema Educação Educação Ambiental Engenharia Escola Espírito Santo Estações do Ano Estado Fauna Feriado Festa Junina Financiamento Flor Florestal Florestas Foco do mosquito Fogos Fogueiras Folha Fotografia Frutas Nativas Fruto Geofísica Geografia Geologia Gerenciamento Ambiental Gestão ambiental Glossário Goiás História Impactos Ambientais Incorporação do EA Industrial Inserção de critérios ambientais e sociais Inserção Profissional Instituições Interespecíficos Internacional Intra-específicos Legislação Lei Ambiental Leitura Links Livros Madeira Madeireira Manacial Mato Grosso Meio Ambiente Meio-Ambiente Minas Gerais Mundo Núcleos O que é Oceanografia Pantanal Pará Paraíba Paraná Patrimônio Percepção Perguntas Pernambuco Pesca Piauí Políticas Ambientais Praia Prêmio Prêmio Ambiental Preservação Ambiental Preservação do Meio Ambiente Prevenção Profissionais Programa identificado como A3P Projetos Projetos ambientais Proteção Proteção ao meio-ambiente Qualidade Ambiental Qualidade da água Quimica Racismo Raíz Real Reciclagem Recursos Hídricos Recursos Naturais Responsabilidade Ambiental Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Riscos Ambientais Rondônia Roraima Rural Sanitária Santa Catarina São Paulo Satisfação Selos Sementes Sensibilização Sergipe Socio-ambiental Sustentabilidade Tecnologia Tecnólogo Textos Educativos Tocantins Tráfico de animais Tratamento de Efluentes Urbanização Uso Sustentável de Recursos Naturais Zona Costeira

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.