O Uso da Percepção Ambiental como Instrumento de Gestão em Aplicações Ligadas às Áreas Educacional e Meio Ambiente

 

 

A Faculdade Brasileira – UNIVIX / Vitória (www.univix.br), Estado do Espírito Santo oferece os cursos de Farmácia, Enfermagem, Psicologia, Direito, Ciências Contábeis, Administração, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica e Engenharia de Produção Civil, para cerca de 2.500 alunos.

Por iniciativa do curso de Engenharia de Produção Civil (EPC), visando dar maior amplitude a seu programa de extensão para alunos interessados na temática ambiental, implantou, em fins de 2002, o Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental – NEPA.

O NEPA teve como membros fundadores os cursos de Psicologia, Direito, Enfermagem e Engenharia Elétrica, sendo coordenado pela EPC.

Estes participam do núcleo de estudo, com professores mestres e doutores, objetivando um enfoque multidisciplinar (processamento de dados, estatística, química, engenharia ambiental, direito, psicologia, etc), possibilitando o atendimento das demandas de pesquisa de interesse dos alunos ou propostas pelos próprios professores.

A produção científica do NEPA se destacou em 2003 através da publicação de artigos em três revistas técnicas de circulação nacional, sendo que o trabalho “Percepção Ambiental de Professores da Faculdade Brasileira – UNIVIX”, recebeu o Prêmio Ecologia 2003 (promovido pela Secretaria de Estado para Assuntos de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Espírito Santo), bem como Menção Honrosa no Prêmio Conselho de Meio Ambiente 2003, da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo.

A escolha da temática “Percepção Ambiental” foi produto de um estudo cuidadoso. Optou-se por esta temática, pois era intenção da coordenação do curso de EPC estabelecer uma forma diferenciada de oferta da disciplina “Ciências do Ambiente”, direcionando-a as efetivas necessidades dos alunos. Por outro lado, aspecto não menos importante, o instrumento favorecia uma ação interdisciplinar no processo de inserção da variável ambiental ao longo de toda a grade curricular do curso, e não apenas através da disciplina oferecida regularmente.

Lançando mão de questionários especialmente desenvolvidos, o NEPA, que concentrou seu trabalho em segmentos formadores de opinião, desenvolveu e vem usando a percepção ambiental (PA) como instrumento pedagógico auxiliar no encaminhamento da temática ambiental no âmbito das instituições de ensino.

É importante destacar que a base do sucesso de uma pesquisa envolvendo PA está diretamente ligada à qualidade do questionário adotado . Tal questionário deverá estar estruturado à luz dos objetivos a que se pretende e, sobretudo, considerar o tipo / nível do entrevistado.

Portanto, um dos objetivos iniciais das pesquisas do NEPA foi a proposição de um instrumento pedagógico auxiliar que pudesse ser aplicado em alunos ingressantes em uma instituição de ensino,possibilitando a identificação e quantificação da percepção dos entrevistados frente às várias áreas do conhecimento ambiental.

O questionário visava identificar, em relação ao conhecimento ambiental original dos alunos, as denominadas “lacunas de informação”, bem como “informações distorcidas”. Tais aspectos são essenciais (visão inter e multidisciplinar) quando do planejamento das atividades a serem oferecidas (vídeos, visitas técnicas, palestras de especialistas externos à instituição, discussão de casos, pesquisas dirigidas, estágios programados em empresas e órgãos normativos de controle ambiental, etc).

Em relação aos professores, a metodologia proposta permite identificar vulnerabilidades no contexto do conhecimento do corpo docente da instituição, objetivando, também, a definição de um processo de intervenção sobre tais vulnerabilidades e, por conseqüência, o aprimoramento do conhecimento da temática ambiental dos mesmos (workshops direcionados, seminários internos com a presença de alunos, circulação de bibliografia direcionada, definição conjunta de temas a serem trabalhados com os alunos de forma multidisciplinar, estruturação conjunta do programa de extensão, visitas técnicas, etc).

Portanto, explicitadas as vulnerabilidades de conhecimento ambiental de alunos e professores, a metodologia adotada tornou possível planejar, de forma objetiva, as formas mais eficazes de encaminhar a solução mais adequada para os problemas identificados.

É importante destacar, como mostrou a pesquisa desenvolvida com os alunos, que os problemas diagnosticados não estavam vinculados apenas a alunos ingressantes de diferentes cursos, mas, também, entre turmas de alunos de um mesmo curso.

