Glossário Ambiental – G

Galáxia. Conjunto de estrelas de estrutura semelhante à via-láctea (Glossário Libreria, 2003).

Gameta. Célula de origem meiótica preparada para a fecundação.

Gametogênese. Formação de gametas masculinos e femininos na meiose.

Gás natural. (1) Mistura gasosa, cujo constituinte principal é o metano. O gás natural é uma energia fóssil, muitas vezes associada a depósitos de petróleo. Não é muito tóxico e tem duplo poder calorífico. Sua combustão libera apenas dióxido de carbono e é considerada uma fonte de energia limpa. (2) Recurso natural relativamente abundante e amplamente utilizado. O gás natural pode ser usado em estado gasoso – comprimido e na forma líquida. As duas formas geram uma menor emissão de poluentes do que a gasolina. Por isso tem sido utilizado como combustível em ônibus metropolitanos de alguma cidades.

Gases de estufa. Gases da atmosfera terrestre que contribuem para o efeito estufa. Além do dióxido de carbono, gases como o metano e os clorofluorcarbonetos também dão sua cota para o aquecimento global.

Gasolina. Combustível que é utilizado em um motor de combustão. A gasolina é derivada do petróleo, que é uma fonte de combustível fóssil, e é utilizada na maioria dos carros.

Gasolina aditivada. Formulação da gasolina comum que causa melhor desempenho no veículo e menor poluição. A gasolina aditivada pode conter etanol para melhorar a octanagem e reduzir a emissão de poluentes.

Gavinha. Órgão de fixação de certas plantas, com que elas se prendem a suportes. 

Geada. É a formação de uma camada de cristais de gelo na superfície abaixo de 0°C. A principal causa da formação da geada é a condensação de massa de ar polar. Dependendo da intensidade e da extensão da geada, o fenômeno pode causar sérios danos a agricultura, queimando e ressecando a folhagem das plantas, especialmente das hortaliças. Existe dois tipos de geadas: (1) geada branca – mais comum, congela a parte superficial da cultura. (2) geada negra – congela a parte interna da cultura.

GEF (Global Environment Facility). Fundo para o Meio Ambiente Global, criado pelo Banco Mundial, Programa de Desenvolvimento da ONU e Programa para o Meio Ambiente da ONU em 1990; opera os mecanismos financeiros das convenções internacionais de meio ambiente, por meio de fundos que patrocinam projetos de países em desenvolvimento, que tragam benefícios para mudança do clima global e conservação da biodiversidade.

Geleira. Massa de gelo formada nas regiões em que a queda da neve suplanta o degelo passível de deslocamento, ou a favor das encostas de montanhas ou vales, ou sobre áreas continentais extensas. Os dois tipos principais de geleira são: alpino ou de vale e o continental ou inlandsis.

Gêiser. (1) Fonte termal, intermitente, em forma de esguicho, de origem vulcânica, que lança água e vapor a alturas que podem ultrapassar 60 m. (2) Ou geyser – é um jato intermitente de água quente, que sai do interior da Terra. Os gêiseres irrompem em jatos com emanações sulfurosas, desenvolvendo uma quantidade considerável de vapor de água. São particularmente numerosos na Islândia, na Nova Zelândia, no parque de Yellowstone, regiões essencialmente vulcânicas. As águas expelidas contêm uma grande quantidade de sais minerais dissolvidos, que se solidificam em torno dos gêiseres, formando uma espécie de cratera algo parecida com a dos vulcões, cuja textura pode ser compacta, concrecionada ou pulverulenta, chamada geiserita (Glossário Libreria, 2003)

Gene. (1) Unidade da herança. Segmento de ADN, situado numa posição específica de um determinado cromossomo, que participa da manifestação fenotípica de um certo caráter. (2) Unidade de DNA, na qual podem ocorrer mutações e recombinações; estrutura bioquímica que transfere as características herdadas de um organismo.

Gênero. (1) A categoria taxonômica entre família e espécie; gêneros incluem uma ou mais espécies. (2) Unidade de classificação biológica que agrupa espécies intimamente ligadas ou com características fundamentais, situa-se abaixo da família e acima da espécie; é grafado com letra maiúscula e vem em primeiro lugar no nome científico de uma espécie.

