Glossário Ambiental – H

 

Hábitat. (1) Local com características e componentes ecológicos específicos, onde as espécies estão adaptadas e completam naturalmente seu ciclo biológico. Florestas, savanas, lagos, dentre outros, são exemplos de hábitats. (2) Hábitat de um organismo é o lugar onde vive ou o lugar onde pode ser encontrado. O hábitat pode referir-se também ao lugar ocupado por uma comunidade inteira. Por analogia, pode-se dizer que o hábitat é o endereço do organismo e o nicho ecológico é biologicamente falando, sua profissão (ODUM, 1972). (3) Conjunto de todos os fatores e elementos que cercam uma dada espécie de ser vivo (MARTINS, 1978). (4) O local físico ou lugar onde um organismo vive, e que obtém alimento, abrigo e condições de reprodução (USDTM 1980). (5) Significa o lugar ou tipo de local onde um organismo ou população ocorre naturalmente (ARRUDA et allii, 2001). (6) Ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis para o desenvolvimento, a sobreviência e a reprodução de determinados organismos. (7) Ambiente onde um animal ou uma planta vive normalmente, muitas vezes caracterizado por uma forma vegetal ou característica física dominante (isto é, o hábitat de lago, de florestas etc.). (8) O hábitat está em relação direta com a estrutura e as funções do ecossistema. (9) Ambiente natural de uma determinada espécie animal, com os recursos necessários de alimento e abrigo, e onde todo o ciclo reprodutivo está assegurado; espécies distintas podem ocupar o mesmo hábitat. (10) Ambiente ou ecossistema que oferece um conjunto de condições favoráveis para a reprodução, o desenvolvimento e sobrevivência de determinada população de organismos (Glossário Ibama, 2003).

Hachura. Pequenas linhas desenhadas num mapa cujos ângulos que separam áreas distintas de acordo com a indicação do gradiente. Quanto mais aproximadas estão as linhas umas das outras, mais inclinada a encosta ou vertente (Glossário Libreria, 2003).

Halófilo. Organismo que habita meio rico em sal.

Halófita. Espécie vegetal halófila (que habita meios ricos em sal), cuja característica principal é a suculência.

Hectare. Medida agrária que corresponde a 10.000 m2.

Heliófita. (1) Planta adaptada ao crescimento em ambiente aberto ou exposto à luz direta. (2) Espécie vegetal que só pode crescer e reproduzir-se sob insolação direta.

Heliógrafo. Instrumento de sinalização militar utilizado no séc. XIX. Consistia basicamente em um espelho e em uma grade semelhante a uma persiana para impedir a chegada da luz solar no espelho. Com um ou mais espelhos, as mensagens podiam ser transmitidas mesmo quando o sol estava atrás do emissor.

Hemicriptófita. Espécie vegetal, que na estação desfavorável, se reduz somente à parte subterrânea e que em condições ambientais favoráveis desenvolve novos órgãos aéreos.

Hemisfério. (1) Metade de uma esfera; semi-esfera. Cada uma das duas metades Norte e Sul do globo terrestre, imaginariamente separadas pelo Equador.  Cada uma das duas metades ocidental e oriental, separadas por qualquer dos meridianos. (2) Cada uma das duas partes do globo terrestre ou da esfera celeste, separadas pelo Equador terrestre ou pelo Equador celeste: hemisfério norte, boreal ou setentrional e hemisfério sul, austral ou meridional. Em relação ao meridiano de Greenwich temos o hemisfério leste ou oriental e o hemisfério oeste ou ocidental (Glossário Libreria, 2003).

Herbáceas. (1) Plantas com características de erva. Designativo das plantas cujos ramos e hastes não são lenhosas e perecem depois da frutificação. (2) Grupo de plantas folhosas, não-lenhosas; comumente formam a camada de vegetação mais baixa de uma comunidade vegetal.

Herbário. (1) Coleção de espécimes vegetais secos e prensados, arranjados e descritos de forma sistemática, e que servem de referência taxonômica para a identificação e classificação das plantas. Coleção de plantas que geralmente passaram por um processo de prensagem e secagem. Tais plantas são ordenadas de acordo com um determinado sistema de classificação e são disponíveis para referências e outros fins científicos (FERRI et alii, 1981). (2) Coleção de plantas preservadas e destinadas à pequisa científica ou ao ensino de botânica.

