Ambiente Resíduos

Biofiltros

Um tipo de equipamento que pode tratar emissões de odores é o biofiltro. O processo de biofiltração é similar a um lodo ativado, pois microorganismos oxidam os compostos orgânicos a CO2 e H2O.

Envie para um amigo

1. Introdução

O tratamento e/ou controle de emissões atmosféricas é realizado através de equipamentos de controle de poluição do ar. Nesses equipamentos são aplicados fenômenos físicos, químicos e/ou biológicos à mistura gasosa que contém os poluentes. A instalação de equipamentos muitas vezes é uma exigência legal, a exemplo a Resolução do Estado do Paraná SEMA N.º 06/92 descreve:

“Artigo 4o - A atividade que emita à atmosfera, substância odorífera característica de processo produtivo específico, deverá promover a instalação de equipamento, previamente analisado pelo Instituto Ambiental do Paraná visando a remoção do odor.”

 
2. Biofiltro

Um tipo de equipamento que pode tratar emissões de odores é o biofiltro. O processo de biofiltração é similar a um lodo ativado, pois microorganismos oxidam os compostos orgânicos a CO2 e H2O. A principal diferença é que no biofiltro (figura 1) os microorganismos estão imobilizados no material filtrante ou de empacotamento, enquanto que no lodo ativado os microorganismos estão dispersos na suspensão líquida.

 

q

 

 

 

 

 

A biofiltração é frequentemente de alta eficiência e baixo custo comparada com outras técnicas de controle de poluentes atmosféricos. Exemplo de biofiltro pode ser verificado na figura 2.

 
Usos:

  • controle de COV´s, H2S, odores, NH3

Vantagens:

  • processo natural, seguro e de ambientalmente correto;
  • possui baixo custo de operação;
  • tecnologia simples com baixo custo de manutenção e operação;

Desvantagens:

  • pouca eficiência na remoção de gases com altas concentrações de poluentes;
  • os microorganismos estão sujeitos a cargas tóxicas de componente químicos;
  • necessário tempo de aclimatação dos microorganismos no início da operação do biofiltro;
  • necessário um tempo de residência ou retenção longo;
  • pouco conhecido e difundido industrialmente.

 

q


 

 

 

 

 

 

 

3. Bibliografia consultada

BUONICORE, Anthony; THEODORE, Louis e DAVIS, Wayne. Air Pollution Engineering Manual. Van Nostrand Reinhold, 1992.

DE NEVERS, Noel. Air Pollution Control Engineering. New York: Mc Graw Hill, 1995.

KAWANO, Mauricy. Apostila Poluição Atmosférica-Qualidade do Ar. Revisão 06. SENAI-CIC. Curitiba, 2001.

VDI-3477. Biofilters-Biological Waste Gas/Waste Air Purification. Verein Deutscher Ingenieure. 1991

VDI-3478. Biofilters-Biological Waste Gas Purification / Bioscrubbers and trickle bed reactors. Verein Deutscher Ingenieure,1991

WORLD BANK. Pollution Prevention and Abatement Handbook. Washington. World Bank Group, 1998.

Fonte: Mauricy Kawano - professor Curso de Especialização Gestão Ambiental na Industrial UFPR e Gestão Ambiental UEPG; Químico Industrial–PUC PR; aperfeiçoamento em Poluição Atmosférica - Ryerson University CAN; Especialista em Gestão da Qualidade e Produ



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Resíduos Ação Social Acidentes Ambientais Aço ACV Agricultura Água de Coco Alimento Alumínio Amianto Amianto crisotila Análise do Ciclo de Vida ANP Aplicação Arsênio Asbestose Ascaréis Aterro Aterro Controlado Aterro Sanitário Bateria de Ni-Cd Baterias Baterias recarregáveis Benefícios Bibliografia Bifelinas policloradas Biomassa Brasil Cádmio Características Chumbo Classes dos resíduos Classificação Coco Verde Código de Cores Coleta Seletiva Combustível Componentes eletrônicos Compostagem Composto Húmico CONAMA Concreto Asfáltico Contaminação Hospitalar Cuidados Curiosidades Curitiba Decomposição Desperdício Dicas Disposição Final Educação Ambiental Efeito prejudiciais Efeito Tóxico Efluentes Embalagens Embalagens Longa Vida Embalagens plásticas Emissões Atmosféricas Emissões de Poluentes Entulhos Esgoto Estatística EXemplos Experiência Fatores Forro Gerenciamento de Resíduos Gestão ambiental Greenpeace Impactos Ambientais Incineração Índices Industrial Isopor Juiz de Fora Jundiaí Lâmpadas Fluorescentes Lata de Aço Latas de alumínio Legislação Lexiviados Lixão Lixo Lixo comercial Lixo doméstico Lixo Infectante Lixo Tecnológico Lodo Lodo de Esgoto Manejo Manganês Meio Ambiente Mercúrio Metais pesados Metal Monitoramento O que é Óleos Automotivos Óleos Industriais Óleos lubrificantes Óleos usados Óleos Vegetais Papel Periculosidade Perigos PET Pilhas Pilhas alcalinas Pilhas secas Plástico Pneus Polpa moldada Postos de Gasilonas Preservação do Meio Ambiente Processo de re-refino Processo de reciclagem Produtos Produtos Químicos Produtos Recicláveis Programas Projetos Reaproveitamento Reciclagem Reciclagem de Alumínio Reciclagem de òleos Reciclagem de pneus Reciclar Recursos Naturais Redução de Emissão Redução de resíduos Reduzir Resíduo Líquido Resíduos Resíduos gasosos Resíduos Hospitalares Resíduos Inertes Resíduos Não Perigosos Resíduos orgânicos Resíduos Perigosos Resíduos Sólidos Resíduos Tóxicos Resolução Reusar Reutilização Riscos à saúde Riscos Ambientais Rochas Graníticas Saco plástico Sacolas plásticas Saneamento Saúde Serviços de lavanderia Soluções Tempo de degradação Tóxico Tratamento Tratamento de Água Tratamento de Efluentes Tratamento especial Usinas Usos Vantagens Vidro Xisto

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.