Operações Florestais x Qualidade da Madeira

 

 

A qualidade da tora afeta os rendimentos no processamento e por conseqüência os custos de produção. Neste aspecto, cuidados no abate, arraste, operações de carregamento e descarregamento são relevantes.

No planejamento das operações de corte o correto direcionamento de queda, o arraste e a redução das distâncias de empilhamento podem evitar ou minimizar quebras e danos mecânicos e reduzir rachaduras, otimizando desta forma o aproveitamento da madeira.

O carregamento e o descarregamento também são operações que podem causar danos significativos quando realizadas por equipamentos ou formas inadequadas.

A seleção e a classificação das toras por defeitos (tortuosidade, conicidade, galhos, nós) e por dimensões facilita o processamento e o direcionamento do uso da madeira.

Outras perdas comumente observadas são devido à manipulação inadequada de estoques, alterando-se a ordem do material que foi primeiramente cortado e enviado para o processamento. O resultado disso é o ataque fúngico (mancha azul) no caso de coníferas; rachaduras no caso de toras de eucalipto, e perdas de velocidade de processamento, já que a velocidade de corte acaba sendo reduzida com a secagem das toras.

 

Redação Ambiente Brasil