Educação Ambiental e Inclusão Social

 

Por Jorge Amaro de Souza Borges

 

q

Pessoas Portadoras de Deficiência Mental contribuem para um mundo ambientalmente melhor e ainda crescem socialmente, através de práticas educação ambiental.

O CAZON – Centro Abrigado Zona Norte foi fundado em 1992 e é vinculado a FADERS – Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas para Pessoas Portadoras de Deficiência e Altas Habilidades no Rio Grande do Sul. Essa, por sua vez, está ligada à ligada Secretaria de Educação do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

É voltado ao desenvolvimento de atividades ocupacionais à Pessoas Portadoras de Deficiência Mental – PPDM na idade adulta (dos 18 aos 54 anos). As atividades desenvolvidas contribuem para o desenvolvimento emocional ético e cognitivo das PPDM ao longo do seu processo de socialização e construção de sua identidade social.

Cerca de 131 aprendizes participam de diversas oficinas e atividades complementares como oficina de produção (terceirização às empresas), arte e artesanato, artes domésticas, recreação e lazer, técnicas agrícolas e educação ambiental, apoio pedagógico, educação física e terapia ocupacional. Essas atividades dão chance das PPDM adquirirem novos conhecimentos, aprimorando os já existentes, interagindo e confrontando a realidade, buscando constantemente a construção de sua cidadania.

A Oficina de Técnicas Agrícolas e Educação Ambiental – em seu plano de ação visa trabalhar a preservação ambiental e a inclusão de portadores de deficiência, tendo como pólo irradiador à percepção ambiental, o contato direto com a natureza, as vivências do dia a dia, os reflexos da relação antrópica local permitindo a sensibilização e as mudanças comportamentais necessárias para busca constante de crescimento como seres humanos, membros de um planeta vivo. Neste contexto, são desenvolvidas atividades de percepção e contato direto com a natureza, provocando reações diversas. Como isso afetará estas pessoas?

Diferentes estudos têm mostrado que o contato com a natureza influência na saúde física e mental das pessoas (Fundação Gaia, 1995), a capacidade de fantasiar é maior (Grahn, 1996) desenvolvendo uma maior coordenação motora e melhor capacidade de concentração e diminuição do estresse causado pelo fluxo intenso das grandes cidades. Os trabalhos são direcionados a turmas, constando no máximo 15 (quinze) aprendizes. Procura-se abordar as potencialidades individuais de cada um, buscando seu aprimoramento e crescimento coletivo. Dentre as temáticas trabalhadas, dois foram os eixos estruturadores: manejo de resíduos sólidos e agroecologia.

 

Objetivos Gerais

Implementar um conjunto de propostas e metodologias de trabalho visando um processo de Alfabetização Ecológica, utilizando como eixos estruturadores a Agroecologia e o Manejo de Resíduos Sólidos de forma transversal e continuada.

Sensibilizar os aprendizes e a comunidade na qual está inserido o CAZON no sentido de tornar o ambiente propício à realização de atividades práticas de utilização e preservação da natureza.

Estimular, nos aprendizes, através de uma atividade organizada e contínua, o respeito e a responsabilidade com o meio ambiente.

Promover a orientação técnica de atividades práticas específicas visando preparação para trabalhos de geração de renda de acordo com as potencialidades individuais da cada um.

 

Objetivos Específicos

Oportunizar, através do desenvolvimento do projeto, a realização de atividades básicas que visam a sondagem de aptidões e interesses, bem como valorizar o trabalho agrícola em primeira instância.

Proporcionar condições para o real aproveitamento da oficina no sentido de obter, como produto final, a dinamização e a objetividade do processo ensino-aprendizagem, possibilitando a integração de todas as áreas de estudos.

Aplicar, em situações reais, os conhecimentos teóricos e práticos relacionados à oficina.

Reorganizar a paisagem do CAZON, desenvolvendo o sentimento de racionalização e de preservação dos recursos naturais.

Aperfeiçoar a habilidade de manejar instrumentos básicos.

Potencializar a relação aprendiz-CAZON-família como forma de instrumentalizar ações no sentido de realizar trabalhos de forma integrada, ampla e abrangente.

Criar uma atitude de aceitação e valorização do trabalho, como atividade indispensável ao homem.

Facilitar as aquisições cooperativas e interativas, daí a importância da dinâmica sócio-pedagógica (relação entre a instrução grupal e a programação individual).

Facilitar a habituação, com mais tempo investido nas atividades e com menos tempo de transição entre elas.

Variar as atividades de uma forma sistemática.

Proporcionar atividades extracentro (garantir amplos contatos com o meio).

Minimizar o comportamento de dependência e aumentar o poder de iniciativa e sentimento de integridade.

 

Resultados

Em quase dois anos de atividades, a oficina já apresenta pontos significativos que merecem destaque:

  • Fundação do Clube da Árvore Amigos da Natureza, em parceria com o Instituto Souza Cruz, sendo realizados plantios comunitários, coleta de sementes, implementação de viveiro e oficinas temáticas;
  • Implementação da Coleta Seletiva no Centro dando destino adequado aos resíduos gerados com participação efetiva de aprendizes, funcionários e comunidade;
  • Participação das PPDM em diferentes espaços divulgando nossas propostas de trabalho como no Fórum Internacional das Águas, no I Congresso Brasileiro sobre Agroecologia e no Ciclo de Estudos para a Sensibilização de Multiplicadores em formação Integral / Alfabetização Ecológica. Neste ultimo, o trabalho “Educação Ambiental e Inclusão Social: Vestígios que apontam caminhos” foi escolhido em primeiro lugar para concorrer ao prêmio Goethe de Educação Ambiental em 2004, instituído pelo Instituto Goethe;
  • Prestação de serviços, na área da jardinagem e paisagismo ao Colégio Unificado e ao Banrisul proporcionando renda e valorização através de ações sistemáticas;
  • Parceria constante com projetos e programas afins de diferentes órgãos e instituições que tem como filosofia de ação as questões socioambientais;
  • Atualmente temos interfaces com o Programa Reciclar – a vida em nossas mãos (Banrisul), com a ONG Sempre Amigo (Unificado), com o Departamento Municipal de Águas e Esgotos (DMAE), com o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAM), com a Emater – RS, com a Rede Social (FIERGS), com a Empresa Renner Hermann, com o Instituto Souza Cruz, com a Escola Técnica de Agricultura de Viamão, com a Prefeitura Municipal de Viamão, com a Usina Bigger Comunicações entre outros, demonstrando a capacidade de interlocução destas pessoas em diversificados segmentos.

Estas ações proporcionam as PPDM condições de desenvolverem sua cidadania e serem protagonistas de sua própria história. E ainda lutam pelo que temos de mais sagrado – a vida, o planeta, a natureza… Gostaríamos de mostrar a sociedade nosso trabalho e demonstrar a sociedade estas alternativas de trabalho ocupacional a PPDM, que proporcionam resultados fantásticos.

 

Jorge Amaro de Souza Borges é Técnico Agrícola e Educador Ambiental (cazonambiental@bol.com.br Tel: (51) 3348 1563)