Ambiente Florestal

Silvicultura da Erva-Mate II - Pragas e Doenças

Pragas e doenças, Principais Doenças de Viveiro e no Campo

Envie para um amigo

 

 

Pragas e Doenças

 

Pragas

Pragas

Características Controle

 Formiga cortadeiras

 Gênero:

  • Atta (saúvas)
  • Acromyrmex (quenquéns)
  • Atacam as plantas no viveiro e no campo.
  • Iniciam o ataque no fim do tarde e prosseguem noite adentro.
  • Cortam as folhas e a própria muda.
  • Seu controle deve começar antes do plantio.
  • Durante todo ano, deve-se fazer o controle.
  • As iscas granuladas tem apresentado bons resultados, e se constituem na forma mais prática.

Ceropplastes grandis

(cochonilha-de-era)

  • Caracteriza-se pela formação de aglomeração nos ramos.
  • Elas tem cor vermelha com o corpo preto.
  • Sugam a seiva da erva-mate causando-lhe sérios prejuízos.
  • Retirada manual com algodão umedecido.
  • Retirada dos galhos atacados.

 Gyropsyll spegazziana

 (ampola da erva-mate) 

  • É reconhecida pela formação de galhas ou bolsas nas folhas novas.
  • A maior incidência ocorre nos meses de setembro e novembro.
  • Como sugam continuamente a seiva dos ramos, prejudicam o desenvolvimento da planta.
  • Calda sulfocálcica.
  • Folhidol óleo.

 

 Sibine nezea, sibine bárbara

 (lagarta tanque)

  • São conhecidas pelo formato do corpo, robusto, achatado e revestido de pelos urticantes curtos.
  • Tem coloração verde e vermelha.
  • Os danos destas lagartas são bastante expressivos.
  • Elas destroem tanto as brotações novas como as folhas mais velhas.
  • Catação manual.
  • Pulverização com calda de fumo.

Thelosia camina

(lagarta da erva mate)

  • É uma lagarta de coloração verde-escura, com uma faixa branca no dorso, margeada por duas faixas escuras.
  • Tem corpo recoberto de pêlos escuros.
  • As lagartas são extrememente vorazes e destroem tanto brotação como as folhas mais velhas.
  • Diminuem grandemente a produção, pois a planta é desfolhada, e a produção seguinte é afetada.
  • Catação manual.
  • Pulverização com calda de fumo.


Hedypates betulinus

(broca da erva mate)

  • Este besouro apresenta uma coloração levemente acinzentada, com manchas pretas.
  • A larva é robusta e destrói total ou parcialmente as plantas, devido às galerias que abre nas árvores, chegando algumas vezes até as raízes.
  • No final, produz uma galeria anelar, provocando a morte do galho.
  • Devem ser tomadas medidas através de um Manejo Integrado de Pragas (MIP). Coleta manual e destruição dos insetos adultos.
  • Catações semanais devem ser realizadas no período de outubro a maio, com maiores cuidados  de fevereiro a março.
  • Regulação da população através de agentes de mortalidade biótica (parasitos, parasitóides, predadores, patógenos).
  • Os fungos apresentam um alto potencial de controle populacional.

 


Principais Doenças em Viveiros

Doença/ fungos associados Características Sintomas Condições favoráveis  Controle

 Tombamento (damping off) Fungos:

  • Cylindrocladium spathulatum
  • Rhizoctoniasp.
  • Fusariumsp.
  • Pythiumsp.
  • É o principal problema fitossanitário das sementeiras, podendo ocorrer nas fases de pré ou pós emergência.
  • Na pré-emergência das plântulas, a semente não germina ou inicia a germinação mas não chega a emergir.
  • Na pós-emergência ocorre um   estrangulamento na região do colo da muda provocando seu tombamento.
  • Sementes contaminadas.
  • Alta densidade de semeadura.
  • Excesso de umidade.
  • Excesso de sombreamento
  • Excesso de nitrogênio.
  • Desinfestação  correta do substrato por métodos químicos ou físicos.
  • Melhoria das condições de semeadura, irrigação, drenagem, insolação e adubação.
  • Após o aparecimento da doença  deve-se erradicar as mudas mortas e as sadias que se encontram nas bordas da reboleira

 Podridão de Raiz

 Fungos:

  • Fusariumsp.
  • Rhizzoctoniasp.
  • Pythiumsp.
  • Ocorre tanto em sementeiras como em mudas repicadas.
  • Interferem diretamente no processo de absorção.
  • Manchas foliares.
  • Amarelecimento.
  • Queda de folhas.
  • Redução no crescimento. 
  • Murcha, seca e morte das mudas.
  •  Umidade.
  •  Composição física do substrato.
  • Contaminação de recipientes do substrato.
  • Desinfestação do substrato.
  • Manejo correto da água.
  • Plantas contaminadas devem ser eliminadas

