Ambiente Florestal

Responsabilidade ecológica versus responsabilidade social

O simples ato de poluir pode ser considerado um atentado a todos os seres vivos, pois somos parte de um todo. O círculo é vicioso, e o que acontece à terra acontece ao homem.

Envie para um amigo

 

O simples ato de poluir pode ser considerado um atentado a todos os seres vivos, pois somos parte de um todo. O círculo é vicioso, e o que acontece à terra acontece ao homem.

Com o passar do tempo, de geração em geração, o homem vem usando a natureza a seu favor sem a menor preocupação na sua preservação seja por ignorância, por descaso ou em busca incessante por lucro.

Miomas únicos são perdidos e nunca mais presentes no meio ambiente. Quantas espécies vão precisar ser perdidas ainda e quantos desastres o homem terá que construir uma consciência social em relação à natureza e dar inicio a um pensamento para preservar a natureza?

No decorrer da evolução do ser humano em algum momento podemos verificar a tomada de consciência, por vezes forçada, mas de qualquer maneira, estamos diante da mudança de paradigmas, da busca do homem pelo convívio com a natureza e a sua preservação.

Os danos causados ao mioma habitado pela floresta de Araucária no estado do Paraná desde o final do século XIX, com o desenvolvimento do Brasil e o processo de industrialização que o país vivenciava, não havendo a época conscientização ecológica que só veio nascer na década de 70 com os movimentos Ecológicos e a preocupação com o meio ambiente na Europa.

Os danos ambientais causados na Floresta de Araucária caracterizam-se pela existência de um conflito entre a forma pela qual é gerida a nossa economia e a lentidão na atualização da legislação em detrimento ao rápido desenvolvimento cientifico e social. Alterando os parâmetros de desenvolvimento da consciência ecológica de maneira tardia pelo Estado, e a falta de interesse em agir pelo simples fato do sistema econômico se antever ao meio ambiente.

Somente com a valoração econômica, é que nos dias de hoje vem se tornando interessante falar e discutir assuntos relevantes ao meio ambiente, sendo vantajoso ao Estado e às empresas vincularem a sua imagem à preservação do meio ambiente ou seja é “politicamente correto” se preocupar com assuntos antes não interessantes por não terem valor econômico.

Quanto à responsabilidade jurídico-ambiental, pode-se dizer que será impossível reparar o dano causado a Floresta de Araucária e a tantas outras destruídas dolosamente, cabendo somente medidas mitigadoras que não serão eficazes se antes fossem preservadas.

O Estado por inércia carregará esse ônus com a humanidade pelo simples fato de não ter tido interesse em proteger ou manusear de forma menos danosa a Natureza que fornece ao homem matéria prima (que é finita) para a nossa subsistência, ficando o interesse individual dos governantes prevalecendo sobre o interesse coletivo ambiental.

A responsabilidade jurídica da degradação da floresta de Araucária é o processo de desenvolvimento desenfreado e a não preocupação com o meio ambiente em detrimento de vantagem pecuniária e o loteamento para a criação de propriedades agrícolas num sistema que não respeita conceitos que antes não existiam nos produtores agrícolas e nem nas usinas madeireiras que simplesmente cortavam a floresta sem preocupação com o manejo sustentável sofrendo agora com a falta de espécies de árvores que não existem no dia de hoje em abundância.

Até quando seremos reféns de interesses econômicos e a busca por lucro a qualquer preço, mesmo que, o risco pago será o desaparecimento de espécies, miomas, ecossistemas, alterações no clima em detrimento do próprio ser humano.

Medidas têm que ser tomadas, mesmo que, de forma tardia para preservar o que nos restou e tentar recuperar o que já foi degradado. Somente com a junção do poder público com a iniciativa privada que poderemos mudar e reverter esse triste capítulo na história do estado do Paraná.

 

Por Paulo Franco



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Florestal Agricultura Agrossilvicultura Agrossilvipastoril Água Alimentação Amanita Amazônia Amostragem Animais silvestres Araucária Área de Preservação Área Protegida Artigo Banco de Sementes Bibliografia Biodiversidade Borracha Bracatinga Brotação Características Carregamento Carvão Castanha-do-brasil Celulose Cerrado Certificação de Produtos Certificação Florestal Certificado Certificado Fitossanitário CFOC Classificação Cobertura Florestal Comércio Conceito Consciência Ecológica Conservação Ambiental Consumo de Madeira Controle Controle Ambiental Copaíba Cortiça Culinária Curiosidades Custos Dados Dano e efeitos ambientais Desbastes Descascamento Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Doenças Dossel Economia Erva - Mate Espaçamentos Espécies Espécies Exóticas Estatística Estradas Estrutura Estrutura Fundiária Eucalipto EXemplos Exploração Extinção Extração Fitossociológico Floresta Tropical Florestal Florestas Fluxograma Fogos Fomento Fragmentação Fungo Geneticamente Modificados Genoma Gestão ambiental Gestão Florestal Governo Herdabilidade Incêndio Indústria Instituições Invasão Biológica Inventário Florestal IPAM Látex Legislação Lista Espécies Localização Lodo de Esgoto Macaco Madeira Manejo Manejo Florestal Mapa Matas Ciliares Material Genético Melhoramento Genético Mercosul Miltiplicação Vegetativa Mogno Monitoramento Nomenclatura Normalização Normas Ambientais Objetivos ONGs Operação Palmito Palmito Juçara Paraná Pasta Patauá Perguntas Permacultura Pinhão Pinus Planejamento ambiental Plantas Plantio PNF Poda Poluição Praga Premissas Preservação Ambiental Prevenção Princípios Privado Produção Produtos Produtos Madereiros Projetos Projetos ambientais Proteção Pública Qualidade da Madeira Queimada Recuperação Ambiental Reflorestamento Segurança Seleção Selos Sementes Seringueira Silvicultura Silvipastoril Sistema Agroflorestais Solos Substrato Sustentabilidade Técnicas Tipos de viveiros Transporte Uso do Solo Usos Vantagens Vegetação Vespa da Madeira Viveiros

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.