Herbicida. (1) Produto utilizado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis. (2) Substâncias químicas, com maior ou menor toxicidade, borrifadas nas plantações para matar ervas daninhas. (3) Substância química usada para matar plantas e principalmente ervas daninhas (CARVALHO, 1981). (4) Pesticida químico usado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis (BRAILE, 1983).

Herdabilidade. (1) Proporção da variabilidade observada devida à herança genética. Pode ser no sentido amplo quando a proporção da variação fenotípica for devida a causas genéticas de uma maneira geral, ou herdabilidade no sentido restrito quando a proporção da variância fenotípica for devida aos efeitos aditivos dos genes. (2) A proporção da variância do caráter devido aos fatores hereditários, distintos dos fatores ambientais.

Hereditariedade. (1)Fenômeno de continuidade das características biológicas pelo qual as formas vivas se repetem nas gerações seguintes. (2) Transmissão de características genéticas paternas à prole através de genes específicos, dispostos sob a forma de nucleotídeos nos cromossomos. A hereditariedade segue as chamadas leis mendelianas de transmissão, em homenagem a seu descobridor, Gregor Mendel.

Hermafrodita. (1) Em plantas, é a flor que reúne os aparelhos masculino (androceu) e feminino (gineceu) na mesma peça (ex.: flor de goiabeira). (2) Em animais, é o indivíduo que reúne os dois sexos no mesmo genótipo (ex.: caramujo).

Herpetofauna. Totalidade das espécies de répteis e anfíbios de uma região.

Heterobeltiose. Superioridade do híbrido em relação ao progenitor de melhor desempenho.

Heterose. Vigor híbrido, de tal maneira que o F1 híbrido destaca-se favoravelmente dos pais homozigotos com relação a um ou mais caracteres agronômicos desejados. O híbrido é um heterozigoto superior em aptidão, causado por superdominância, e geralmente se supera em tamanho, rendimento e produtividade.

Heterotrófico. (1) Que não sintetiza, por si próprio, seus constituintes orgânicos, porém recorre a um produtor de alimentos orgânicos. Por exemplo, os herbívoros (LEMAIRE & LEMAIRE, 1975). (2) Organismo que utiliza matéria orgânica sintetizada por outros organismos, como fonte de energia (ACIESP, 1980).

Heterótrofos. Organismos que não produzem seu próprio alimento.

Heterozigoto. Indivíduo que apresenta alelos diferentes de um mesmo gene.

Hiato. Intervalo de sedimentação denotado pela suspensão de camadas numa determinada seqüência sedimentar (sentido restrito).

Hibernação. Período durante o qual hibernam certos animais ou parte de certas plantas.

Hibernar. Um animal passa o inverno em sua toca ou caverna, numa espécie de sono, em que há entorpecimento total ou parcial. Em Botânica, o inverno em estado de repouso, sem vegetar, como os espórios, gomos e outras partes de certas plantas.

Hibridação. Ato de criar híbridos através do cruzamento de indivíduos com genótipos diferentes. A diferente expressão de certas características é atribuída ao acontecimento da recombinação gênica.

Hibridação introgressiva. Causada por cruzamentos interespecíficos repetidos ou mesmo contínuos, causando assim uma infiltração de genes de uma espécie para outra, em decorrência de falhas do mecanismo de isolamento reprodutivo. Veja introgressão.

Hibridação somática. Processo de hibridação através da fusão de protoplastos.

Híbrido. (1) Produto resultante de um cruzamento entre progenitores geneticamente distintos. (2) Produto imediato do cruzamento entre linhagens geneticamente diferentes (Lei 9.456/97 e Decreto 2.366/97).

Hidrelétricas. Usinas que produzem eletricidade a partir do aproveitamento das quedas d’água.

Hidrocarboneto. (1) Cada um de uma classe de compostos orgânicos formados de carbono e hidrogênio e que compreende as parafinas, olefinas, membros da série dos acetilenos, que ocorrem em petróleo, gás natural, carvão-de-pedra e betume. (2) Símbolo químico: HC; qualquer composto químico que contém apenas carbono e hidrogênio; grupo de químicos orgânicos que inclui a maior parte dos derivados de petróleo.