Genética. Ramo da Biologia que trata da hereditariedade. Ela se ocupa das diferenças entre os seres vivos, das suas causas e dos mecanismos e leis da transmissão dos caracteres individuais.

Genética de populações. Estudo quantitativo e mensurável de populações mendelianas mediante metodologia e critérios estatísticos.

Genética quantitativa. Estudo da hereditariedade mediante o emprego de análise estatística e da teoria de probabilidade matemática.

Genóforos. Unidades que carregam os genes extranucleares, isto é, ao nível citoplasmático (cloroplastos e mitocôndrias). Termo designado para se diferenciar dos cromossomos (nucleares).

Genoma. (1) Conjunto de cromossomos que corresponde ao conjunto haplóide (n) da espécie. (2) Conjunto de elementos genéticos constitutivos de um indivíduo, que traduz as suas características. Adquiriu grande importância na biotecnologia, porquanto pode contribuir para o aperfeiçoamento genético de espécies medicinais e comestíveis. No que se refere à espécie humana, o Projeto Genoma prevê a decodificação da estrutura genética do ser humano. A manipulação dos genomas está associada não somente a questões científicas mas, também éticas, religiosas e morais.

Genótipo. (1) Constituição genética total de um organismo, que é determinada pela soma de genes agrupados nos cromossomos. (2) Totalidade dos fatores genéticos que formam a constituição genética de um indivíduo. Determina o fenótipo individual. (3) Conjunto da informação genética na massa hereditária; constituição genética, hereditária, do indivíduo, animal ou vegetal .

Geoanticlinal. Arqueamento em grande escala por movimentos tectônicos formando uma região de fácil erosão.

Geocronologia. Ramo da geologia que se ocupa da avaliação da idade das rochas e eventos geológicos. São utilizados os seguintes métodos: métodos relativos, métodos absolutos a geológicos e métodos físicos.

Geodésia. Estudo que tem por fim a medição e representação da superfície terrestre. Arte de medir e dividir terras; agrimensura.

Geodo. Nódulo destacável de uma rocha contendo uma cavidade forrada de cristais ou matéria mineral.

Geofácies. Unidade geoambiental homogênea contida em um geossistema.

Geofísica. Ciência que estuda diversos fatores terrestres, tais como: dimensão, estrutura, fenômenos físicos (gravidade, sismicidade, magnetismo, vulcanismo, etc). Estuda ainda as propriedades físicas da crosta que condicionam tais fenômenos.

Geófita. Espécie vegetal cujos órgãos de crescimento se acham no interior da terra, onde se encontra o caule principal.

Geografia. Ciência que tem por objeto a descrição da Terra na sua forma, acidentes físicos, clima, produções, populações, divisões políticas, etc.

Geóide. Forma verdadeira do globo terrestre. Superfície equipotencial do campo gravimétrico da Terra, coincidindo com o nível médio dos mares. Estende-se por todos os continentes, sem interrupção, e é considerada a forma real da Terra.

Geologia. (1) Ciência que trata da origem e constituição da Terra, especialmente como reveladas pelas rochas. Características geológicas de uma região. (2) Ciência que tem por objeto o estudo dos materiais que compõem o globo, sua natureza, situação e formação. A  geologia tem um duplo fim: o estudo da estrutura atual da crosta terrestre e a investigação das causas que presidiram a sua formação e a sua evolução através das idades. A observação dos fenômenos atuais é importante no estudo dos fenômenos ocorridos durante a história física da Terra. Na antiguidade, Heródoto e Plínio descrevem célebres erupções vulcânicas. Mas os primeiros geólogos foram Leonardo da Vinci (que explicou a origem dos fósseis) e Jorge Agrícola (1494-1555), autor de uma classificação de minerais e fósseis. Em meados do século XVIII vieram Les Époques de la Nature de Buffon e Theory of the Earth de James Hutton. Em 1807 fundou-se em Londres a primeira sociedade de geologia. Os franceses Cuvier e Brongniart lançaram as bases da paleontologia e, em 1830, o inglês Lyell publicou Princípios de Geologia. O grande desenvolvimento da geologia, porém, deu-se no final do século XIX. A geologia pode ser dividida em cinco ramos: cosmogonia (trata das origens e primórdios da Terra em relação ao sistema solar e ao Universo), geologia física (estuda as formas da superfície terrestre, sua estrutura, modo de formação e a natureza dos processos que moldaram e estão moldando o relevo terrestre), petrologia (descreve a composição e origem das rochas da crosta terrestre), paleontologia (biologia dos fósseis, que estuda os restos de antigos animais e plantas que outrora viveram na Terra e que agora se encontram soterrados pelas rocha), geologia estratigráfica ou estratigrafia (estudo da sucessão das camadas sedimentares, sua formação e seu conteúdo fóssil através dos dados paleontológicos) (Glossário Libreria, 2003).

