Ambiente Gestão

Saneamento e Poluição

A degradação ambiental que provoca vazamentos em ductos e tanques, falhas no processo industrial, problemas no tratamento de efluentes, disposição inadequada de resíduos e acidentes no transporte de substâncias químicas, são as principais causas de contaminação do solo e das águas superficiais e subterrâneas

Envie para um amigo

 

A contaminação do ambiente a partir dos poluentes gerados pelo desenvolvimento industrial e a superpopulação vem sendo considerada, nos últimos anos, um dos problemas mais críticos e merecedor de estudo, principalmente quanto à degradação ambiental que provoca vazamentos em ductos e tanques, falhas no processo industrial, problemas no tratamento de efluentes, disposição inadequada de resíduos e acidentes no transporte de substâncias químicas. Estas são as principais causas de contaminação do solo e das águas superficiais e subterrâneas, com conseqüente degradação das comunidades biológicas envolvidas.

São inúmeras as variáveis envolvidas no processo de recuperação, a começar pela multiplicidade de produtos químicos e matérias químicas hoje manipuladas pelas indústrias. Somando-se a isto, cada local poluído tem suas peculiaridades físicas e biológicas com numerosas variáveis a serem consideradas.

 

As etapas para o diagnóstico de áreas degradadas por poluição são as seguintes:

  • Identificação e caracterização das fontes de poluição
  • Histórico da contaminação
  • Caracterização dos poluentes
  • Avaliação da extensão da área contaminada
  • Caracterização regional
  • Caracterização do local contaminado
  • Cálculo do estoque de poluentes

 

Com base nas características do poluente e do ambiente contaminado, é possível estabelecer procedimentos básicos de recuperação:

1.Controle das fontes de poluição: 

  • Reparos nas estruturas avariadas, contenção e recolhimento dos poluentes (no caso de acidentes)
  • substituição do processo industrial (tecnologias limpas) 
  • Aumento da eficiência do processo industrial 
  • Substituição de matérias-primas 
  • Retenção de efluentes 
  • Tratamento de efluentes e resíduos: processos químicos, físicos e biológicos

2.Contenção dos poluentes:

  • Construção de barreiras físicas em corpos de água ou solo
  • Aplicação de produtos absorventes

3.Recolhimento dos poluentes: 

  • Sucção e bombeamento de contaminantes líquidos 
  • Aplicação de produtos adsorventes
  • Remoção do solo ou vegetação contaminada

4.Tratamentos convencionais: 

  • Disposição de resíduos em áreas adequadas 
  • Incineração de resíduos orgânicos 
  • Tratamento de efluentes líquidos em biodigestores, lagoas, filtros 

5.Isolamento da área contaminada: 

  • Impedir o acesso ao local contaminado 
  • Confinamento do solo e águas contaminadas por barreiras físicas 
  • Cobertura do solo para evitar lixiviação ou volatilização do contaminante

6.Adaptar o uso do local: 

  • Após o isolamento da área com produtos tóxicos, é possível destiná-la a um uso compatível como estacionamentos ou áreas verdes com acesso restrito. 
  • Nos casos de contaminação atmosférica, utilizar espécies de plantas resistentes para a recuperação.

7.Tratamento “in situ”:

Cada caso de contaminação tem suas peculiaridades devido às características do poluente e do ambiente afetado. As condições em que ocorreu a poluição também diferenciam cada caso.

 

Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Gestão 14000 ABNT Acidentes Ambientais Ações Ambientais Administração Agenda 21 Água Alternativa Energéticas Amazônia Ambientais Ambiental Aquecimento global Artigo Avaliação Ambiental Barragens Bens Naturais Bibliografia Camada de Ozônio Capacitação Profissional Carbono Certificação de Produtos Certificado Chuva ácida Ciclo do Carbono Clorofluorcarbonos CO2 Código de Ética Comprometimento Conceito Consciência Ecológica Conscientização Conselhos Ambientais Consumo Sustentável Contabilidade Social Controle COP-9 Credenciamento Créditos Créditos de carbono Crescimento Econômico Curiosidades Custos Dano e efeitos ambientais Degradação Desastres Ambientais Descaso Desenvolvimento Limpo Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Desordenada Detritos Dióxido de Carbono Direito Direito Ambiental Direitos Humanos Eco 92 Ecologia Ecomarketing Economia Ecosistema Efeito Estufa Emissão de Gases Emissões de Poluentes Energia Energia Alternativa Energia Renovável Erosão Estado Estatuto Financiamento Fluxo Fotosíntese Fronteira Gestão ambiental Globalização Governo IBAMA Impactos Ambientais Implementação Imposto Indústria Instrumentação Internacional ISO ISO 14001 Kyoto Legislação Lei Licenciamento Limpa Maio Marketing Mecanismo Mecanismos Meio Ambiente Meio-Ambiente Mercado Metrologia Mineração Modelo Mudanças Climáticas Negócios Normalização Normas Ambientais O que é ONGs Operação Organismos OSCIP Papeis verdes Paraná Passivo Planejamento ambiental Políticas Ambientais Poluição Problemas ecológicos Produção sustentável Produtos Projetos Projetos ambientais Propriedade Rural Protocolo Protocolo de Kyoto Pública Qualidade Ambiental Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos biológicos Recursos Naturais Recursos Renováveis Redução de Emissão Reflorestamento Reforma tributária Relatório Reservas Resíduos Resíduos Sólidos Responsabilidade Ambiental Responsabilidade Social Resseguradoras Rio +10 Rio 92 Riqueza Roteiro Saneamento Ambiental Sequestro de Carbono SGA Sistema Sobrevivência Socio-ambiental Sustentabilidade Tecnologia Tecnologia Renovável Terceiro Setor Termo de Parceria Transgênicos UNFCCC Urbanização Urbano

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.