Hidrocoria. Disseminação ou dispersão das plantas pela ação das águas. Sementes, esporos e frutos são carregados pelas correntezas dos rios, das chuvas e dos mares a pontos distantes, onde encalham e tornam possível o desenvolvimento de uma nova planta da mesma espécie.

Hidrogênio. Símbolo químico: H; o mais leve e mais abundante de todos os elementos, encontrado na água e em muitos compostos orgânicos.

Hidrogeologia. Ramo da geologia aplicada que estuda o comportamento aqüífero de diferentes rochas e formações, e o aproveitamento de água subterrânea.

Hidrografia. Ciência e descrição dos mares, lagos, rios etc., com referência especial ao seu uso para fins de navegação e comércio.

Hidrografia descritiva. Conjunto das águas correntes ou estáveis de uma região.

Hidrólise. Mudança provocada por influência de água, como, por exemplo, decomposição de minerais. Resulta da dissociação mais ou menos completa da água dando íons de hidrogênio, com conseqüente formação de pH ácido.

Hidrologia. (1) Ciência que tem como objeto de estudos a água na Terra, sua circulação, ocorrência, distribuição, assim como suas propriedades físicas e químicas, além de suas relações com o meio em que circulam. (2) Ciência que trata das águas, suas propriedades, leis, fenômenos e distribuição, na superfície e abaixo da superfície da Terra; hidatologia.

Hidrosfera. (1) Invólucro hídrico do globo terrestre, que inclui os oceanos, lagos, rios, águas subterrâneas e o vapor aquoso da atmosfera. (2) Ambientes aquáticos oceânicos e continentais da biosfera. (3) Meio líquido do planeta, constituído pelas águas oceânicas e continentais da Terra. As superfícies líquidas correspondem a 71% da superfície terrestre, enquanto as terras emersas 29 %.

Higrófila. (1) Planta que adapta com facilidade com a umidade ou que só vegeta com a umidade. (2) Vegetação adaptada a viver em ambiente de elevado grau de umidade (Resolução CONAMA 012/94). (3) Espécie vegetal que só se encontra em ambientes úmidos e que se caracteriza por grandes folhas delgadas, tenras e com ponta afilada.

Higrófilos. (1) Vegetal adaptado a lugares muito úmidos. (2) Vegetal que se desenvolve em lugares úmidos e que se caracteriza por grandes folhas.

Hinterland. É a área que serve e é servida por um núcleo urbano. O termo originalmente foi usado para portos (no litoral) e um deles  poderia ter parte de seu “hinterland” fazendo parte de área ligada a outro porto. Em português, usa-se Hinterlândia (Glossário Libreria, 2003) .

Hipersensibilidade. Reação química, geralmente causada por substâncias fenólicas denominadas de fitoalexinas, que se manifestam em partes de plantas atacadas por patógenos, matando as células ao redor da lesão, não deixando assim que o condicionante biológico se alastre.

Hipocentro. Ponto ou região do interior da crosta terrestre de onde parte o terremoto. Quando o hipocentro se situa perto da superfície, o terremoto se manifesta com movimento intenso no epicentro (v.), com pequeno raio de amplitude. Quando o hipocentro localiza-se mais profundamente, o terremoto manifesta-se por movimento reduzido no epicentro, mas com larga distribuição.

Hipogeus. Ambientes subterrâneos, às vezes com pequenas galerias nas quais eram sepultados os mortos.

Hipótese Gaia. (1) Hipótese formulada por James E. Lovelock e Lynn Margulis em 1979, que se refere ao papel dos organismos vivos na manutenção do equilíbrio climático da Terra. A teoria vê a Terra como um único, porém complexo organismo, capaz de se auto-organizar. Os elementos bióticos atuam na moderação do clima, gerando condições químicas e físicas favoráveis para todas as formas de vida do planeta. Gaia era, na antiga mitologia grega, o nome da deusa que simbolizava a Terra. (2) Teoria que considera todas as funções da biosfera como um sistema único; de acordo com a hipótese de Gaia (palavra grega que designa a Mãe-Terra), a flora, a fauna, o clima e os ciclos biogeoquímicos da Terra são interligados e qualquer mudança em uma parte do sistema afeta o todo; apresentada em 1972 por James Lovelock.

Hipsometria. É a representação do terreno por meio das curvas de nível, mostrando a planialtimetria.