Geologia aplicada. Usa conceitos e métodos geológicos para pesquisa de problemas de mineração, de água, petróleo, na verificação de obras de engenharia ou para fins de defesa bélica.

Geologia econômica. Ramo da geologia aplicada que trata dos materiais geológicos de utilidade prática e de suas aplicações na indústria e nas artes.

Geologia estrutural. Ramo da geologia que trata da atitude, forma e arranjo dos estratos na crosta terrestre e as mudanças que neles ocorrem como resultado das deformações e deslocamentos.

Geomorfologia. Ciência que estuda as formas de relevo. Estudo das formas de relevo atuais e investigação da sua origem e evolução.

Geopolítica. Estudo da vida política dos povos com relação aos fatores geográficos. A geopolítica compreende métodos e elementos tirados da geografia, história e da ciência política. Embora se trate de uma ciência muito nova, algumas de suas idéias básicas encontram-se nas obras mais antigas sobre relações internacionais, desde Aristóteles, Platão, Tucídides, Lucrécio, Maquiavel, Jean Bodin, Kant, cuja influência contribui para a orientação posterior dos estudos geográficos na Alemanha. A ciência geopolítica foi assim denominada pelo sueco Kjellen, precursor de sua moderna concepção. O termo foi retomado pelo alemão Ratzel (1903). Posteriormente, tais estudos serviram de apoio às pretensões imperialistas alemãs, e seu maior expoente foi Carl Haushofer, que formulou a teoria do espaço vital, uma das diretrizes do regime nazista. desde então a geopolítica serviu para justificar atitudes políticas, à força de fatores geográficos para explicarem alianças ou contra-alianças (Glossário Libreria, 2003).

Geoprocessamento. Técnica que utiliza recursos computacionais para o tratamento, organização e apresentação de informações geradas por sensoriamento remoto. Tem larga aplicação no ordenamento físico territorial, no zoneamento ambiental e no planejamento ambiental.

Geoquímica. Estudo das causas e das leis que regem a freqüência, a distribuição e a migração dos elementos químicos no globo terrestre, principalmente da crosta, incluindo-se aqui litosfera, biosfera, hidrosfera e atmosfera.

Geosfera. Parte sólida do nosso planeta.

Geossistema. (1) Termo criado pelos russos para designar uma entidade mais abrangente do que o ecossistema, considerando-se que este centraliza os conceitos e as relações em torno dos seres vivos; e geossistema teria a função de significar o todo sem uma hierarquização dos seus componentes.(2) Sistema geoecológico delimitável no interior de um domínio morfoclimático, província fitogeográfica ou região natural (Glossário Ibama, 2003).

Gerenciamento Costeiro. (1) O Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro tem por objetivo orientar a utilização racional dos recursos da zona costeira, de modo a contribuir para elevar a qualidade de vida de sua população e a proteção de seu patrimônio natural, histórico, étnico e cultural. Instituído pela Lei n. ° 7.661, de 16 de maio de 1988. (2) É uma aplicação do zoneamento ambiental com normas específicas para compatibilizar as atividades econômicas com a preservação ou recuperação das características ambientais nas zonas costeiras.

Germinação. Retomada do crescimento do embrião, que emerge da semente e se desenvolve em plântula.

Germinação epígea. Germinação na qual os cotilédones são levados acima do solo pelo alongamento do hipocótilo.

Germinação hipógea. Aquela na qual os cotilédones ou uma estrutura semelhante como o escutelo permanecem no solo e dentro dos envoltórios da semente, enquanto o epicótilo se alonga acima do solo.

Germoplasma. Base física do cabedal genético que reúne o conjunto de materiais hereditários de uma espécie.

