Sistemas de esgotos

A água consumida na comunidade deve ser de procedência conhecida, requerendo, na maioria das vezes, tratamento prévio para que ao atingir os pontos de consumo, a mesma esteja qualificada com um grau de pureza que possa ser utilizada de imediato para o fim a que se destina. As instalações necessárias para que a água seja captada, tratada, transportada e distribuída nos pontos de consumo constituem o sistema de abastecimento de água.

Os processos de consumo da água, na sua maioria geram vazões de águas residuárias que, por não disporem de condições de reutilização, devem ser coletadas e transportadas para locais afastados da comunidade, de modo mais rápido e seguro, onde, de acordo com as circunstâncias, deverão passar por processos de depuração adequados antes de serem lançadas nos corpos receptores naturais. Este condicionamento é necessário para preservar o equilíbrio ecológico no ambiente atingido direta ou indiretamente pelo lançamento. Este serviço é executado pelo sistema de esgotos sanitários.

A geração de resíduos sólidos, o lixo, também é uma conseqüência da presença humana. Sendo sua constituição de teor insalubre e de presença incômoda para a população humana, deve ser coletado de modo sistemático e seguro e transportado para locais de beneficiamento, incineração, etc, ou áreas de depósito previ-amente determinadas e preparadas, isoladas do perímetro habitado a fim de evitar interferência no desempenho das atividades vitais da comunidade.

Paralelamente à operação dos serviços citados devem também ser drenadas as águas de escoamento su-perficial, em geral vazões sazonais de origem pluvial, através de um sistema de galerias e canais, para os corpos receptores de maior porte da área tais como córregos, rios, lagos, etc. A existência desse conjunto de condutos artificiais de esgotamento‚ denominado de sistema de drenagem pluvial ou sistema de esgotos pluviais, é fun-damental para preservação da estrutura física da comunidade, pela redução ou controle dos efeitos adversos provocados pela presença incontrolada dessas vazões.

Entende-se, pois, que a existência dos serviços descritos são essenciais para o bem-estar de toda uma comunidade humana. Por definição, esse conjunto de serviços compõe o denominado Saneamento Básico, e tradicionalmente tem sido de responsabilidade, pelo menos no seu gerenciamento, do poder público imperante na coletividade.

É fundamental, também, observar-se que a boa operação e confiabilidade dos sistemas que compõem as atividades de Saneamento Básico respondem diretamente por melhores condições de saúde, conforto e segurança  e  produtividade  em  uma  comunidade  urbana.