Holismo, Holístico. (1) Teoria filosófica, aplicada às ciências ambientais para a compreensão das relações entre os componentes do meio ambiente, pela qual seus elementos vivos (todos os organismos, inclusive os homens) e não vivos interagem como um todo, de acordo com leis físicas e biológicas bem definidas. Neste sentido, holístico significa total, abrangente, que considera as inter-relações de todos os componentes do meio ambiente. (2) Doutrina segundo a qual a vida, sob todos os seus aspectos, constitui um sistema interagente e integrado com os elementos inorgânicos do meio (CARVALHO, 1981). (3) Perspectiva que leva em conta a totalidade e não os componentes isoladamente; termo retirado do Holismo, teoria filosófica aplicada às ciências ambientais para explicar as relações entre os componentes do meio ambiente, pela qual os elementos vivo e não-vivos interagem como um todo, seguindo leis físicas e biológicas.

Homeostase. Processo de autoregulação, através do qual os sistemas biológicos tentam manter um equilíbrio ou estabilidade, enquanto se ajustam às mudanças de condições ambientais para uma ótima sobrevivência. Por exemplo, a regulação da população implica num mecanismo homeostático. Quando mudanças ambientais ocorrem tais que proporcionem maior quantidade de recursos e proteção, a população aumenta em resposta; por outro lado, quando há falta de recursos ou proteção a população diminui para se ajustar a esta nova situação.

Homeostase do desenvolvimento. Capacidade apresentada por uma planta de não alterar as suas características fenotípicas quando cultivada em diferentes condições ecológicas.

Homeostase genética. Capacidade de um genoma de não aceitar alteração genética na sua constituição.

Homeostasia. (1) É a manutenção do equilíbrio interno de um sistema biológico (célula, organismo, ecossistema), através de respostas controladas a alterações que podem se originar dentro ou fora do sistema. (2) (Homeo = igual; stasia = estado) é o termo empregado para significar a tendência de os sistemas biológicos resistirem a mudanças e permanecerem em estado de equilíbrio (ODUM, 1972). (3) Tendência dos ecossistemas biológicos a resistir a alterações e permanecer em estado de equilíbrio dinâmico (HURTUBIA, 1980).

Homoclinal. Grupo de camadas que apresentam um mergulho regular, segundo uma mesma direção.

Homozigoto. Indivíduo que apresenta alelos iguais.

Hospedeiro. Organismo vivo servindo de substrato e/ou fonte de energia para outro.

Hot spot de Biodiversidade. Estratégia de conservação baseada na definição de áreas ricas em biodiversidade em todo o planeta. Os critérios para definir um hot spot em escala internacional são: alto endemismo e diversidade de plantas; como todas as demais formas de vidas dependem delas, as plantas são de grande importância na determinação de um hot spot. De fato, o candidato a hot spot  precisa conter pelo menos 0,5%, ou seja, 1.500 das 300.000 espécies de plantas do planeta como endêmicas.

Húmus. (1) Produto da decomposição microbiana e química dos detritos orgânicos, cuja composição química é muito variável. Atua em geral como ácido orgânico bivalente com cerca de 58% de H, 3% de N e 2% de S, P, Ca, Fe e K e outros elementos. Quando quase saturado de Ca (cálcio), constitui terras ricas. Solúvel, em grande parte, em hidróxidos alcalinos, mas insolúvel em hidróxidos alcalino-terrosos e em ácidos. (2) Material orgânico inerte, finamente dividido, resultante da decomposição microbiana de planta e substâncias animais, compostos aproximadamente de sessenta por cento de carbono, seis por cento de nitrogênio, e menores quantidades de fósforo e enxofre. A decomposição da matéria orgânica viva do solo torna essas substâncias próprias para serem utilizadas pelas plantas. (3) Restos orgânicos, principalmente vegetais (folhas) num estado avançado de decomposição, principalmente misturado com o solo (turfa: matéria orgânica; fonte importante de nutrientes minerais; terra vegetal) (GOODLAND, 1975). (4) Matéria escura que se forma pela decomposição e fermentação de elementos vegetais, matérias orgânicas amontoadas e comprimidas em plataformas e fossas que formam naturalmente camadas mais ou menos espessas. O humo é usado para corrigir alguns tipos de solos; todos os solos cultivados contêm humo em maior ou menor quantidade (Glossário Libreria, 2003).

 

Ambiente Brasil