Porto de Belém

 

Localização

A capital do Estado, Belém, se destaca entre os municípios portuários. É lá que está instalada a Estação das Docas, cartão postal da cidade, um projeto arquitetônico que ganhou destaque na imprensa nacional e foi, inclusive, indicada para servir como inspiração para a região portuária da cidade do Rio de Janeiro, uma das subsedes da Copa do Mundo de 2014 e sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

 

Estação das Docas
Estação das Docas.
Foto por Docas.

O Porto de Belém foi inaugurado há 101 anos e conta com uma localização que dá segurança aos navios, por ser abrigado, praticamente isento de ventos fortes. O cais tem pouco mais de sete metros de calado, o que não permite atracação de grandes navios. O Complexo iniciou suas atividades com a exportação da borracha.

Os principais destinos de exportação são os países da Europa, Estados Unidos e Japão, com destaque para cargas de madeira, pimenta-do-reino, castanha-do-pará, palmito, peixe e camarão. O trigo, o cimento, silício e os gêneros alimentícios são as mercadorias mais desembarcadas. Anualmente, é movimentado cerca de um milhão de toneladas de cargas em Belém. Nos últimos anos, o porto tem investido mais em cargas conteinerizadas. O pátio de contêineres está passando por ampliação.

O projeto de construção do porto de Belém foi elaborado no começo do ano de 1897, prevendo novas instalações de atracação e armazenagem em substituição às precárias docas de Ver-o-Peso, Reduto e Souza Franco.

O porto é administrado pela Companhia Docas do Pará (CDP).

LOCALIZAÇÃO

Está localizado na margem direita da baía de Guajará, em frente à Ilha das Onças, na cidade de Belém (PA), distando aproximadamente 120km do oceano Atlântico.

ÁREA DE INFLUÊNCIA

Abrange a quase totalidade do território paraense, destacando-se a região centro-leste do estado, bem como, o extremo norte de Goiás e o sudoeste do Maranhão.

ACESSOS

RODOVIÁRIO – Pelas rodovias BR-010 e BR-316, que chegam a Belém com seus traçados coincidentes.

MARÍTIMO – Pela baía de Marajó, com a barra demarcada pelos faróis da ilha Tijoca e do cabo Maguari, apresentando largura de 55km e profundidade mínima de 10,5m. Por um trecho navegável natural com aproximadamente 110km de extensão, largura de 3,2km a 15km e profundidade de 9m, é alcançada a entrada da baía de Guajará entre as ilhas da Barra e do Forte, compreendendo uma largura de 350m e profundidade de 10m. O canal de acesso se desenvolve por cerca de 4km, com largura variando entre 90m e 180m e profundidade mínima de 6m.

INSTALAÇÕES

O Cais acostável com 1.295m de extensão, e dividido em 3 (três) trechos: 1) Trecho do armazém de 4 ao 8, onde estão sendo movimentados carga geral e contêineres; 2) Trecho do armazém 9 e 10, onde operam apenas embarcações de navegação interior, movimentando carga geral e passageiros; 3) Trecho dos armazéns 11, 12 e silos, onde são movimentados contêineres e trigo a granel.

O porto dispõe de 6 (seis) armazéns de primeira linha, medindo 100mx20m; 2 (dois) armazéns de primeira linha, medindo 120mx20m; 4 armazéns de segunda linha, medindo 100mx20m, 1 pátio interno para contêineres com área de 12.000m2 , pátios internos descobertos para estocagem de contêineres vazios; 5 (cinco) pátios externos para contêineres. O terminal de Miramar, para inflamáveis, reúne 91 tanques para granéis líquidos (derivados de petróleo e produtos químicos), com capacidade estática total de 207.215t, utilizados por diversas empresas distribuidoras.

 

Porto de Belém
Porto de Belém.
Foto por Docas.

 

 

www.caisdoporto.com;
www.cdp.com.br;
Redação Ambiente Brasil.