 Mancha da Folhas

 Fungo: Cylindrocladium  pathulatum

  • Também conhecida como pinta preta.
  • É uma doença que ocorre com frequência em viveiros de mudas de erva-mate.
  • Lesões foliares escuras, circulares no interior ou nos bordos dos limbos.
  • Apresentam abundante frutificação esbranquiçada na face ventral da folha.
  • Queda prematura de folhas adultas.
  • Substrato e instalações contaminadas. Plantações próximas e produção contínua de mudas.
  • Excesso de umidade e sombreamento.
  • Coleta de folhas caídas.
  • Descarte de plantas atacadas.
  • Desinfestar substrato e recipientes.
  • Melhoria da luminosidade e umidade

 Antracnose

 Fungo:Colletotrichum sp.


  • É uma doença que incide principalmente em brotações novas, ápices, folhas e ramos jovens.
  • Nas sementeiras ocorre a queima do ápice das mudas.
  • Manchas escuras, irregulares, deformação de folhas jovens.
  • Sombreamento  e umidade excessiva.
  • Insetos e geadas favorecem a instalação do patógeno.
  • Aplicação de fungicidas.
  • Adubação nitrogenada adequada.
  • Desinfestação do substrato e recipientes

 Cercosporiose

 Fungo: Cercospora sp.

  • É considerada uma doença secundária por sua baixa incidência, por ter disseminção bastante lenta e por causar poucos danos à cultura.
  • Manchas circulares pequenas, bem delimitadas, acinzentadas com halo escuro, apresentando pequenas pontuações.
  • Estresse das mudas. Mudas que passaram do ponto de plantio.


  • Descarte de mudas afetadas.
  • Manejo adequado do viveiro.
  • Dispensa o uso de fungicidas.


 Podridão de Estacas

 Fungos: Genêros

 Fusarium e

 Colletotrichum

  • No processo de estaquia, a ausência de enraizamento pode ocorrer devido à podridão de estacas.
  • Queda de folhas.
  • Escurecimento da base da estaca. Contaminação das estacas, substrato ou recipientes.
  • Excesso de água de nebulização.
  • Produção contínua de mudas sem desinfestação do local.
  • Medidas sanitárias durante o processo de produção de estacas.
  • Desinfestação de substrato e recipientes.
  • Aplicação de fungicidas nas estacas.
  • Melhorar o sistema de nebulização

 Nematóides

 gênero:Meloidogyne

  • Geralmente ocorre em viveiros de erva-mate, onde não é utilizada a prática de desinfestação do substratodas folhas.
  • Murcha e seca a partir do ápice.
  • Galhas velhas e nematóides. Substrato contaminado.
  • Mudas estressadas.
  • Mudas que passaram do ponto de plantio.
  • Desinfestação do substrato.
  • Eliminação de mudas atacadas.

 

Principais Doenças no Campo

Logo após o plantio no campo, as mudas de erva-mate estão em processo de adaptação. Nesse período, dois fatores podem predispô-las à doenças: um deles é a proximidade da planta ao solo recebendo diretamente a ação da umidade, e outro é o estresse provocado pelo plantio da muda no local definitivo. Este último pode provocar a morte pela falta de água, em períodos de estiagem e/ou insolação excessiva.

Nos ervais de produção, além da mancha de folha, da antracnose e da cercoporiose, ocorrem duas outras doenças foliares: fulmagina e a fuligem. Ambas aparecem quando o erval é muito sombreado e úmido, e em plantios muito densos.

 

Doença/Fungo associado Características Sintomas Condições Controle

 Fumagina

Fungo: Meliola yerbae

 

  • É uma doença que não se apresenta como grande problema econômico na cultura da erva-mate.
  • Crosta espessa e negra cobrindo total ou parcialmente a folha e os ramos.
  • Formigas, cochonilhas e pulgões estão associados aos sintomas.
  • Ambiente de extrema umidade.
  • Ervais muito densos e sombreados.
  • Presença de cochonilhas, pulgões e formigas favorecem a doença.
  • Melhoria na aeração e ventilação do erval.
  • Espaçamento e poda adequados.
  • Limpeza da área.

 Fuligem

 Asterina mate

  • É uma doença sem grandes problemas econômicos.
  • Manchas superficiais escuras de forma circular na face ventral da folha que podem se justapor, cobrindo totalmente a folha.
  • Mesmas condições descritas para a fumagina.
  • O mesmo para fumagina.

