Ir direto para o conteúdo

Ambiente Brasil. O maior Portal de Meio Ambiente da América Latina

 

 Ambiente Energia

Energia Mareomotriz

Conteúdo de Maremotriz

Envie para um amigo

q

As ondas do mar possuem energia cinética devido ao movimento da água e energia potencial devido à sua altura. Energia elétrica pode ser obtida se for utilizado o movimento oscilatório das ondas. O aproveitamento é feito nos dois sentidos: na maré alta a água enche o reservatório, passando através da turbina, e produzindo energia elétrica, na maré baixa a água esvazia o reservatório, passando novamente através da turbina, agora em sentido contrário ao do enchimento, e produzindo energia elétrica.

A desvantagem de se utilizar este processo na obtenção de energia é que o fornecimento não é contínuo e apresenta baixo rendimento. As centrais são equipadas com conjuntos de turbinas bolbo, totalmente imersas na água. A água é turbinada durante os dois sentidos da maré, sendo de grande vantagem a posição variável das pás para este efeito. No entanto existem problemas na utilização de centrais de energia das ondas, que requerem cuidados especiais: as instalações não podem interferir com a navegação e têm que ser robustas para poder resistir às tempestades mas ser suficientemente sensíveis para ser possível obter energia de ondas de amplitudes variáveis. Esta energia é proveniente das ondas do mar. O aproveitamento energético das marés é obtido através de um reservatório formado junto ao mar, através da construção de uma barragem, contendo uma turbina e um gerador.

A maioria das instalações de Centrais de energia das ondas existentes são de potência reduzida, situando-se no alto mar ou junto à costa, e para fornecimento de energia elétrica a faróis isolados ou carregamento de baterias de bóias de sinalização. As instalações de centrais de potência média, apenas tem interesse econômico em casos especiais de geometria da costa. O número de locais no mundo em que esta situação ocorre é reduzido.

As marés são o resultado da combinação de forças produzidas pela atração do sol e da lua e do movimento de rotação da Terra leva à subida e descida da água dos oceanos e mares: as marés. Os movimentos verticais da água dos oceanos, associados à subida e descida das marés é acompanhado num movimento horizontal, denominado por correntes das marés. Estas correntes tem uma periodicidade idêntica à das oscilações verticais. Efeitos das zonas terrestres (bacias hidrográficas e baías, estreitos e canais) provocam restrições a estes movimentos periódicos podendo daí resultar elevadas amplitudes ou elevadas velocidades da corrente da maré.

Nos países como a França, o Japão e a Inglaterra este tipo de energia gera eletricidade. No Brasil, temos cidades com grandes amplitudes de marés, como São Luís - Baía de São Marcos, no Maranhão - com 6,8 metros e em Tutóia com 5,6 metros. Mas nestas regiões, infelizmente, a topografia do litoral não favorece a construção econômica de reservatórios, o que impede seu aproveitamento.

Curiosidades:

- Em Portugal há uma central na ilha do Pico nos Açores. A central é do tipo de coluna de água oscilante, com uma turbina Wells de eixo horizontal que aciona um gerador elétrico de velocidade variável, com a potência de 400 kW.

- Na Europa foi construída uma central de produção de energia das marés em La Rance (França), a 10 km da desembocadura do rio Rance no Canal da Mancha. Neste local a amplitude da maré é de 13 metros. As turbinas da central funcionam quando enche e quando esvazia o estuário do rio Rance. Está em funcionamento desde 1966 e produz cerca de 550 GWh anualmente.

- O Centro de Ciência e Tecnologia da Marinha do Japão estuda formas de obter energia das ondas do mar. Para tanto, começou a testar em julho um gerador flutuante que atende pelo estranho nome de Baleia Poderosa. É uma balsa que foi ancorada na entrada de uma baía com sua frente apontada para a direção das ondas, mede 50 metros de comprimento por 30 de largura e 12 de profundidade, e é dividida internamente em três compartimentos, todos cheios de ar. Trata-se de um sistema engenhoso que converte a energia das ondas em energia pneumática. O balanço das ondas faz com que o nível da água no interior das câmaras suba e desça sem parar, fazendo-as funcionar como pistões gigantes. Quando o nível do mar sobe, a água comprime o ar que é afunilado na direção de uma turbina, movendo suas pás e gerando 110 kW de eletricidade.

