Tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus)

 

Classe: Aves

Ordem: Piciformes

Família: Ramphastidae

Nome científico: Ramphastos dicolorus

Nome vulgar: Tucano-de-bico-verde

Categoria: Ameaçado

Esta espécie, assim como R. vitellinus, é considerada pequena quando comparada à maior delas, R. toco (tucanaçu). Apesar do grande tamanho e da aparência robusta, o bico dos tucanos é extremamente leve e sem condições anatômicas para “cortar” alimento ou escavar madeira duras.

Alimentação: frutos, artrópodes e pequenos vertebrados, saqueando com freqüência os ninhos de outras aves. Quando se alimentam de frutos, atuam como dispersores de sementes; no caso de serem grandes, regurgitam-nas durante algum tempo após a ingestão e geralmente num local afastado da planta de onde foram retiradas; quando pequenas, as sementes fazem o percurso intestinal antes de serem defecadas. Entre os frutos apreciados pelos tucanos estão os de várias palmeiras como o palmiteiro (Euterpe edulis), o jerivá (Syagrus romanzoffiana) e a palmeira-elegante (Archontophoenix cunninghamiana), esta introduzida no Brasil. Os tucanos são hábeis em escolher os frutos maduros da jaboticabeira (Myrciaria jaboticava), da amoreira (Morus nigra), bem como as sementes vermelhas da ataúba (Guarea macrophyla), que se expõem por abertura natural do fruto.

Nidificação: constroem o ninho em cavidades de árvores, sejam estas naturais ou previamente escavadas por pica-paus. Apesar de ter aparência robusta, o bico pode apenas alargar a cavidade já existente, desde que a madeira não seja muito dura. Durante o ritual de corte e construção do ninho é comum observar-se o macho oferecer alimento à fêmea, ou sob a forma de um fruto recém colhido ou regurgitando o alimento contido no esôfago. No entanto, a fêmea também pode alimentar o macho. Após a fêmea aceitar o alimento oferecido pelo macho, o par coloca-se num mesmo poleiro horizontal a alguns metros do solo e, quando o macho é aceito, ocorre a cópula que dura poucos segundos. Durante a incubação dos ovos é a fêmea quem permanece a maior parte do tempo no ninho, sendo em geral alimentada pelo parceiro. O casal nutre os filhotes principalmente com larvas, insetos e frutos macios.

Hábitat: áreas florestadas, desde o literal até zonas montanhosas, incluindo as florestas de planalto.

Tamanho: 47,5 cm

Fonte: USP