Ir direto para o conteúdo

Ambiente Brasil. O maior Portal de Meio Ambiente da América Latina

 

 Ambiente Resíduos

Reciclagem de Pneus pela retortagem

São adicionados à carga de xisto processada, cerca de 5% em peso de pneus picados, o que permite reciclar aproximadamente 140 mil toneladas de borracha anualmente, equivalentes a 27 milhões de pneus.

Envie para um amigo

 

Introdução

O Processo Petrosix patenteado pela Petrobras, inicialmente desenvolvido para retortagem exclusiva de xisto, foi modificado para o aproveitamento adequado do conteúdo energético de pneus usados e inservíveis. São adicionados à carga de xisto processada, cerca de 5% em peso de pneus picados, o que permite reciclar aproximadamente 140 mil toneladas de borracha anualmente, equivalentes a 27 milhões de pneus.

q

Localização da SIX

A SIX - Unidade de Negócio da Industrialização do Xisto da Petrobras está localizada no estado do Paraná, município de São Mateus do Sul, situado a 150 km de Curitiba. O município tem uma superfície de 1.280 km² e a área da jazida de xisto da formação Irati é de 140 km².


q

Etapas das Reciclagem

São várias as etapas envolvidas na reciclagem de pneus. Inicia-se com o recolhimento e armazenamento; na seqüência vem a etapa de transporte entre o armazenador e picotador, seguida do trabalho de picotagem e de transporte do pneu picado para a SIX. Cabe à SIX o armazenamento e o co-processamento dos pneus bem como o transporte e disposição do material inerte oriundo do processo.


Histórico

Depois de cumpridas as etapas indicadas a seguir, o IAP - Instituto Ambiental do Paraná concedeu a licença de operação nº 02652 em 05/01/00 para co-processamento de pneus com xisto. Nova licença de operação foi concedida em 25/01/02 sob o nº 08332.

q

Etapas:

1º teste de retortagem: autorização IAP 01403/98 em nov/98;

2º teste de retortagem: abril e maio/99;

Avaliação e aprovação do relatório dos testes: ago/99;

Protocolo de pedido de licença: out/99.


Em maio de 2001 a SIX iniciou a operação contínua de co-processamento de pneus com xisto. A marca de um milhão de pneus reciclados foi atingida em 31 de janeiro de 2002.


Razões do Projeto

Há várias razões que justificaram a implantação de um projeto voltado à reciclagem de pneus. Destacamos os seguintes:

    Saúde pública: O acúmulo de água nos pneus favorece a proliferação de insetos vetores de doenças infecciosas como dengue, febre amarela, filariose (elefantíase) e malária (região Norte).
      O armazenamento inadequado dos pneus torna-se ambiente favorável a roedores, que transmitem doenças ao homem através da mordedura, fezes e urina (leptospirose, gastrenterite, etc).

    Passivo ambiental: Estima-se que haja no Brasil cerca de 45 milhões de pneus inservíveis com disposição inadequada. Somam-se a esse volume outros 20 milhões que são descartados anualmente.

    Cumprimento da legislação: A legislação ambiental brasileira - Resolução Conama 258 - aprovada em 26/08/99, exige dos fabricantes e importadores de pneus a coleta e destinação adequada, conforme demonstra a tabela a seguir:

 

 Ano   Produzidos no país ou importados novos   Importados reformados 
2002 25% 25%
2003 50% 50%
2004 100% 125%
2005 125% 133%
2006 Haverá reavaloação pelo IBAMA

 

    Tecnologia conhecida: Os pneus podem ser transformados em óleo, gás e enxofre. Além disso, os arames que existem nos pneus radiais podem ser separados por meios magnéticos


Processo Petrosix com pneus

A SIX produz óleo, GLP, gás combustível e enxofre a partir do processamento de xisto há mais de 20 anos e passou a misturar pneus picados à rocha de xisto a partir de maio de 2001 em suas plantas industriais, obtendo um acréscimo no volume destes produtos.
Atualmente a capacidade de reciclagem anual da SIX é de 5 milhões de pneus, podendo ser ampliada para 27 milhões de pneus por ano no curto prazo.


