Ambiente Ecoturismo

Boa Vista - RR

Boa Vista é uma verdadeira jóia do norte do Brasil. O folclore de Roraima contém elementos de grande riqueza cultural, caracterizados pelas danças indígenas, pelos hábitos e pelo vocabulário repleto de expressões oriundas dos dialetos macuxi, taurepang, paraviana, uapixana, ingaricó, entre outros. Apresenta vastas possibilidades de passeios e atrações ligadas sempre a natureza.

Envie para um amigo

Nos últimos anos vêm modernizando-se e já tem mais de 200 mil habitantes. Boa Vista é uma grande opção para o turismo nacional e internacional. Enfim, recanto das pessoas de todo o País, Boa Vista é uma síntese da brasilidade hospitaleira.

 

História e Cultura

Fundada em 1830, por Inácio Lopes de Magalhães, a primeira fazenda particular de gado bovino, a Fazenda Boa Vista cuja sede ocupava o prédio onde hoje funciona o bar Meu Cantinho, no núcleo histórico da cidade. Em 1858, a povoação foi elevada a categoria de vila e, em 9 de julho de 1890, passou a condição de cidade, sediando o recém criado município de Boa Vista, desmembrado de Moura, da então Província do Amazonas. No dia 25 de julho de 1890, conforme o decreto número 49, o Governador do Amazonas, Augusto Ximeno de Vileeroy, através do seu representante Fábio Barreto Leite empossou João Capristano da Silva Mota como o seu primeiro Superintendente, o que muitos o consideram o primeiro prefeito de Boa Vista. Hoje como Capital do Estado de Roraima, criado pela Constituição Federal de 5 de outubro de 1988 e efetivamente instalado em 01 de janeiro de 1991. Boa Vista é uma cidade moderna. A cidade é desenhada em forma de leque, com ruas largas, bem iluminadas, e com as principais avenidas seguindo para o Centro Cívico, com belos monumentos e suave plasticidade.

 

Clima

O clima é tropical e as temperaturas variam entre 20º C e 36º C, clima quente e úmido com estações de chuvas bem definidas.

 

Vegetação e relevo

Com uma grande variedade de flora em fauna, com animais típicos da região se encontra cravada no meio da Floresta Amazônica.

O terreno plano é uma característica do relevo, o que faz a cidade ser agraciada com uma brisa agradável. É o único estado brasileiro localizado acima da linha do Equador.

 

Alimentação

Uma infinidade de opções gastronômicas pode ser encontrado na região. Muitos deles podem ser apreciados as margens ou com vista para o Rio Branco e da Ponte dos Macuxi.

 

Hospedagem

A cidade possui uma grande variedade de hotéis, pousadas em vários bairros e no centro da cidade, para todos os gostos e bolsos.

 

Atrações

 

Balneário Água Boa:

Um igarapé de águas límpidas, margeado de vegetação de verde intenso, localizado a 15 quilômetros do centro da capital. O acesso pode ser por barco ou pela rodovia BR-174.

 

Cachoeira do Funil:

A Cachoeira do Funil é formada por um furo feito por garimpeiros no igarapé Cabo Sobral. A água cai de grande altura no leito de pedra do igarapé do Meio, segue por um caminho repleto de corredeiras e saltos, por uma garganta coberta de mata nativa até a extremidade do tepuy. O local é de incrível beleza cênica, e a mata nativa, em conjunto com as cachoeiras, pode proporcionar roteiros de caminhadas.

 

Cachoeira do Miudinho:

O caminho para se chegar a Cachoeira do Miudinho é cortado várias vezes por pequenos igarapés e corredeiras. O atrativo tem aproximadamente 25 metros de altura e mesmo sem ter um volume tão grande de água, forma um poço com água cristalina. Proporciona excelentes roteiros aos aventureiros e praticantes de esportes radicais, como por exemplo o rapel.

 

Cachoeira do Paiva:

A cachoeira está localizada na extremidade do tepuy (ou chapada) que forma a Serra do Tepequém. A queda d’água, embora não tenha um grande volume, é alta. O acesso é possível pela parte de cima, permitindo vistas fantásticas da cachoeira e da planície que se estende para oeste. É possível chegar até o poço onde a água cai, e até mesmo seguir o curso do igarapé em direção à planície, em meio à mata. A área é propícia à prática de canionismo e rapel.

 

Canoagem:

Saída de uma das pontes sobre o igarapé Água Boa de Cima com destino ao Rio Branco. Trajeto sempre descendo, onde é possível praticar a pesca, navegando pelas águas azuis do igarapé. Há bons locais para banhos, com vistas agradáveis das várzeas, da floresta. Duração aproximada de 5 horas.

 

Haras Cunha-Pucá:

É possível conhecer o Jardim Botânico, Orquidário e as dependências do Haras através do passeio de charrete. Está localizado na BR 401, saindo pela estrada da Serra Grande no quilômetro 1,5, no município de Cantá.

 

Ilha da Praia Grande:

Essa ilha de várzea é separada da terra firme por um braço do rio Branco e possui excelentes condições para a prática de esqui aquático, canoagem e vela, além do irresistível banho de água doce e de extensas praias para tomar sol. Tem muitos lagos acessíveis através de caminhadas onde se pode observar a beleza da fauna e flora da região. O acesso é feito através de barcos, que saem de pequenos portos localizados na cidade de Boa Vista, às margens do Rio Branco.

 

Parque Anauá:

Maior parque de lazer da região norte com infra-estrutura de esporte, lazer e outros serviços. O parque dispõe de: anfiteatro, forródromo, centro de artesanato indígena, galeria de artes, escola de música, escola para alunos especiais, museu, horto florestal, um lago natural, fonte luminosa, ginásio poli esportivo, kartódromo, pistas para Cooper, aeromodelismo, Motocross, skate e bicicross, lanchonetes e restaurantes.

 

Praias do Cauamé:

A 8 quilômetros de Boa Vista, às margens do rio Cauamé, um dos principais afluentes do Rio Branco, surgem praias de verão como Caçari e Curupira. Praias fluviais com águas límpidas, cercadas por vegetação típica da Amazônia. O lugar tem uma boa infra-estrutura de apoio e serviços para receber o seu cliente, além de restaurantes e área para camping.

 

Rio Uialã:

Dentro do Parque Nacional do Monte Roraima, lá que nasce o rio Uailã, que descendo entre as serras forma as cachoeiras de Aron Garen, Andorinha e Caveira. Esta área é inóspita, mas muito explorada por aventureiros que se utilizam das corredeiras do rio Uailã para praticar a canoagem.

 

Trekking:

Serra do Tepequém: A corrida pelo garimpo deixou curiosas marcas na natureza que são vistas nas trilhas do Tepequém. Em uma altitude de 1000 metros, observa-se o vale e as cachoeiras do Paiva, sobral, Barata e do Funil.

 

Monte Roraima: Trilhas inesquecíveis localizado nas fronteiras Brasil, Venezuela e Guiana. São 2.734 metros de altura, com um vale de cristais de rochas, fossos e piscinas naturais.

 

Serra Grande: É um lugar cheio de mistérios e belezas naturais. Na subida da trilha contempla-se a floresta exuberante, variedade de fauna e flora. Ao longe é possível avistar a cidade Boa Vista. Um passeio bonito, cheio de aventura num lugar selvagem e bem próximo da cidade. A saída de Boa Vista na tarde no primeiro dia, dormindo na base. O trekking começa na manhã do dia seguinte, subindo por trilhas ou pelo leito do rio (se estiver seco), visitando locais onde se possa tomar banhos.

http://webventure.estadao.com.br



Publicidade

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.