Ir direto para o conteúdo

Ambiente Brasil. O maior Portal de Meio Ambiente da América Latina

 

 Ambiente Energia

Aplicação de Gases em Transporte de Alimentos

Aplicação de gase em transporte de alimentos.

Envie para um amigo

 

q

 

 

 

Tecnologia de atmosfera modificada

O processo consiste em substituir o ar que envolve o produto que se deseja conservar ou envasar por um gás ou mistura de gases de pureza alimentar, o qual (ou os quais) ofereça(m) melhores condições para a manutenção da qualidade física, química e microbiológica do produto, por um período de tempo maior. Tal processo pode aumentar ainda a resistência mecânica das embalagens.

 

Principais vantagens:

  • Aumento da vida útil dos produtos nas prateleiras entre duas e cinco vezes quando em comparação com as embalagens comuns.
  • Preservação da cor, forma e textura do produto, o que permite sua apresentação em embalagens atraentes, que não o escondem da visão do consumidor.
  • Aumento da resistência mecânica da embalagem, o que evita a deformação do produto e previne a aderência normalmente causada pela embalagem a vácuo.
  • Redução no uso de conservantes químicos, possibilitando preservar todas as características do produto.



Aplicações dos gases para embalagem

Nitrogênio (N2)

É usado para remover e substituir o oxigênio antes do fechamento da embalagem, principalmente para prevenir oxidação de pigmentos, rancificação de gorduras, reações de escurecimento. É um gás inerte, inodoro, pouco solúvel em água e gorduras e não possui nenhuma propriedade bactericida ou fungicida.

Dióxido de Carbono (CO2)

É um agente bactericida e fungicida que desacelera o crescimento e reduz a proliferação de bactérias aeróbicas e mofo, especialmente na ausência de oxigênio. É efetivo em uma concentração acima de 20% na atmosfera e é bastante solúvel em água e gorduras. Pode provocar a retração da embalagem, devido a sua alta solubilidade em água e gordura, o que é desejável nos casos em que se deseja, por exemplo, minimizar o efeito de estufamento em algumas embalagens.

Oxigênio (O2)

Em algumas aplicações é usado como elemento constituinte de uma mistura. Particularmente no caso das carnes vermelhas, a presença do oxigênio na mistura ajuda a manter a cor avermelhada, tão atrativa nos pontos de venda. Também previne a proliferação de organismos estritamente anaeróbicos, como no caso do peixe fresco.


Transporte de Alimentos com CO2

A otimização da operação logística de produtos alimentícios resfrigerados e congelados passa necessariamente por um controle rigoroso de tempo e temperatura de forma a garantir a cadeia do frio em todos os níveis. O controle da temperatura, durante o transporte, constitui fator preponderante para a manutenção da qualidade dos produtos transportados e conseqüentemente, proporcionar a segurança do consumidor final.

O CO2 na forma de gelo seco

O uso do pellets é particularmente simples e tem a vantagem de não requerer nenhum investimento em sistemas mecânicos de refrigeração. Sua utilização consiste em colocá-lo dentro do contêiner isolado termicamente juntamente com os produtos a serem transportados. A quantidade de gelo seco a ser utilizada dependerá da temperatura e do tempo de transporte.

O CO2 na forma de neve carbônica

Normalmente utilizado em caixas de embarque simples como caixas plásticas, papelão ou isoladas termicamente. Sua utilização constitui-se na aplicação da neve carbônica sobre os produtos antes da embalagem ser fechada e transportada para o embarque ou quando se deseja abaixar a temperatura do produto na embalagem, antes de entrar na câmara de armazenagem. A quantidade de neve a ser utilizada está em função da temperatura desejada, do tempo de transporte ou de armazenamento e da especificação de isolamento da embalagem.


Sistemas automáticos de resfriamento e controle de temperatura

Sistema com gelo seco

Esta opção está associada principalmente a veículos pequenos com rotas de distribuição urbana fracionadas. O gelo seco é colocado em um recipiente, na parte superior frontal do baú de transporte de carga, acoplado a um sistema automático de controle de temperatura que aciona um dispositivo de ventilação forçada, permitindo a homogeneização da temperatura dentro do baú aos níveis desejados.

O consumo de gelo seco é calculado em função da temperatura desejada na carga, tempo de transporte e tipo de isolamento do baú de carga.

Vantagens do sistema:

  • Baixo investimento
  • Compacto e flexível para várias temperaturas;o CO2 é bacteriostático
  • Manutenção simples


Sistema com CO2

Líquido e recipiente criogênico móvel. Consiste na adaptação de um recipiente móvel na parte interna ou externa ao baú de transporte, o qual armazenará o CO2 líquido e garantirá o fornecimento de neve carbônica para o controle da temperatura durante o tempo de transporte.

A refrigeração é obtida pela pulverização/injeção do CO2 líquido, que, passando a neve carbônica , abaixa a temperatura do baú aos níveis requeridos. Os bicos injetores são distribuídos ao longo do comprimento do baú em sua parte interna superior.

