PVCFF – Projeto Velho Chico da Fonte a Foz

 

O que é?

A realização de um sonho! Seguir as águas do rio São Francisco que brotam da terra no interior de Minas Gerais, atravessam o sertão brasileiro, até onde elas se encontram com o mar é muito mais que uma aventura, é um privilégio que me permitirá conhecer melhor o nosso país, nosso povo, nossa história, nossa cultura e até mesmo o nosso futuro. 

 

Porque o rio São Francisco?

q

Também conhecido como o Rio da Integração Nacional ou Rio dos Currais, era chamado pelos índios de Opará, Rio Mar, desde seu descobrimento por Américo Vespúcio em 04 de outubro de 1501 o Rio São Francisco tornou-se uma das principais vias de penetração para o interior. É o maior rio totalmente brasileiro com mais de 2.700 km. Suas águas banham cinco estados brasileiros (Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe) em duas regiões (Sudeste e Nordeste). É o principal gerador de energia elétrica para o Nordeste. Em suas margens, alem da flora inestimável, encontra-se uma variada fauna. Animais como o Lobo-Guará, Veado Campeiro, Tamanduá-Bandeira, Ema, Pato-Mergulhão, Siriema, Tucano, Carcará, Pica-Pau do Campo, etc, alguns em processo de extinção, ainda podem ser vistos às margens do Velho Chico. Tudo isso me levou a escolher o Rio São Francisco. Sua importância natural, cultural e sócio-econômica, tornam o desafio de percorre-lo totalmente numa viagem sem igual.

 

Objetivos

Conhecer, fotografar e documentar todo trajeto, suas paisagens, a fauna, a flora, as pessoas que vivem às suas margens, a atual navegação, fazer um mapeamento da qualidade das águas do Velho Chico desde sua nascente até a sua foz, chamar a atenção das pessoas para a necessidade de preservação dos recursos naturais brasileiros e fazer um mapeamento completo da qualidade da água em todo o rio.

 

Plano de viagem

A nascente do Rio São Francisco, no Parque Nacional da Serra da Canastra, município de São Roque de Minas (MG), será o marco zero da expedição. Com a devida autorização do IBAMA (*), irei percorrer toda a extensão do rio que está dentro do parque caminhando por suas margens. Ao sair do parque, continuarei caminhando pela margem até Vargem Bonita (MG) onde poderei começar a navegar em segurança com uma canoa canadense. A partir daí todo o trajeto será percorrido a remo com paradas para pernoite e alimentação montando acampamento nas margens do rio. A transposição das barragens será feita com indicação e auxilio do pessoal da CHESF (*). O final da viagem ocorrerá na Praia do Peba (AL).

 

Data da viagem

Este tópico ainda não esta definido com exatidão, mas ao que tudo indica, a viagem deverá acontecer no segundo semestre de 2004. Como a expedição ainda está em fase de preparação, todo o planejamento deverá ser concluído antes da definição da data. Esta expedição está sendo custeada com meus recursos particulares, o que algumas vezes tem atrasado o projeto, mas já estou em fase final de aquisição dos equipamentos necessários e tudo deverá estar concluído até junho de 2004. A expedição deverá durar aproximadamente 4 meses.

 

Parcerias

O projeto está aberto a parcerias. Caso alguma empresa, instituição, ONG ou qualquer entidade achar que de alguma forma esse projeto possa lhe ser útil, quer seja na divulgação, coleta de dados, teste de equipamentos ou qualquer outra finalidade desde que não altere os interesses fundamentais do projeto e realmente haja interesse mutuo de participação no projeto o endereço para contato é avalanchejunior@hotmail.com

 

(*) Já foi feito contato com o pessoal do PNSC (Parque Nacional da Serra da Canastra) e da CHESF (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) precisando apenas serem informados oficialmente da data da viagem.