Germoplasma elite. Estoques de material seleto usados em programas de melhoramento genético e cujo acervo inclui cultivares de origem híbrida, linhagens, híbridos, populações melhoradas e compostos.

Gestão ambiental. (1) Condução, direção e controle, pelo governo, do uso e da conservação dos recursos naturais, através de determinados instrumentos, que incluem medidas econômicas, regulamentos, investimentos públicos e financiamentos, requisitos interinstitucionais e jurídicos. (2) A tarefa de administrar o uso produtivo de um recurso renovável sem reduzir a produtividade e a qualidade ambiental, normalmente em conjunto com o desenvolvimento de uma atividade (HURTUBIA, 1980). (3) É um processo de mediação entre interesses de atores sociais voltado ao uso ou preservação  de um recurso (ARRUDA et allii, 2001). (4) Condução, direção, proteção da biodiversidade, controle do uso de recursos naturais, através   de determinados instrumentos, que incluem regulamentos e normatização, investimentos públicos e financiamentos, requisitos interinstitucionais e jurídicos. Este conceito tem evoluído para uma perspectiva de gestão compartilhada pelos diferentes agentes envolvidos e articulados em seus diferentes papéis, a partir da perspectiva de que a responsabilidade pela conservação ambiental é de toda a sociedade e não apenas do governo, e baseada na busca de uma postura pró-ativa de todos os atores envolvidos (ARRUDA et allii, 2001). (5) Forma de administrar a apropriação e uso dos recursos ambientais; adequando as atividades produtivas à capacidade de reposição desses recursos, de modo a assegurar sua pererenidade; instrumento indispensável para o planejamento. (6) Administração, pelo governo, da proteção e do uso dos recursos ambientais, por meio de ações ou medidas econômicas, investimentos e providências institucionais e jurídicas, com a finalidade de manter ou recuperar a qualidade do meio ambiente, asegurar a produtividade dos recursos e o desenvolvimento social. Este conceito tem se ampliado, nos últimos anos, para incluir, além da gestão pública do meio ambiente, os programas de ação desenvolvidos por empresas para administrar com responsabilidade suas atividades de modo a proteger o meio ambiente (FEEMA, 1997).

Gimnosperma. (1) Caracterizada por apresentar sementes nuas. (2) Planta que não tem suas sementes protegidas por um verdadeiro pericarpo ou fruto propriamente dito.

GIS – Geographic Information System (Sistema de Informações Geográficas/SIG). Sistema de informação que permite ao usuário coletar, manusear, analisar e exibir dados referenciados espacialmente. Um SIG pode ser visto como a combinação de hardware, software, dados, metodologias e recursos humanos, que operam de forma harmônica para produzir e analisar informação geográfica.

Glaciação. Ato ou efeito de congelar. Ato ou efeito de cobrir-se de gelo ou geleira. Ação exercida pelas geleiras sobre a superfície da Terra.  

Glaciares. Mesmo que geleiras.

Gleba. (1) Parte de terra. (2) Terreno de cultura, torrão.

Globo terrestre. Esfera sobre a qual é desenhado um mapa da Terra (Glossário Libreria, 2003).

Gnaisse. Designação dada a um grupo de rochas metamórficas originadas por metamorfismo de catazona, de textura orientada, granular, caracterizada pela presença de feldspato, além de outros minerais como quartzo, mica e anfibólio. Rocha muito comum no embasamento cristalino brasileiro.

Goma. Seiva viscosa e translúcida que ocorre e se extrai de certas árvores (Instrução Normativa IBDF 1/80).

GPS – Global Positioning System (Sistema Global de Posicionamento). (1) Constelação de satélites desenvolvidos pelo Departamento de Defesa dos EUA, utilizada em levantamentos geodésicos e outras atividades que necessitem de posicionamento preciso. Os satélites transmitem sinais que podem ser decodificados por receptores especialmente projetados para determinar com precisão, posições sobre a superfície da Terra. (2) Sistema de posicionamento global; sistema eletrônico de localização que permite que qualquer pessoa possa se localizar no planeta com grande precisão.

Gradagem. Gradear o solo a fim de escavá-lo.

