Ambiente Agropecuário

O Sofrimento do Solo

A matéria orgânica, tão importante para o fornecimento de nitrogênio, fósforo e potássio, sob a forma de sais solúveis e assimiláveis, imprescindíveis ao desenvolvimento, não apenas da cana-de-açúcar, como de qualquer vegetal, também é total ou parcialmente destruída, transformando-se em carvão finamente dividido que irá, ano após ano, queimada após queimada, se fixando ao solo, reduzindo conseqüentemente a produção, obrigando cada vez mais, ser o local adubado e tratado artificialmente, sem se comentar os malefícios que faz às vias respiratórias dos seres vivos.

Envie para um amigo

 

 

q

Estamos em meio de mais um período de safra sucroalcooleira. Apesar da crise que vive o setor, quer por ausência de uma política séria que o envolva como matriz energética, gerador de divisas ou, redutor do efeito estufa devido ao seu estoque de carbono e produtor de um combustível ecologicamente correto, a cana-de-açúcar aí está quase como monocultura em nosso estado. Aí está também a queimada que a todo instante é reconhecida pela quantidade de fumos observados na atmosfera, o mal estar causado pela fuligem e a degradação que é produzida.

A queima em si, não importa se de cana-de-açúcar ou qualquer outro tipo de vegetação que envolva grandes extensões territoriais é em primeiro lugar uma agressão a todo o ecossistema. Normalmente, as discussões contemplam o ar atmosférico, que visualmente é o mais afetado. No entanto, o solo, responsável primeiro pela fixação, crescimento e nutrição da cana-de-açúcar, é costumeiramente esquecido.

É importante ser salientado que o solo não é constituído apenas de minerais; ele é vivo, há uma grande variedade de microorganismos que, por meio de diversos processos químicos e bioquímicos, possibilitam a transformação de substâncias muitas vezes consideradas como carga e/ou suporte, em nutrientes de elevada qualidade. Na queima, esses microorganismos são simplesmente eliminados.

A matéria orgânica, tão importante para o fornecimento de nitrogênio, fósforo e potássio, sob a forma de sais solúveis e assimiláveis, imprescindíveis ao desenvolvimento, não apenas da cana-de-açúcar, como de qualquer vegetal, também é total ou parcialmente destruída, transformando-se em carvão finamente dividido que irá, ano após ano, queimada após queimada, se fixando ao solo, reduzindo conseqüentemente a produção, obrigando cada vez mais, ser o local adubado e tratado artificialmente, sem se comentar os malefícios que faz às vias respiratórias dos seres vivos.

Um aspecto pouco comentado e difundido, mais um prejuízo causado ao solo pela queimada é a redução de umidade natural dele até uma profundidade de aproximadamente 10 centímetros, quando não apenas microorganismos, porém outros tipos de animais e vegetais que lá convivem em equilíbrio, aerando, umidificando, estabilizando o pH do solo, são simplesmente eliminados, seja pelo calor ou por desidratação, quando da queimada, obrigando mais uma vez o agricultor a oneroso tratamento artificial da área a ser replantada. Estes são alguns problemas acarretados ao solo pelas queimadas. É importante lembrar também os prejuízos causados à flora e fauna que habitam os canaviais e locais próximos, a impossibilidade de fuga de pequenos animais e insetos que mantêm o sistema em equilíbrio, devido à velocidade de propagação das chamas e a elevada poluição e aumento de temperatura causados ao ar atmosférico. Isto posto, ficam minhas dúvidas: os problemas sócio-econômicos, sempre levantados quando se colocam outras alternativas técnicas que não as queimadas para a colheita da cana-de-açúcar não teriam solução com um melhor desempenho do processo do plantio ao corte, do corte à industrialização, da industrialização ao transporte e do transporte ao consumo, principalmente quando a região tem condições para tal?

Os problemas sócio-econômicos que nossos filhos irão sentir quando as terras ficarem exauridas e o ar poluído não serão suficientes para nos fazer repensar?

Por falar em problemas sócio-econômicos, o que está acontecendo com o Pró-alcool? Acredito haver respostas...

 

Por Paulo Finotti* ontes: Paulo Finotti é Professor Universitário e, membro da Ordem dos Velhos Jornalistas de Ribeirão Preto e Presidente da Sociedade de Defesa Regional do Meio Ambiente - SODERMA

Tags Solos


Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Agropecuário Açai Acerola Agricultura Agroecologia Agroflorestais Agropecuária Agropecuárias Agrotóxicos Água Alimentação Alimentos Orgânicos Ambientais Ambiental Animais Animal Orgânico Área de Preservação Assentamento Atividades econômicas Autossuficiência Avaliação Benefícios Bibliografia Biodinâmica Biodiversidade Biologia do Solo Biológicas Biorremediação Braquiárias Brasil Café Camu-Camu CAR Características Caramujo Censo Agropecuário Cerca Ecológicas Certificação de Produtos Ciclo do Carbono Clima Cobertura do solo Como Fazer Comprimento da rampa Conceito Conservação Conservação Ambiental Consumo Contaminação Contaminação ambiental Controle Controle Ambiental Controle de praga Convencional Corte Crescimento Econômico Critérios Cultura Cupim Dano e efeitos ambientais DDT Declive Definição Dejetos Desertificação Dessalinização Desvantagens Dificuldades Dioxina Doenças Ecologia Educação Energia Alternativa Erosão Estratégico Estrutura Estrutura Fundiária EXemplos Exploração Extensão Extinção Fatores Feijão Fertilização Fertilizantes Físicas Fitoterápico Florestal Florestas Fontes Energéticas Frutas Nativas Gado de corte Grãos Hidropônico História Impactos Ambientais Indicadores Inseticidas Legislação Lodo Mandioca Manejo Manejo Sustentável Mata Atlântica Matéria Orgânica Medicina Meio Ambiente Migratória Monitoramento Mosca-dos-chifres Natural Nitrogênio Nutrientes Objetivos Ondas do mar Operacional Orgânico Pantanal Particulados Pastagem Pecuária Perda de solo Perigos Permacultura Pesquisa Científica Pimenta Planejamento Planta medicinal Planta Tóxicas Plantas Política Polpa congelada Práticas Conservacionistas Princípios Problemas ecológicos Procedimento Procedimentos Proibidos Produção Produtividade Produtos Programas Projetos Propriedade do solo Proteção Qualidade Nutricional Queimada Químicas Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos Naturais Reflorestamento Regiões Requisitos Reserva Legal Rios Riscos à saúde Roraima Rural Saúde Selos Sistema Educativo Situação Soja Solos Suinocultura Tático Técnicas Tecnologia Tipos de Agricultura Topografia Tradicional Transporte Tratamento Tratamento de Efluentes Urbano Uso de terras Uso do Solo Usos Vantagens Velocidade Veneno Vento

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.