Ambiente Ecoturismo

Juquitiba - SP

Juquitiba já é referência no estado de São Paulo para a prática de esportes de aventura e o contato com a natureza. A grande vantagem é estar bem perto da capital, a apenas 70km.

Envie para um amigo

O destaque é para os esportes aquáticos, sobretudo o rafting no rio Juquiá, que faz da cidade a sede de campeonatos importantes na modalidade. Aliás, Juquitiba quer dizer “terra de muitas águas” em tupi-guarani. A cidade engloba o Parque Estadual da Serra do Mar, maior parque estadual paulista, com trechos de Mata Atlântica. Caminhar pelas trilhas do local e depois refrescar-se nas cachoeiras e nos rios é uma das melhores opções.

 

História e Cultura

O total de habitantes fixados na cidade é de aproximadamente 26 mil, mas a população aumenta aos fins de semana não só com os turistas, mas com sitiantes, que aproveitam os dias de folga para descansar em suas propriedades. As manifestações culturais mais marcantes dos moradores são os encontro de cavaleiros, realizados três a quatro vezes por ano, a romaria Juquitiba-Calcaias do Alto (Cotia), a Olimpíada dos Trabalhadores – que acontece todo Primeiro de Maio com esportes convencionais – e a festa junina.

 

Clima

O clima é ameno durante boa parte do ano, mas o inverno é marcante, com temperaturas um poucos mais baixas do que a média, que é de 18ºC.

 

Vegetação e relevo

Com trechos de Mata Atlântica, possui vegetação de floresta latifoliada tropical úmida e tem a fauna constituída de antas, bugios, capivaras, cotias, jaguatiricas, onças-pintadas, patos selvagens, pombas e urus.

Juquitiba, como o nome diz, “terra de muitas águas”. Os principais rios da cidade são o Juquiá e o São Lourenço e neles existem represas e algumas cachoeiras, como a dos Palmares e do França. A cidade é 100% protegida pela Lei de Mananciais. Engloba ainda o Parque Estadual da Serra do Mar, que é Área de Proteção Ambiental, e também faz divisa com o Parque Estadual de Jurupará. É região montanhosa, mas a altitude média é de 685m (Campos do Jordão, por exemplo, tem mil metros a mais).

 

Alimentação

Na cidade, as opções são diversas: restaurantes, pizzarias e lanchonetes, além de hotéis que também oferecem refeições a não-hóspedes.

 

Hospedagem

A variedade de opções é grande, incluindo hotéis, pousadas, chalés e até aluguel de sítio. Informe-se pelo fone (11) 4681-4558.

 

Dicas gerais

Certifique-se de estar acompanhado de um instrutor/guia experiente na prática dos esportes, tanto na água quanto em terra. No rafting e acqua-ride, só participe se estiver com todos os equipamentos de segurança; informe-se de antemão sobre as operadoras. Se levar crianças, respeite os limites de idade em cada atividade.

 

Atrações

Acqua-ride no Ribeirão Grande: O acqua-ride é uma versão do bóia-cross, onde o praticante tem maior controle do equipamento, um pouco menor que uma bóia. O Ribeirão Grande apresenta corredeiras contínuas de classe I e II (II+). A idade mínima é 12 anos.

Cavalgada por fazendas: Os passeios partem do Centro Hípico Fleming (11 6163-3396) e seguem por fazendas da cidade, incluindo a travessia de um rio, em que o cavalo nada.

Estrada Turística do França: Possui as marinas de Juqui, Porto Leal, Porto Sossego, que alugam barcos para passeios e pescarias na represa, além de bares e restaurantes.

Pescaria na Represa da Cachoeira do França: Ponto final da descida do Baixo Juquiá, fica na divisa da cidade com Ibiúna, dentro do Parque Estadual do Jurupará. Há grande diversidade de peixes. Entre os mais procurados estão blackbass, tilápia, traíra, lambari e pacu.

Rafting no Alto Juquiá: Como o próprio nome diz, é a parte mais acima do rio. As corredeiras, sete ao todo, são classe II / III+ (no rafting, o nível de dificuldade das corredeiras varia de I, o mais fraco, a V), podendo chegar até o nível IV em sua última queda. Na primeira, a Véu de Noiva, o desnível pode chegar a 2m. O tempo médio de descida é de uma hora e meia e, para participar, a idade mínima é 10 anos. No bote cabem cinco pessoas, mais o instrutor. Há descidas o ano todo. Existe a opção de realizar a descida em “duck”, que é uma espécie de bote inflável para dois participantes.

Rafting no Rio Juquiá: Tradicional no rafting, o rio é dividido em duas partes: Alto e Baixo. No Baixo Juquiá é mais tranqüilo, com trechos longos de remanso e três corredeiras, entre elas o famoso Tobogã - caracterizado por um desnível de aproximadamente 1,50m , com um volume de água muito forte, sendo ele dividida em duas partes por uma formação rochosa no centro do rio. Ideal para iniciantes, qualquer pessoa com mais de 8 anos pode experimentar a atividade em contato com a paisagem de mata ciliar preservada. No bote cabem seis pessoas, mais o instrutor. Há descidas o ano todo.

 

http://webventure.estadao.com.br



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.