Núcleos de Educação Ambiental – Alagoas

 

O Núcleo de Educação Ambiental da SUPES/AL, tem direcionado as suas ações, no estímulo e apoio a participação de diferentes segmentos sociais para a gestão do meio onde estão inseridos, apoiando e executando ações que venham a fazer com que a população conheça o seu ambiente na busca da melhoria da qualidade de vida, culminando na formulação de políticas para o meio ambiente.

O Estado de Alagoas se divide em seis regiões ambientais: Zona da Mata; O Semi-Árido; Brejo de Altitude; O São Francisco Alagoano; Fauna e Flora. Tais regiões não estão livres da ação humana e, portanto, sujeitas a degradação, o que torna de suma importânica o papel da educação ambiental neste cenário.

Para o exercício de 1998, o Núcleo de Educação Ambiental de Alagoas está propondo a execução de 06 projetos a saber:

– Projeto de Implantação de Educação Ambiental no Processo de Gestão na Área de Proteção Ambiental de Piaçabuçu;

– Projeto de Implantação de Novas Alternativas Tecnológicas de pesca, na Região do Baixo São Francisco – Piranhas/AL;

– Projeto para Implantação da Educação Ambiental na Reserva Biológica de Pedra Talhada;

– Projeto para Legitimação da Comissão Estadual de Educação Ambiental;e

– Projeto Integrado da Reorganização do Açude no Município de Jaramataia.

Dentre estes merece destaque, o Projeto para Implantação da Educação ambiental na Reserva Biológica de Pedra Talhada. Tal reserva foi criada através do Decreto 98.524, situada no munícipio de Quebrangulo, possui uma rica biodiversidade, inclusive um reservatório de água potável que beneficia várias comunidades do seu entorno. Contudo, como está situada numa região bastante seca que atravessa sérias dificuldades econômicas, são comuns as agressões ambientais no local, a exemplo da caça de mamíferos, da exploração da madeira, com desmatamentos e queimadas, afetando – com isso, o equilíbrio ambiental. É neste sentido, que o Núcleo de Educação Ambiental, propõe a implantação de um Programa de Educação Ambiental, com vistas a contribuir para a formação de um consciênia crítica da população do entorno sobre a importância de Pedra Talhada e do papel que cada um, enquanto cidadão, pode assumir para garantir a preservação do meio ambiente e, como consequência, da vida humana.

Merece destaque , também, pelo impacto causado na economia local – a pesca, o Projeto de Implantação de Novas Alternativas Tecnológicas de Pesca na Região do Baixo São Francisco – Piranhas/AL. A região do Baixo São Francisco é formada pelos Estados de Sergipe e Alagoas, representando um importante papel para o Meio Ambiente e para as comunidades ribeirinhas. A economia é incipiente, predominando a agricultura de arroz e da pesca artesanal.

Na região de Piranhas está localizada a Cia. Hidroelétrica do São Francisco – CHESF, tendo uma das suas usinas, a hidrelétrica de Xingó, sido construída em local com condições topográficas e geológicas muito favoráveis. Apesar de sua importância na geração de energia, a hidrelétrica acarretou sérios problemas para a pesca artesanal, devido o fechamento das comportas, por dimininuirem o nível do rio, causando fortes impactos ambientais e descaracterização da pesca local. Por isso, torna-se necessária, a criação de novas alternativas tecnológicas para a região.

Em conjunto com a CODEVASF e DNOCS, o IBAMA, pretende, ainda este ano, implantar o Projeto Integrado da Reorganização do Açude no município de Jaramataia, onde a atividade econômica é a agropecuária, porém a principal fonte de renda é a pesca . Tal Projeto tem como objetivo auxiliar o processo de implantação do peixamento do açude público e particulares, através de um trabalho de Educação Ambiental, visando aumentar a fonte de alimentação e renda de sua comunidade.

 

Responsável: Marlúcia Cavalcanti da Silva – Coordenadora do NEA/AL
Fone: (82) 241-1600 – Fax: (82) 241-7711
Fonte: Ibama