Fonte: ISTO É - 23 de setembro de 1998.



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Energia Ação de Emergência Acidentes Ambientais Acidentes Nucleares Água Águas Profundas Álcool Álcool Etílico Alta pressão Alternativa Energéticas Ambientes Marinhos Angra I Angra II Angra III Aplicação Aproveitamento Armazenamento Arquitetura Bioclimática Artigo Aspectos Socioambientais Aterro Sanitário Atmosfera Modificada Ausência de Emissão Bacias Hidrográficas Biocombutível Biodiesel Biodigestores Biomas Biomassa CaC's Calor da Terra Cana de Açúcar Carvão Carvão Mineral Célula Combustível Célula Fotovoltaica Centro de Defesa Ambiental Césio 137 Chernobyl Co-processamento de resíduos Cogeração Coleta Seletiva Coletor Solar Combustíveis fósseis Combustível Combustível Ecológico Combustível Nuclear Combustível Renovável Combustível Veicular Conservação Ambiental Consumo de Energia Consumo Energético Contaminação Hospitalar Contingências Controle Ambiental Controle de Qualidade Correntes Marítimas Crescimento Econômico Custos Demanda Energética Desenvolvimento Sustentável Distribuição Economia Efeito Fotovoltaico Efluentes Emissão de Gases Emissões de Poluentes Emprego Energia Energia Alternativa Energia Elétrica Energia Eólica Energia Geotérmica Energia Hidrica Energia Limpa Energia Maremotriz Energia não-renovável Energia Nuclear Energia Nucleoelétrica Energia Renovável Energia Solar Energias Renovavéis Engenharia Oceânicas Eólica Etanol Exploração Fauna Flora Marinha Fonte de Combustíveis Fonte não-renovável Fonte Renovável Fontes de Hidrogênio Fontes Energéticas Fontes Orgânicas Fontes Termais Formas de Enxofre Gás Hidrogênio Gás Natural Gases Gases de Efeito Estufa Gases para Embalagens Gasoduto GEE Geração de Energia Gestão ambiental Gestão de Segurança Grau Geotérmico Hidrografia História Horário de Verão Impactos Ambientais Indústria do Carvão Instalação Nuclear Lixo atômico Mar Material radioativo Matriz Energética Medicina Medidas de Segurança Meio Ambiente Mineração Mudanças Climáticas Navios Normas Ambientais O que é Paraná Petróleo Plano de Contingência Plataforma de Exploração Política Energética Potencial Energético Potencial Eólico Potencial Hidrico Potencial Solar Preservação Ambiental PROÁLCOOL Produção de Energia Produção de Gás Produtos Programa de Excelência Projetos ambientais Radiação Nuclear Reciclagem Recuperação Ambiental Recuperação do Óleo Recurso Eólico Recursos Energéticos Recursos Hídricos Recursos Renováveis Redução de Emissão Região Carbonífera Regulamentação Reserva Geológica Reservas Reservatórios Subterrâneos Resfriamento Resíduos Resíduos Agrícolas Resíduos oleosos Resumo Rio Grande do Sul Saneamento Ambiental Setor Agropecuário Setor Transporte Sindicatos Sistema de Cogeração Tecnologia Nuclear Teor de Carbono Termelétrica Three Mile Island Transporte Tratamento de Água Tratamento de Efluentes Tratamento de Resíduos Sólidos Tratamento do Ar Usina Elétrica Usina Nuclear Usinas Eólicas Usinas Termelétricas Vantagens Vazamentos de Óleo Yellow cake Zero Poluição

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.