Ambiente Fauna

Baleia-jubarte (Megaptera novaeaengliae)

Animal de dimensões imponentes facilmente distinguível dos demais pelo exagerado tamanho das nadadeiras peitorais longas e estreitas que chegam a medir um terço do comprimento total do corpo

Envie para um amigo


Classe: Mammalia

Ordem: Cetacea

Família: Megaptera

Nome científico: Megaptera novaeangliae

Nome vulgar: Baleia-jubarte

Categoria: Vulnerável

Características: Animal de dimensões imponentes facilmente distinguível dos demais pelo exagerado tamanho das nadadeiras peitorais longas e estreitas que chegam a medir um terço do comprimento total do corpo. Possui uma pequena nadadeira dorsal, de formato variável, mas tipicamente trapezoidal. A cabeça é alongada; na parte superior e nas margens da mandíbula apresenta nodosidades e protuberâncias irregulares que também ajudam a identificar a espécie. Tem cerca de 15 a 35 pregas ventrais que se estendem desde a região da garganta até o ventre. A cor é preta pardacenta, com manchas esbranquiçadas na barriga e sob as nadadeiras, estas por vezes completamente claras. Entre as grandes baleias é a espécie que apresenta maior comportamento acrobático. Durante o acasalamento, observa-se grande movimentação e procedimentos grupais ruidosos. Nada lentamente e salta fora d'água. Deixa aparecer a nadadeira caudal ao mergulhar. A pele muito lisa facilita o nado e sua camada de gordura diminui-lhe a densidade. Geralmente as baleias desta espécie são avistadas sozinhas ou acompanhadas por um baleote nas épocas de reprodução. Pequenos grupos de 3 a 5 baleias são também freqüentes. Congregam-se em número maior nas áreas de alimentação. A dieta é variada incluindo principalmente crustáceos e pequenos peixes. Um método curioso de captura das presas é a emissão de uma cortina cilíndrica de bolhas em torno dos cardumes, para concentrá-los e facilitar a captura dos peixes. Dão cria a um filhote a cada dois anos ou mais. A gestação é da ordem de 12 meses. O baleote nasce pela cauda, medindo cerca de 4,5 a 5 m de comprimento e pesando 1.300 kg. A lactação dura cerca de um ano. Emitem grande diversidade de sons que constituem "cantos" variáveis segundo as diversas populações, alterando-se também com o passar dos anos.

Peso: 35 ton

Comprimento: 16 m

Ocorrência Geográfica: São animais migratórios, como acontece com a maioria das grandes baleias, ocorrendo em todos os oceanos desde as regiões polares às baixas latitudes. Migram para regiões mais quentes, junto ao litoral, durante o inverno e a primavera. Durante as migrações para reprodução, concentram-se nas proximidades das massas continentais. No Brasil, são avistadas com maior freqüência em águas rasas da plataforma continental e na proximidade de bancos oceânicos. A região do Banco de Abrolhos é uma área de grande importância para a reprodução, provavelmente a mais significativa do Atlântico Sul. Vivem tanto em alto mar, como perto das costas, em águas profundas e em baías mais rasas. A população do Atlântico Sul freqüenta a costa do Brasil durante o inverno e primavera. No verão, voltam para o Oceano Antártico onde se alimentam.

Categoria/Critério: Classificada pela IUCN na categoria Vulnerável. Incluída no Anexo I da CITES.

Cientista que descreveu: Borowsky, 1781

Observações adicionai: Como acontece com todas as grandes baleias, o colapso populacional deveu-se à caça comercial praticada até meados do século XX. No litoral brasileiro, verificam-se encalhes, enredamento nos equipamentos de pesca e colisões com embarcações. Na região de Abrolhos, foi comprovado que o tráfego de embarcações interfere na presença e comportamento das baleias.

Fonte: MMA/SINIMA



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.