Neste novo contexto, um processo de transferência de conhecimento até então considerado estático (disciplina padrão oferecida sistematicamente às várias turmas) se transformou em um processo dinâmico, sustentado em informações quantitativas, passíveis de reavaliação periódica (geração de um banco de dados), adequado às necessidades da real demanda de informações de cada turma e/ou curso. Tal fato consolidou uma proposta pedagógica diferenciada, mais eficaz no encaminhamento da temática ambiental nas instituições de ensino.

A mesma metodologia também vem sendo utilizada pelo NEPA como instrumento de pré-diagnóstico do conhecimento ambiental de comunidades a que se pretende oferecer programas de Educação Ambiental, evitando, como muitas das vezes ocorre, oferecer um programa sem plena aderência com as reais expectativas dos participantes.

A mesma metodologia pode ser utilizada para a avaliação,junto a comunidades de sua área de influência (partes interessadas), dos resultados percebidos pela sociedade decorrentes de programas ambientais e/ou sociais, mantidos por uma empresa ou instituição. Ou seja, a quantificação, via avaliação da percepção ambiental, dos efeitos (eficácia) das ações de responsabilidade ambiental e social de uma organização.

No momento o NEPA está iniciando uma pesquisa com 1.500 professores do ensino fundamental público, de escolas do estado e municípios do sul do Espírito Santo. A pesquisa visa, a partir da análise de seus resultados, estabelecer uma proposta de programa de Educação Ambiental a ser oferecido a tais professores. Este trabalho, que está sendo desenvolvido com apoio de uma grande empresa do estado, conta com a íntima participação das Secretarias Estadual e Municipais de Educação, bem como as de Meio Ambiente.

Para a sustentação da pesquisa, foi elaborado um questionário, com perguntas de múltipla escolha que, para alguns itens solicita a apresentação de justificativa para a resposta apresentada.

Outra pesquisa do NEPA que merece destaque está relacionada à percepção, pela sociedade, dos pontos mais importantes da legislação ambiental básica, envolvendo, também, a forma como o cidadão vê o trabalho (desempenho) dos órgãos normativos de controle ambiental (federal, estadual e municipais)

Como exemplo final de aplicação de PA, está a avaliação dos efeitos denominados “apelos ecológicos” (transgênicos, biodegradáveis, reciclagem, etc) sobre o perfil de decisão de compra dos consumidores. O trabalho será realizado em redes de supermercados da Grande Vitória.

Portando, como mostra a diversidade das pesquisas conduzidas pelo NEPA, o uso da PA como instrumento de gestão, apresenta um grande potencial de uso, além de um poderoso instrumento no âmbito das atividades educacionais.

Em particular, a proposta do NEPA, voltada ao aprimoramento do ensino da temática ambiental, vem despertando interesse por parte de outras instituições de ensino, fato que levou o núcleo a disponibilizar as informações aos interessados, bem como, nestes casos, estimulando e estruturando a realização de trabalhos em parceria.

As informações sobre os trabalhos conduzidos pelo NEPA, bem como seus resultados e instrumentos usados nas pesquisas, podem ser acessadas através dos sites www.futurasgeracoes.com.br e www.ambientetotal.pro.br , que criaram, a partir dos trabalhos gerados na UNIVIX, espaços específicos para a divulgação e apresentação de iniciativas ligadas a Percepção Ambiental. Outra forma de informação é contatar diretamente a coordenação do NEPA via internet ( roosevelt@ebrnet.com.br) ou por telefone (27) 3335.5629.

Para concluir, uma das metas do NEPA para 2004, ainda em estágio preliminar de encaminhamento, dado que exigirá a definição de, no mínimo, um parceiro em cada estado da federação, visa à definição do “Perfil Nacional de Percepção Ambiental de Estudantes e Professores de Instituições de Ensino Superior”. Contatos já iniciados – envolvendo instituições de ensino superior públicas e privadas – mostram um interesse efetivo em participar da pesquisa, bem como evidenciam a importância deste tipo de informação consolidada.

Portanto, o NEPA tem interesse em manter contato, para troca de experiências ou a realização de trabalhos em parceria, com outros grupos que se dediquem a pesquisas na linha da Percepção Ambiental.

 

Maiores informações:

Prof. Roosevelt Fernandes (E-mails: roosevelt@ebrnet.com.br ou nepa@ebrnet.com.br)

Colaboradores: alunos do curso de Engenharia de Produção Civil da UNIVIX, em trabalho de extensão , ligados ao NEPA (Clarice Melo Gonçalves, Ana Regi