Bacia Hidrográfica: Pantanal

 

Localizada no centro da América do Sul, esta grande área alagada, das cabeceiras da Bacia do Prata, em aproximadamente 150.000 km2 constituindo-se em um complexo de lagos rasos, temporários ou permanentes, áreas alagadas, depressões inundadas e um vasto número de canais, rios, e outros sistemas alagados. Este é um dos sistemas continentais mais importantes dos pontos de vista ecológico, econômico e social. 

Neste sistema hidrológico peculiar, muitas características da região são fundamentais:

  • A variação do nível da água é de 6 a 8 metros. Há um grande transporte de sedimentos dos rios para áreas adjacentes;
  • Existe uma profunda diminuição da transparência durante o período de inundação;
  • Muitas áreas inundadas, rasas, permanecem secas durante o período de águas baixas.

A grande quantidade de biomassa exposta nesta situação, decompõe-se rapidamente. Os solos podem ser classificados como:

a) hidromórficos – solos lateriticos;

b) solos hidromórficos – verticais;

c) solos alinos.

As análises de vegetação baseadas em imagens de radar e com amostragens e observação, mostram quatro tipos de vegetação: savanas, savanas estépicas, floresta sazonal semidecídua e floresta sazonal decídua.

Clima tropical semi-úmido, e topografia dominada por algumas áreas de plateau, produziram um complexo de tipos de vegetação com quatro grupos principais:

a) matas de galeria, ao longo dos rios e dos acúmulos quaternários de sedimentos;

b) densa vegetação diversificada de baixa altitude – 150 m;

c) floresta sazonal semidecídua, localizada em solos férteis com densa mata e material em decomposição.

O material que se decompõe no solo durante períodos de seca, contribui extensivamente para o enriquecimento da água de inundação, durante o período de cheias. O principal rio que drena o Pantanal é o rio Paraguai. Os afluentes mais importantes na região leste são o rio Cuiabá, os rios Taquari, Miranda e Negro e o rio Apa. Os rios principais no oeste são o Jaurú, Cabaçal e Sepotuba. Os tributários que drenam terrenos cambrianos e dolomiticos, transportam água alcalina (pH 8,0 – 8,5) com alta condutividade elétrica. Os afluentes que drenam regiões com quartzitos dos grupos Paraná e Cuiabá, transportam água com baixo pH 5,4 e condutividade também baixa.

Três processos fundamentais são importantes para o funcionamento do Pantanal:

  • As flutuações de nível da água que interferem decisivamente na estrutura e no funcionamento dos lagos; a principal função de força é a flutuação de nível da água. O influxo de nutrientes durante estes períodos de inundação é alto. As fontes são o material em decomposição da vegetação aquática e terrestre, fezes de animais e serrapilheira, uma rápida biomassa de macrófitas aquáticas, Eichornia azurea, Ludwigia spp., Pisia stratioides, perifiton e fitoplâncton. O material detrítico favorece a alimentação dos detritívoros e peixes plantívoros.
  • As variações nictemerais nos lagos. Existem muitas variações durante períodos de ciclos diurnos, o que interfere com os mecanismos de estratificação de densidade, oxigênio dissolvido e pH. Portanto, superpostos aos ciclos sazonais de flutuação de nível, estão os ciclos mictemerais.
  • A importância do mosaico para a manutenção da diversidade, e sustenção de biomassa.

 

Fonte: Águas Doces no Brasil – Capital Ecológico, Uso e Conservação. 2.° Edição Revisada e Ampliada. Escrituras. São Paulo – 2002. Organização e Coordenação Científica: Aldo da C. Rebouças; Benedito Braga. Capítulo 05 – Ecossistemas de Águas Interiores. J