Ambiente Gestão

Gestão de Impactos Sociais

Apesar de estudos de impactos sobre o meio ambiental e social serem exigidos há muito tempo, a "Gestão de Impactos Sociais" é algo extremamente novo no meio empresarial.

Envie para um amigo

 

Quem não conhece a célebre frase de O Pequeno Príncipe: "Tu és responsável por aquilo que cativas (Antoine de Saint-Exupéry, 1943)"? Parafraseando para os tempos atuais poderíamos dizer: "A empresa é responsável por aquele que nela trabalha", ou para ser ainda mais atual: "A empresa é responsável por aquele que nela trabalha e pelos impactos sociais sobre a comunidade onde se insere".

q

Os Estudos de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) exigem além do estudo de impactos ambientais, a avaliação dos impactos de um empreendimento sobre o "meio antrópico" ou seja, sobre as pessoas, sobre a população, sobre a comunidade do entorno. Esta exigência ocorre porque não se pode conceber que os impactos causados sobre as pessoas direta ou indiretamente atingidas por um novo empreendimento não sejam analisados. É uma pena que os famosos EIA - RIMA´s não sejam denominados de "Estudos de Impactos Sócio-Ambientais", talvez este título seria mais condizente.

Apesar de estudos de impactos sobre o meio ambiental e social serem exigidos há muito tempo, a "Gestão de Impactos Sociais" é algo extremamente novo no meio empresarial. Mas, o que isto significa e como isto é possível?

A Gestão de Impactos Sociais só é possível ou realmente aplicável se os trabalhadores (próprios e terceirizados) e a comunidade (onde se insere uma empresa) forem ouvidos. Para isto muitas empresas têm aberto "canais de diálogo" através de enquetes diretas ou serviços de ouvidoria (ex: jornal da empresa, telefone, e-mail, etc.).

A partir da identificação inicial dos impactos positivos e negativos exercidos pelas atividades da empresa sobre os trabalhadores e a comunidade, um plano de gestão de impactos sociais pode ser delineado, enfatizando ações para resolução de pontos críticos e das principais necessidades apontadas pela enquete.

Este tipo de gestão é revolucionário, pois as ações sociais a serem tomadas pela empresa atenderão às necessidades do meio social onde ela se insere e não às vontades políticas de diretores ou às estratégias de marketing que enfatizam somente o impacto positivo causado pela "geração de empregos".

É importante destacar que a Gestão de Impactos Sociais não depende de grandes investimentos e sim de re-direcionamento de verbas para atividades sociais que realmente interessam, é apenas uma questão de bom gerenciamento empresarial.

Ter "Responsabilidade Social" (termo tão usado atualmente) significa ir além do cumprimento das leis trabalhistas ou de padrões de saúde e segurança e abrange não apenas ações beneficentes ou doações. A empresa que realmente desenvolve sua função social é aquela que entende o papel que exerce para a comunidade e seus impactos sobre ela, é aquela que possui um canal de diálogo aberto e que na medida do possível tenta reparar danos causados e implementar ações que supram necessidades sociais reais.

 

Giovana Baggio de Bruns é Engª Florestal, especialista em Gestão Ambiental através do European Master in Environmental Management, EAEME – Kapodistrian University of Athens e Università degli Studi di Parma. Atualmente trabalha como gerente do Departament



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Gestão 14000 ABNT Acidentes Ambientais Ações Ambientais Administração Agenda 21 Água Alternativa Energéticas Amazônia Ambientais Ambiental Aquecimento global Artigo Avaliação Ambiental Barragens Bens Naturais Bibliografia Camada de Ozônio Capacitação Profissional Carbono Certificação de Produtos Certificado Chuva ácida Ciclo do Carbono Clorofluorcarbonos CO2 Código de Ética Comprometimento Conceito Consciência Ecológica Conscientização Conselhos Ambientais Consumo Sustentável Contabilidade Social Controle COP-9 Credenciamento Créditos Créditos de carbono Crescimento Econômico Curiosidades Custos Dano e efeitos ambientais Degradação Desastres Ambientais Descaso Desenvolvimento Limpo Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Desordenada Detritos Dióxido de Carbono Direito Direito Ambiental Direitos Humanos Eco 92 Ecologia Ecomarketing Economia Ecosistema Efeito Estufa Emissão de Gases Emissões de Poluentes Energia Energia Alternativa Energia Renovável Erosão Estado Estatuto Financiamento Fluxo Fotosíntese Fronteira Gestão ambiental Globalização Governo IBAMA Impactos Ambientais Implementação Imposto Indústria Instrumentação Internacional ISO ISO 14001 Kyoto Legislação Lei Licenciamento Limpa Maio Marketing Mecanismo Mecanismos Meio Ambiente Meio-Ambiente Mercado Metrologia Mineração Modelo Mudanças Climáticas Negócios Normalização Normas Ambientais O que é ONGs Operação Organismos OSCIP Papeis verdes Paraná Passivo Planejamento ambiental Políticas Ambientais Poluição Problemas ecológicos Produção sustentável Produtos Projetos Projetos ambientais Propriedade Rural Protocolo Protocolo de Kyoto Pública Qualidade Ambiental Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos biológicos Recursos Naturais Recursos Renováveis Redução de Emissão Reflorestamento Reforma tributária Relatório Reservas Resíduos Resíduos Sólidos Responsabilidade Ambiental Responsabilidade Social Resseguradoras Rio +10 Rio 92 Riqueza Roteiro Saneamento Ambiental Sequestro de Carbono SGA Sistema Sobrevivência Socio-ambiental Sustentabilidade Tecnologia Tecnologia Renovável Terceiro Setor Termo de Parceria Transgênicos UNFCCC Urbanização Urbano

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.