Gradiente. (1) Mudança de valor de uma quantidade (temperatura, pressão, altitude etc) por unidade de distância, numa direção específica. Inclinação ou razão de ascensão ou descida de uma encosta, rodovia, tubulação etc. (2) É uma mudança de elevação, velocidade, pressão ou outra característica, por unidade de comprimento (CARVALHO, 1981).

Gradiente de concentração. Diferença de concentração de uma substância por unidade de distância.

Gramíneas. Família de plantas que caracterizam-se em geral como ervas monocotiledôneas de pequeno porte, com caule em geral oco e articulado por nós sólidos, raramente ramificado e mais ou menos lenhoso, folhas lineares, sésseis, com lígula e bainha enrolada em redor do caule, raízes geralmente fasciculares e flores na maioria das espécies, cachos e partículas simples ou compostas por espiguetas.

Graneleiro. Referente ao transporte a granel, ou seja, em grande quantidade.

Granito. (1) Designação dada as rochas ígneas ácidas. Os granitos são rochas geralmente leucocráticas e constituídas essencialmente de quartzo, feldspatos e micas. (2) Tipo de rocha magmática intrusiva que tem como elementos constituintes essenciais o quartzo,o feldspato e a mica.

Granizo. É um caso extremo de crescimento de partículas de gelo por acreção.

Granulação. Aspecto da textura de uma rocha ligada ao tamanho dos seus componentes. No caso das rochas magmáticas e das metamórficas usam-se as seguintes subdivisões: microcristalina, em que os grãos não são reconhecíveis a olho nu; fina, em que são reconhecíveis a olho nu e apresentam tamanhos até 1 mm; média, com grãos de 1-10 mm de tamanho; grossa, com grãos de 10-30 mm.

Granulometria. Medição das dimensões dos componentes clásticos de um sedimento ou de um solo. Por extensão, composição de um sedimento quanto ao tamanho dos seus grãos. As medidas se expressam estatisticamente por meio de curvas de freqüência, histogramas e curvas cumulativas. O estudo estatístico da distribuição baseia-se numa escala granulométrica.

Grau geotérmico. Variação térmica relativa ao número de metros em profundidade na crosta terrestre, necessário ao aumento de temperatura de 1ºC. O grau geotérmico depende dos seguintes fatores: 1) condutibilidade térmica das rochas; 2) proximidade do foco térmico, por exemplo, um vulcão; 3) estrutura das rochas (as camadas inclinadas apresentam um grau geotérmico mais curto que as horizontais); 4) morfologia (o grau geotérmico aumenta nas serras, ao contrário dos vales). Grau geotérmico normal 33m = 1ºC. A mina de Morro Velho (MG) apresenta um grau geotérmico médio de 55 m, aproximadamente.

Greenpeace. ONG multinacional fundada em 1971. Atua em pelo menos cinco áreas diferentes: ecologia oceânica, selvas tropicais, Antártida, substâncias tóxicas, energia nuclear e atmosfera. O Greenpeace se serve de armas eficientes como ação direta, que atrai a atenção  da mídia e muitas vezes impede um processo de agressão ambiental. Elabora estudos científicos sobre os problemas ecológicos mais graves do planeta.

Grilada. Terra apossada através de falsificação de documentos.

Grileiro. Aquele que se utiliza da grilada.

Grotões. Grota grande.

Grupo dos 7 (G7). Denominação dada aos países mais industrializados do mundo: Grã-Bretanha, Japão, Alemanha, França, Itália, Canadá e Estados Unidos da América. A Rússia às vezes é incluída no grupo em notícias de jornais (Glossário Libreria, 2003)

Gruta. As cavernas são galerias rochosas formadas pela ação da água no decorrer de milhões de anos. Às vezes usadas como sinônimos de cavernas, as grutas podem fazer parte desses sistemas de galerias. Apresentam  formações calcárias de rara beleza, como estalagmites e estalactites. As cavernas mais famosas se formam, na maioria das vezes, em regiões de pedras calcárias, erodidas pelas chuvas.

Guano. Depósito orgânico de clima quente, constituído essencialmente de excrementos de aves, como também de ossos e outros restos. Por remobilização, juntamente com calcários subjacentes, formam-se fosfatos cálcicos, constituindo importantes adubos de fósforo.

Guserias. Usinas siderúrgicas produtoras de ferro-gusa.

 

Ambiente Brasil