Ambiente Educação

Trilha Interpretativa: percepção e interpretação ambiental da microbacia do Ribeirão do Ouro através da fotografia - Araraquara-SP

Acreditamos que pode ser possível consolidar a fotografia como meio de expressão na comunicação social para uma tomada de conscientização entre os alunos, para a participação de cada um no processo de preservação ambiental.

Envie para um amigo

 

 

Por Cristiane Regina Stuchi Fabbri e Andreia Cristina Eloy Bissesto

 

A percepção é um processo mental que ocorre entre o ser humano e o meio ambiente através de mecanismos perceptivos e cognitivos. Cada indivíduo percebe, reage e responde diferentemente frente às ações do meio.

Acreditamos que pode ser possível consolidar a fotografia como meio de expressão na comunicação social para uma tomada de conscientização entre os alunos, para a participação de cada um no processo de preservação ambiental. O aluno percebe e reconhece os elementos do universo ou espaços em que está inserido numa escala muito mais significativa de percepção de espaço-ambiente, quando ele mesmo faz o registro visual em imagens fotográficas. Estas obtenções fotográficas visam a perspectiva da produção de conhecimento, reconhecimento e crítica do indivíduo em relação ao seu território, cujos resultados podem servir de fonte de identificação, análise e interpretação dos elementos que constituem o seu universo.

Neste sentido, a Fotografia e a Educação Ambiental compõem um terreno fértil na elaboração de uma nova relação homem e natureza e do homem com sua própria natureza, na consolidação de uma consciência ecológica que reconheça a importância e o valor de todas as formas de vida e na responsabilidade da formulação de um novo pensamento coletivo e planetário. À medida que a fotografia permite o movimento de “enxergar a si próprio” e o mundo em que vivemos, podemos agir rumo à construção do mundo que sonhamos e queremos, com uma sociedade mais poética, justa, solidária, sustentável e eticamente planetária.

O projeto foi desenvolvido com 21 alunos da 4ª série A da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Waldemar Saffiotti”, utilizando a trilha interpretativa como recurso educativo de percepção ambiental. De acordo com JUNQUEIRA (2004) a trilha interpretativa “é utilizada como estratégia para promover maior integração entre homem e natureza, proporcionando melhor conhecimento do ambiente local na abordagem de aspectos históricos, geomorfológicos, culturais e ambientais”.

O percurso da trilha foi elaborado tendo como base as diferentes paisagens naturais e construídas ao longo de toda a Microbacia do Ribeirão do Ouro que possui duas nascentes. O percurso total do Ribeirão do Ouro, da nascente a sua foz (excetuando-se os afluentes), possui 17.600 metros de extensão com trechos caracterizados por espaços naturais e artificiais destacando-se áreas de preservação com fragmentos de mata nativa de cerrado, áreas que necessitam de recuperação, áreas urbanas e áreas rurais. Ao longo do seu trajeto demarcamos cinco estações principais sugeridas como pontos de paradas para a realização de atividades e de observações dos diversos aspectos da trilha como tipo de vegetação, presença ou ausência de animais silvestres, presença ou ausência de mata ciliar, sons e odores predominantes, impactos ambientais e qualidade da água. Nestes pontos, os alunos tiraram fotografias de acordo com o que mais chamou atenção naquele ambiente.

Utilizamos vídeos educativos, questionários, aulas expositivas, redações, brincadeiras ecológicas e dinâmicas de grupo como recursos pedagógicos, bem como as aulas de campo para posterior análise e interpretação das fotografias tiradas pelos alunos.

Podemos concluir que o ensino vivencial permite uma aprendizagem mais efetiva, sendo o papel da educação ambiental estimular a reflexão crítica como proposta da construção do conhecimento e da afetividade.

Assim, procuramos encorajar os alunos aguçando sua curiosidade acerca da realidade cotidiana levando-os a refletir e interagir conosco seus questionamentos e observações críticas, de modo que as perguntas dos alunos se transformaram em novas questões de aprofundamento teórico. Isto nos deu subsídios para fazer um cenário avaliativo de respeito à diversidade de suas perguntas e respostas, constituído por discussões que ultrapassaram os temas meramente ecológicos estendendo-se para temas sociais e éticos. Dessa forma, conseguimos trabalhar a sensibilidade e a afetividade dos alunos de modo a conceber a avaliação como um projeto de futuro, no sentido de buscar garantir a todos uma aprendizagem para toda a vida.

 

q
Alunos da 4ª série A, Andréia, Cristiane e a foz do Ribeirão do Ouro ao fundo.

 

 

 

Fonte: Cristiane Regina Stuchi Fabbri (crisfabbri@terra.com.br) e Andreia Cristina Eloy Bissesto (abissesto@araraquara.sp.gov.br), Pós-Graduação em Educação Ambiental e Recursos Hídricos – CRHEA/USP/São Carlos



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Educação 60's 70's 80's 90's Acre Agenda 21 Agricultura Agronomia Água Alagoas Alimento Amapá Amazonas Ambientais Ambiental Ambiente Anos Aproveitamento de água Aquicultura Área de Preservação Arqueologia Arqueólogo Arquiteto Arquitetura Artigo Árvore Educacional Bahia Bibliografia Bibliotecas Biodiversidade Biologo Bioprocessos Biotecnologia Cadeia alimentar Calendário Capacitação Profissional Cartilha Cartografia Caule Ceará Ciências Ciências do mar Combate a pragas Comemorativas Consciência Consciência Ecológica Conservação Conservação Ambiental Consumidores Consumo Sustentável Cultura Data Datas Dengue Desenvolvimento Sustentável Desordenada Dinheiro Distrito Federal Diversidade Biológica Doenças Dúvidas Eclipse Ecologia Economia Ecosistema Educação Educação Ambiental Engenharia Escola Espírito Santo Estações do Ano Estado Fauna Feriado Festa Junina Financiamento Flor Florestal Florestas Foco do mosquito Fogos Fogueiras Folha Fotografia Frutas Nativas Fruto Geofísica Geografia Geologia Gerenciamento Ambiental Gestão ambiental Glossário Goiás História Impactos Ambientais Incorporação do EA Industrial Inserção de critérios ambientais e sociais Inserção Profissional Instituições Interespecíficos Internacional Intra-específicos Legislação Lei Ambiental Leitura Links Livros Madeira Madeireira Manacial Mato Grosso Meio Ambiente Meio-Ambiente Minas Gerais Mundo Núcleos O que é Oceanografia Pantanal Pará Paraíba Paraná Patrimônio Percepção Perguntas Pernambuco Pesca Piauí Políticas Ambientais Praia Prêmio Prêmio Ambiental Preservação Ambiental Preservação do Meio Ambiente Prevenção Profissionais Programa identificado como A3P Projetos Projetos ambientais Proteção Proteção ao meio-ambiente Qualidade Ambiental Qualidade da água Quimica Racismo Raíz Real Reciclagem Recursos Hídricos Recursos Naturais Responsabilidade Ambiental Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Riscos Ambientais Rondônia Roraima Rural Sanitária Santa Catarina São Paulo Satisfação Selos Sementes Sensibilização Sergipe Socio-ambiental Sustentabilidade Tecnologia Tecnólogo Textos Educativos Tocantins Tráfico de animais Tratamento de Efluentes Urbanização Uso Sustentável de Recursos Naturais Zona Costeira

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.