O controle de temperatura poderá ser manual ou automático através de sensores de temperatura que podem acionar a injeção do CO2 líquido.

É recomendável para situações de rota de longo percurso com veículos médios e distribuição urbana fracionada. Sua versatilidade e simplicidade permitem diferentes arranjos no posicionamento dos tanques de CO2 líquido.

Principais vantagens:

  • Preservação da qualidade do produto
  • Simplicidade de operação: basta somente ajustar o termostato e acionar o sistema
  • Resfriamento imediato: a inércia térmica é virtualmente zero
  • Manutenção mínima
  • Preservação da qualidade do produto
  • Garantia da Cadeia do Frio
  • Baixo investimento
  • Compacto
  • Bacteriostático


A estação é composta por:

  • Um reservatório de CO2 líquido
  • Flexível de distribuição para o gás
  • Pistola de injeção presa a um equilibrador de carga
  • Sistema de extração de CO2 gasoso


O controle de injeção do gás carbônico é realizado automaticamente e considera os seguintes dados:

  • As características do contêiner isotérmico
  • O tempo de transporte
  • A temperatura média de transporte
  • A pressão do reservatório de CO2 líquido


Vantagens do sistema:

  • Flexibilidade para diferentes temperaturas
  • Substitui sistema de refrigeração mecânica
  • Preserva a qualidade do produto
  • Elevada a capacidade frigorífica : 150 calorias / kg
  • Produto aprovado pela norma E 290 (européia)
  • Dosagem otimizada do gás carbônico
  • Propriedades bactericidas

 

 

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Energia Ação de Emergência Acidentes Ambientais Acidentes Nucleares Água Águas Profundas Álcool Álcool Etílico Alta pressão Alternativa Energéticas Ambientes Marinhos Angra I Angra II Angra III Aplicação Aproveitamento Armazenamento Arquitetura Bioclimática Artigo Aspectos Socioambientais Aterro Sanitário Atmosfera Modificada Ausência de Emissão Bacias Hidrográficas Biocombutível Biodiesel Biodigestores Biomas Biomassa CaC's Calor da Terra Cana de Açúcar Carvão Carvão Mineral Célula Combustível Célula Fotovoltaica Centro de Defesa Ambiental Césio 137 Chernobyl Co-processamento de resíduos Cogeração Coleta Seletiva Coletor Solar Combustíveis fósseis Combustível Combustível Ecológico Combustível Nuclear Combustível Renovável Combustível Veicular Conservação Ambiental Consumo de Energia Consumo Energético Contaminação Hospitalar Contingências Controle Ambiental Controle de Qualidade Correntes Marítimas Crescimento Econômico Custos Demanda Energética Desenvolvimento Sustentável Distribuição Economia Efeito Fotovoltaico Efluentes Emissão de Gases Emissões de Poluentes Emprego Energia Energia Alternativa Energia Elétrica Energia Eólica Energia Geotérmica Energia Hidrica Energia Limpa Energia Maremotriz Energia não-renovável Energia Nuclear Energia Nucleoelétrica Energia Renovável Energia Solar Energias Renovavéis Engenharia Oceânicas Eólica Etanol Exploração Fauna Flora Marinha Fonte de Combustíveis Fonte não-renovável Fonte Renovável Fontes de Hidrogênio Fontes Energéticas Fontes Orgânicas Fontes Termais Formas de Enxofre Gás Hidrogênio Gás Natural Gases Gases de Efeito Estufa Gases para Embalagens Gasoduto GEE Geração de Energia Gestão ambiental Gestão de Segurança Grau Geotérmico Hidrografia História Horário de Verão Impactos Ambientais Indústria do Carvão Instalação Nuclear Lixo atômico Mar Material radioativo Matriz Energética Medicina Medidas de Segurança Meio Ambiente Mineração Mudanças Climáticas Navios Normas Ambientais O que é Paraná Petróleo Plano de Contingência Plataforma de Exploração Política Energética Potencial Energético Potencial Eólico Potencial Hidrico Potencial Solar Preservação Ambiental PROÁLCOOL Produção de Energia Produção de Gás Produtos Programa de Excelência Projetos ambientais Radiação Nuclear Reciclagem Recuperação Ambiental Recuperação do Óleo Recurso Eólico Recursos Energéticos Recursos Hídricos Recursos Renováveis Redução de Emissão Região Carbonífera Regulamentação Reserva Geológica Reservas Reservatórios Subterrâneos Resfriamento Resíduos Resíduos Agrícolas Resíduos oleosos Resumo Rio Grande do Sul Saneamento Ambiental Setor Agropecuário Setor Transporte Sindicatos Sistema de Cogeração Tecnologia Nuclear Teor de Carbono Termelétrica Three Mile Island Transporte Tratamento de Água Tratamento de Efluentes Tratamento de Resíduos Sólidos Tratamento do Ar Usina Elétrica Usina Nuclear Usinas Eólicas Usinas Termelétricas Vantagens Vazamentos de Óleo Yellow cake Zero Poluição

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.