 Mal - da - Teia

 gênero Corticium 

  • A denominação provém do aspecto micélio do fungo se apresentar, dando a aparência de uma teia de aranha.
  • Cobertura micelar de cor castanha que reveste folhas e ramos.
  • Folhas e ramos secos que se desprendem e ficam aderidos pelo micélio
  • Extrema umidade e sombreamento.
  • Redução do sombreamento por meio da  poda, espaçamento de plantio mais amplos.
  • Limpeza da área.

 Morte do Ponteriros

 Fungo:genêro Fusarium 

  • Danos provocados por insetos ou geadas favorecem o aparecimento dessa doença.
  • Na extremidade de ramos jovens ocorre seca, seguida de escurecimento, secando completamente o ramo, alastrando-se para ramos sadios.
  • Morte de mudas no campo.
  • Geadas e ataques de insetos.
  • Excesso de umidade.
  • Poda dos ramos do ano, logo abaixo da área atacada.

 Quedas das Folhas

  • As causas da queda anormal de folhas de erva-mate ainda não estão totalmente esclarecidas.
  • Análises fitopatológicas revelaram que esta doença, na região de Passo Fundo/RS estava associada aos fungos Cylindrocladium spp.,Asterina matte.
  • Amarelecimento e posterior queda de folhas.
  • Queda das folhas totalmente verdes.
  • Queda das folhas verdes manchadas.
  • Compactação do solo, estiagens prolongadas e longos períodos de preciptação favorecem a ocorrência desta anomalia.
  • Esta anomalia pode ocorrer sem que se conheçam as causas, ou seja, sem que haja associação com os fatores citados.
  • Devido à falta de esclarecimento das causas desta anomalia, não se dispõem de medidas eficientes de controle.

 Roseliniose

 Fungo: Rosellinia sp.

  • Ocorrem em ervais novos plantados em solos ácidos, em áreas recém desmatadas, onde há raízes e tocos em decomposição.
  • Amarelecimento de folhas basais.
  • Redução no crescimento da planta.
  • Morte das ramificações vindas da base do tronco.
  • Morte da planta.
  • Ervais novos plantados.
  • Solos ácidos.
  • Áreas recém desmatadas.
  • Preventivo: após o desmatamento ou antes do plantio, recomenda-se a destoca, remoção e queima das raízes, correção da acidez do solo.
  • Após o aparecimento da doença, recomenda-se a erradicação das plantas doentes e suas vizinhas, o isolamento da área por meio de valas e a aplicação de cal virgem ou calcário nas covas.

Redação Ambiente Brasil



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Florestal Agricultura Agrossilvicultura Agrossilvipastoril Água Alimentação Amanita Amazônia Amostragem Animais silvestres Araucária Área de Preservação Área Protegida Artigo Banco de Sementes Bibliografia Biodiversidade Borracha Bracatinga Brotação Características Carregamento Carvão Castanha-do-brasil Celulose Cerrado Certificação de Produtos Certificação Florestal Certificado Certificado Fitossanitário CFOC Classificação Cobertura Florestal Comércio Conceito Consciência Ecológica Conservação Ambiental Consumo de Madeira Controle Controle Ambiental Copaíba Cortiça Culinária Curiosidades Custos Dados Dano e efeitos ambientais Desbastes Descascamento Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Doenças Dossel Economia Erva - Mate Espaçamentos Espécies Espécies Exóticas Estatística Estradas Estrutura Estrutura Fundiária Eucalipto EXemplos Exploração Extinção Extração Fitossociológico Floresta Tropical Florestal Florestas Fluxograma Fogos Fomento Fragmentação Fungo Geneticamente Modificados Genoma Gestão ambiental Gestão Florestal Governo Herdabilidade Incêndio Indústria Instituições Invasão Biológica Inventário Florestal IPAM Látex Legislação Lista Espécies Localização Lodo de Esgoto Macaco Madeira Manejo Manejo Florestal Mapa Matas Ciliares Material Genético Melhoramento Genético Mercosul Miltiplicação Vegetativa Mogno Monitoramento Nomenclatura Normalização Normas Ambientais Objetivos ONGs Operação Palmito Palmito Juçara Paraná Pasta Patauá Perguntas Permacultura Pinhão Pinus Planejamento ambiental Plantas Plantio PNF Poda Poluição Praga Premissas Preservação Ambiental Prevenção Princípios Privado Produção Produtos Produtos Madereiros Projetos Projetos ambientais Proteção Pública Qualidade da Madeira Queimada Recuperação Ambiental Reflorestamento Segurança Seleção Selos Sementes Seringueira Silvicultura Silvipastoril Sistema Agroflorestais Solos Substrato Sustentabilidade Técnicas Tipos de viveiros Transporte Uso do Solo Usos Vantagens Vegetação Vespa da Madeira Viveiros

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.