Ambiente Fauna

Ariranha (Pteronura brasiliensis)

É ótimo nadador, mergulha bem, alimenta-se principalmente de peixes e moluscos. Vive em bandos de até 20 elementos à beira de rios e lagos.

Envie para um amigo

 

Classe: Mammalia

Ordem: Carnivora

Família: Mustelidae

Nome científico: Pteronura brasiliensis

Nome vulgar: Ariranha

Categoria: Vulnerável/ Em perigo

Características: É ótimo nadador, mergulha bem, alimenta-se principalmente de peixes e moluscos. Vive em bandos de até 20 elementos à beira de rios e lagos, onde faz tocas para abrigar-se ou para procriação, sob as raízes das árvores ribeirinhas, no final, apresenta um compartimento mais alongado. São brincalhões e barulhentos. Semelhante à lontra, porém, mais escura e com uma distinta mancha branco-amarelada no queixo, garganta e peito de forma variável, com a ponta do focinho coberta de pêlos. A cor geral, nas partes superiores, é marrom-pardacenta e, inferiormente, mais clara. Quando molhada, a cor é mais escura. Cauda musculosa é achatada dorso-ventralmente do meio até a ponta e auxilia o deslocamento dentro d`água. O alimento principal é constituído de peixes que capturam no mergulho, saindo fora d`água para comer. Os pés são grandes e apresentam membrana interdigital. Os locais que apresentam melhores condições para sua sobrevivência são os parques florestais e reservas biológicas. Não há dados precisos sobre a reprodução da lontra. Mas sabe-se que sua gestação dura cerca de 60 dias e que o número de filhotes varia entre um e cinco. A fêmea cuida da ninhada durante um extenso período, elevando presas semi-abatidas para os filhotes. Ao completar um ano, os filhotes começam a se dispersar. Informações do Livro Vermelho - MG - pág. 137.

Peso: 26 a 32 kg (livro Vermelho 1994 - pág. 353) - 24 a 34 kg (Livro Vermelho-MG- 1998 pág.134

Comprimento: Machos podem alcançar 1,8 m

Ocorrência Geográfica: AM, AP, BA, ES, GO, MT, PR, RJ, RO, RS, SC e SP (Todo Brasil) - vivaterra

Cientista que descreveu: Gmelin, 1788

Categoria/Critério: Classificado como espécie em perigo pela IUCN (1976) e USDI (1980), apêndice 1 da CITES.

Ameaçada/Vulnerável - Redução da população de, pelo menos, 20 por cento projetada ou suspeita para os próximos 10 anos ou 3 gerações baseado em declíneo da área de ocupação, extensão de ocorrência e/ou qualidade do habitat. Os agrotóxicos e produtos químicos que são despejados nos rios pelas lavouras, indústrias e cidades são responsáveis pela sua quase extinção.

Fonte: MMA/SINIMA



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.