Bibliografia – Gestão

 

AZEVEDO, A. Brasil: a Terra e o Homem. São Paulo, 1972. Companhia Editora Nacional. Volume I.

AOKI, H. Arborização da rodovia SP-255 com fins conservacionista, paisagístico -Atlas Multirreferencial de Mato Grosso do Sul (1990) meio ambiente

BALENSIEFER, M.; MASCHIO, L. M. A.; RACHWAL, M. F. G.; MONTOYA, L. e CURSIO

BARTH, R. C. Avaliação da Recuperação de Áreas Mineradas no Brasil. Boletim da Sociedade de Investigações Florestais/ Departamento de Engenharia Florestal/Universidade Federal de Viçosa e Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAN. Viçosa – MG, 1989.

BUBLITZ, U. Adequação de Estradas Rurais em Microbacias Hidrográficas. Curitiba:EMATER-Paraná, 1993.

COSTA, M. V.; NABINGER, C.; VOLKWEIS S.; BOLDRINI, I. I.; RAFAELI, H.  – Espécies úteis para revestimento vegetal de taludes. 

COSTA, N. M. C.; CARTANO, I.; FIGUEIREDO, S. S. ; COSTA, V. C. Aplicação de geoprocessamento para escolha de áreas potenciais para reflorestamento: porção norte do parque estadual da pedra branca – um exemplo prático. Anais do     Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 628.

DAVIDE, A C.; FARIA, J. M. R; PRADO, N. J.S. Recuperação de uma área ocupada por voçoroca, através de reflorestamento misto. Anais do  Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 401.

DAVIDE, A. C. Seleção de espécies para recuperação de áreas degradadas. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag. 113.

EMATER. Folder – Uma estrada rumo ao futuro. Curitiba. 2000.

FARIAS, C. A; COSTA, L.M.; PEIXOTO, L. A . Avaliação química de metais (Pb, Cd, Ni) em solos urbanos do município de Viçosa – MG. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 429.

FERNANDES, R. S.; NEPOMUCENO, L. C. Proposta de metodologia para elaboração de plano de recuperação de áreas degradadas pela atividade de mineração.

GRIFFITH, James J. Recuperação Conservacionista de Superfícies Mineradas: Uma Revisão de Literatura. Sociedade de Investigações Florestais. Boletim Técnico n°2. 1980. 51 p.

IBGE, 1981. MANUAL TÉCNICO DA VEGETAÇÃO BRASILEIRA, Rio de Janeiro: Carvalho,  Paulo Hernani Ramalho – O uso de espécies nativas na arborização urbana.

INSTITUTO DE TERRAS , CARTOGRAFIA E FLORESTAS –  Sugestões Técnicas para   Recuperação de Áreas   Mineradas.

JESUS, R. M. Revegetação de encostas urbanas: o caso de Vitória. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag. 345

Juchem, Ari Peno. – Gestão Ambiental, Auditoria Ambiental e Passivo Ambiental – Material de apoio para o ciclo de palestras do INAPAR – Instituto de Avaliações e Perícias do Paraná Agosto 1999. 80p.

KELLER, L. R. Reflorestamento, com espécies nativas, de áreas degradadas e em recuperação da ITAIPU BINACIONAL. Simpósio Nacional Recuperação de Áreas Degradadas. Anais. Foz do Iguaçu, 1994 p. 626.

LIGNIER, C.; d’HIERES, P. C. Tecnologias avançadas ao serviço da barragem do “PETIT SAUT”. Simpósio Nacional Recuperação de Áreas Degradadas. Anais. Curitiba, 1992. p. 383 .

LOPEZ, J. A. U.; QUEIROZ, S. M. P. Rodovias e Meio Ambiente no Brasil: uma resenha crítica. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 75.

MARQUES, T. P.; Medeiros , M. L. M. B.; Queiroz, S. M. P.; Treuersch, M. Avanços no Licenciamento Ambiental de Empreendimento Impactantes, com a implemetanção da AIAS no IAP – Paraná – Brasil, 1994

MARQUES, T. P. Avaliação de Impacto Ambiental no Paraná. Curitiba. Maio/1995.MELO, E. F. R. Q. Alterações nas características químicas do solo de uma área degradada em recuperação. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 371.

MILANO, M. S. Unidades de Conservação. – Conceito e princípios de planejamento e gestão, FUPEF – Fundação de pesquisas florestais do Paraná, pgs 15 a 23.

POMPÉIA, S. L. Procedimentos técnicos para recuperação de áreas degradadas por poluição. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 63.

REICHMANN NETO, F. Recuperação de Áreas Degradadas pela Construção de Barragens. Simpósio Nacional Recuperação de Áreas Degradadas. Anais. Curitiba, 1992. p. 132.  

REIS, L. L.; Marques, S.S.; Piña-Rodriguez, F. C. M. Sistema de plantio adensado para a recomposição de áreas degradadas: nota prévia. Anais do Simpósio de Recuperação de Áreas Degradadas, Foz do Iguaçu, 1994. Pag 635.

REIS, M. J.L. – ISO 14000 Gerenciamento ambiental: um novo desafio para a sua competitividade – Rio de Janeiro: Qualitymark Ed.: 1995.

REZENDE, D. Sequestro de Carbono; uma Experiência Concreta. ed. Gráfica Moderna Terra, 2000.

RODRIGUES, A. B. –  Turismo e AMBIENTE. São Paulo. ED.Hucitec.

RODRIGUESI, R. R.; LEITÃO FILHO, H.F.; CRESTANA, M. S .M. Revegetação do entorno da represa de abastecimento de água do município de Iracemápolis/SP. Simpósio Nacional Recuperação de Áreas Degradadas. Anais. Curitiba, 1992. p. 407

SANTOS, C. J. F. , CUNHA, C. O., NETO, D. C.; FONTES,  A.M.  Uso de leguminosas arbóreas no reflorestamento de encosta de risco geotécnico sobre a comunidade de baixa renda.     

TOLEDO, A . E. P.; CERVENKA, C. J.; GONÇALVES, J. C. Recuperação de Áreas Degradadas. Série Pesquisa e Desenvolvimento. São Paulo, 1990. Trabalho apresentado no VIII Encontro Nacional de Arborização Urbana, em Fortaleza-CE, 31de maio a 2 de junho de 1999. Paulo Hernani Ramalho.

ZELAZOWSKI, V. H. Recuperação de Áreas Degradadas Projeto Hidrelétrico da Itaipu Binacional – ME. Simpósio Nacional Recuperação de Áreas Degradadas. Anais. Curitiba, 1992. p. 497.

Redação Ambiente Brasil