Ambiente Ecoturismo

Ilha de Cardoso - SP

Transformado em Parque Estadual em 1962, devido à sua grande variedade de plantas e animais, este é um dos poucos lugares em que a Mata Atlântica permanece intocada (90% do território).

Envie para um amigo

Além dos jacarés-de-papo-amarelo, os bons observadores têm a possibilidade de ver os botos cinza que, sem cerimônia, nadam pela Baía do Trapandé (entre Cananéia e a Ilha do Cardoso). Através das quatros trilhas principais que cortam a ilha é possível conhecer a diversidade natural desse pedacinho do paraíso.

 

História e Cultura

Com a descoberta do ouro na Serra de Paranapiacaba, no século XVII, o fluxo no Vale do Ribeira, região onde se localiza a Ilha do Cardoso, aumentou consideravelmente. O apogeu econômico da região, entretanto, veio com o declínio do ouro. Foi quando começou a plantação de arroz que durou de 1820 a 1900. Hoje, as principais atividades são a pesca e o turismo.

 

Clima

O clima é bastante úmido. O período menos chuvoso é entre abril e setembro com temperatura média de 18ºC. O verão, apesar de mais quente (25ºC), é bem mais chuvoso.

 

Vegetação e relevo

Praticamente 90% da área da Ilha é Mata Atlântica. Lá encontram-se quatro ecossistemas em um único ponto: mangue, restinga, dunas e floresta atlântica. O Parque possui uma imensa diversidade biológica, mais de mil espécies de plantas e é alvo de pesquisa de estudiosos da área.

Essa região é formada pelas mais diversas paisagens: costões rochosos, praias, ilhas, braços de mar, restingas, mangues, rios e montanhas.

 

Alimentação

Na Ilha o principal prato é o peixe. Em Iguape, próximo da Ilha do Cardoso não deixe de experimentar os deliciosos pastéis nas proximidades do centro histórico.

 

Hospedagem

Os estabelecimentos na Ilha do Cardoso oferecem pouquíssima infra-estrutura. A Ilha funciona com energia solar.

 

Dicas gerais

Não esqueça de levar uma máscara de mergulho e lanternas para iluminar a escura noite da Ilha.

 

Atrações

Atividades noturnas: A principal atração à noite é a focagem noturna: um passeio de barco pelo estreito Rio Perequê para observar os jacarés-de-papo-amarelo. Também é comum encontrar fogueiras onde os moradores dão os seus depoimentos sobre a Ilha do Cardoso.

Ilha da Figueira: Este é o melhor ponto de mergulho da região. É comum encontrar pessoas praticando a pesca submarina. A visibilidade da água alcança até 10 metros de profundidade e é possível flagrar tartarugas e raias nadando por lá.

Ilha do Bom Abrigo: A uma hora de barco ou vinte minutos de lancha, é possível chegar a esta ilha, ideal para mergulhar. Lá pode-se observar uma grande variedade de peixes. No centro da ilha encontram-se ruínas de um antigo forno utilizado para o processamento do óleo de baleia.

Tilha 1: São 13 quilômetros de caminhada de fácil acesso. O passeio começa perto da Vila do Marujá e tem como destino a Cachoeira Ipanema, dentro da Mata Atlântica. Durante o percurso, é possível observar pequenas dunas (2 metros).

Trilha 2: Os principais atrativos desta caminhada, que vai até o Poço das Antas, são as lontras, cágados e jacarés-de-papo-amarelo. O passeio tem um total de 8 quilômetros e seu ponto de partida é o Núcleo Perequê, onde está a sede do Parque.

Trilha 3: São duas horas de caminhada pelo mangue, observando a diversidade de fauna que se encontra nesse ecossistema. O passeio inicia-se próximo ao Núcleo do Perequê.

Trilha 4: Partindo das proximidades da Vila do Marujá, são apenas vinte minutos de caminhada. O passeio termina numa límpida piscina natural de 2,5 metros de profundidade ideal para banho.

 

 

http://webventure.estadao.com.br



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.