Resultados

Produtos
Uma tonelada de pneus rende cerca de 530 kg de óleo, 40 kg de gás, 300 kg de negro de fumo e 100 kg de aço.
Os produtos gerados pelo processamento do xisto adicionado de pneus picados são óleo, gás combustível e enxofre. O óleo de pneu tem poder calorífico de 10.182 kcal/kg, densidade 0.9457, viscosidade 4,88 cSt @ 55º C. O gás tem poder calorífico de 8.015 kcal/kg.
O enxofre é utilizado na agricultura, indústria farmacêutica e na indústria de vulcanização.
Os resíduos - xisto e pneu retortado - podem ser aproveitados como combustíveis para termelétrica ou insumo para indústrias cerâmicas e o arame pode ser reciclado em indústrias siderúrgicas.

Meio Ambiente e Saúde
O material inerte gerado pelo co-processamento de pneus é depositado nas cavas da mina, juntamente com o xisto retortado. Este procedimento faz parte do processo de reabilitação de áreas mineradas pela Petrobras.
O processo de reciclagem de pneus, bem como os demais processos de mineração e industrialização do xisto, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de refino de petróleo e disposição de resíduos urbanos são certificados pelas normas ISO 14001 e OHSAS 18001.

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Resíduos Ação Social Acidentes Ambientais Aço ACV Agricultura Água de Coco Alimento Alumínio Amianto Amianto crisotila Análise do Ciclo de Vida ANP Aplicação Arsênio Asbestose Ascaréis Aterro Aterro Controlado Aterro Sanitário Bateria de Ni-Cd Baterias Baterias recarregáveis Benefícios Bibliografia Bifelinas policloradas Biomassa Brasil Cádmio Características Chumbo Classes dos resíduos Classificação Coco Verde Código de Cores Coleta Seletiva Combustível Componentes eletrônicos Compostagem Composto Húmico CONAMA Concreto Asfáltico Contaminação Hospitalar Cuidados Curiosidades Curitiba Decomposição Desperdício Dicas Disposição Final Educação Ambiental Efeito prejudiciais Efeito Tóxico Efluentes Embalagens Embalagens Longa Vida Embalagens plásticas Emissões Atmosféricas Emissões de Poluentes Entulhos Esgoto Estatística EXemplos Experiência Fatores Forro Gerenciamento de Resíduos Gestão ambiental Greenpeace Impactos Ambientais Incineração Índices Industrial Isopor Juiz de Fora Jundiaí Lâmpadas Fluorescentes Lata de Aço Latas de alumínio Legislação Lexiviados Lixão Lixo Lixo comercial Lixo doméstico Lixo Infectante Lixo Tecnológico Lodo Lodo de Esgoto Manejo Manganês Meio Ambiente Mercúrio Metais pesados Metal Monitoramento O que é Óleos Automotivos Óleos Industriais Óleos lubrificantes Óleos usados Óleos Vegetais Papel Periculosidade Perigos PET Pilhas Pilhas alcalinas Pilhas secas Plástico Pneus Polpa moldada Postos de Gasilonas Preservação do Meio Ambiente Processo de re-refino Processo de reciclagem Produtos Produtos Químicos Produtos Recicláveis Programas Projetos Reaproveitamento Reciclagem Reciclagem de Alumínio Reciclagem de òleos Reciclagem de pneus Reciclar Recursos Naturais Redução de Emissão Redução de resíduos Reduzir Resíduo Líquido Resíduos Resíduos gasosos Resíduos Hospitalares Resíduos Inertes Resíduos Não Perigosos Resíduos orgânicos Resíduos Perigosos Resíduos Sólidos Resíduos Tóxicos Resolução Reusar Reutilização Riscos à saúde Riscos Ambientais Rochas Graníticas Saco plástico Sacolas plásticas Saneamento Saúde Serviços de lavanderia Soluções Tempo de degradação Tóxico Tratamento Tratamento de Água Tratamento de Efluentes Tratamento especial Usinas Usos Vantagens Vidro Xisto

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2011 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.