Ambiente Saneamento

Tipos de despejos

O uso da água nas suas mais diversas formas, independente do modo como a mesma tenha sido adqui-rida, provoca, na maioria das vezes, a origem de despejos líquidos os quais, pelas mais diversas razões, tais como higiênicas, estéticas, etc, devem ser retirados do ambiente de consumo de água, a partir do momento em que os mesmos não possuam mais condições de reutilização.

Envie para um amigo

De um modo geral, esses despejos são originados de atividades domésticas, comerciais ou industriais.

Os despejos procedentes de áreas comerciais e residenciais apresentam-se com características seme-lhantes se analisados isoladamente, tendo em vista que, em ambos os setores, o volume de água consumida deve-se a efetivação de atos de higienização e acondicionamento de alimentos, resultando em um líquido com resíduos essencialmente orgânicos. Tecnicamente esses despejos são denominados de águas residuárias domés-ticas, esgotos domésticos ou esgotos sanitários.

As águas residuárias geradas em atividades industriais têm características próprias em função da maté-ria-prima, do processo de industrialização utilizado e do produto industrializado. Espera-se, por exemplo, que os esgotos de uma indústria de lacticínios tenham predominância acentuada de matéria orgânica em seu meio, enquanto que os de uma metalúrgica caracterizar-se-ão pela presença de óleos minerais, cianetos, compostos de cromo e outros metais pesados em sua composição.

Desta forma, estabelecimentos industriais isolados, em geral, têm seus esgotos reunidos aos de origem doméstica após serem acondicionados tanto biológica como química e fisicamente para que não sejam afetadas as características básicas das vazões receptoras, e para que não tragam problemas de escoamento a jusante da rede coletora. Por essas razões os distritos industriais ou grandes complexos fabris normalmente são dotados de sistemas de esgotamento próprios adequados a realidade individual ou coletiva dessas unidades de transformação.

Sem a presença de oxigênio livre o esgoto entra em condições anaeróbias de decomposição, ou seja, a vida microscópica passa a ser desenvolvida consumindo oxigênio procedente da decomposição de compostos oxigenados presentes na mistura, prevalecendo a presença de hidrocarbonetos simples, aldeídos parafínicos, ácidos carboxílicos, ésteres, etc. A partir desse ponto o esgoto adquire uma aparência escura e libera continuamente gases de odor desagradável e ofensivos a saúde humana, passando a ser denominado de esgoto séptico. É importante mencionar que gases inodoros também podem ser tóxicos.

http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/ES02_01.html



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.