Ambiente Agropecuário

Conclusões sobre dejetos de suinocultura.

As alternativas propostas a seguir são importantes para que os nutricionistas de suínos, e talvez os nutricionistas que trabalham com outras espécies, possam reduzir o problema da poluição ambiental dos dejetos animais.

Envie para um amigo

 

 

As alternativas propostas a seguir são importantes para que os nutricionistas de suínos, e talvez os nutricionistas que trabalham com outras espécies, possam reduzir o problema da poluição ambiental dos dejetos animais. A maioria delas promove conjuntamente melhoria no desempenho e qualidade das carcaças dos animais além de reduzir, em muitos casos, o custo de produção.

 

1. Continuar a buscar a melhoria da eficiência alimentar e do aumento de produtividade por produtor, pois estão diretamente relacionados à redução da quantidade de dejetos produzidos.

 

2. Incrementar o uso de valores de disponibilidade de nutrientes dos alimentos utilizados nas formulações de dietas. Nesse particular, são imprescindíveis novos investimentos em pesquisa com a finalidade de obter valores mais precisos e sua predição por métodos rápidos e de fácil uso pelas indústrias de rações.

 

3. Melhorar o conhecimento das exigências nutricionais dos suínos, concentrando-se no genótipo, no sexo e nos fatores que afetam o consumo de ração.

 

4. Formular as dietas com maior precisão, buscando-se o atendimento das exigências nutricionais e evitando-se o uso indiscriminado de "margens de segurança".

 

5. Reduzir o sal das dietas, de maneira a atender apenas os níveis exigidos de sódio. Formular para sódio e não fixar um valor para sal nas matrizes de exigências durante a formulação das dietas. Essa medida, além de reduzir a excreção de sódio, promove redução do consumo, excreção de água e volume de dejetos produzidos.

 

6. Empregar o conceito de alimentação em múltiplas fases e sexos separados.

 

7. Utilizar , dentro do possível, alimentos com nutrientes de alta digestibilidade.

 

8. Evitar o uso de altos níveis de cobre e zinco como promotores de crescimento e no controle da diarréia.

 

9. Aumentar o uso de fontes de minerais com maior disponibilidade, como os quelatos orgânicos.

 

10. Utilizar enzimas nas dietas, desde que apresentem resultados que comprovem a sua eficiência.

 

11. Utilizar a técnica da restrição alimentar em suínos na fase de terminação.

 

A questão dos dejetos suínos não se constitui apenas num problema que envolve o setor produtivo de suínos. Ela tem interrelação com todas as atividades que de certa forma afetam a qualidade da natureza que temos ao nosso redor. Assim, regiões onde há problemas de emissões de resíduos industriais, alterações no sistema ecovegetal, contaminações da natureza com dejetos urbanos e aqueles produzidos por outras espécies animais podem tornar mais complexo o problema.

Essa questão deve ser tratada amplamente pela sociedade de maneira técnica, sem apegos particulares, visando a qualidade de vida das populações, o atendimento dos anseios do consumidor e o desenvolvimento sustentável de nossa Agricultura.

 

SETI - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Eng. Agr., D. Sc. Carlos Cláudio Perdomo, Embrapa Suínos e Aves Eng. Agr., Ph. D. Gustavo J.M.M. de Lima, Embrapa Suínos e Aves Jornalista Tânia Maria Giacomelli Scolari, Embrapa Suínos e Aves

Tags

Você vai gostar de ler também

Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Agropecuário Açai Acerola Agricultura Agroecologia Agroflorestais Agropecuária Agropecuárias Agrotóxicos Água Alimentação Alimentos Orgânicos Ambientais Ambiental Animais Animal Orgânico Área de Preservação Assentamento Atividades econômicas Autossuficiência Avaliação Benefícios Bibliografia Biodinâmica Biodiversidade Biologia do Solo Biológicas Biorremediação Braquiárias Brasil Café Camu-Camu CAR Características Caramujo Censo Agropecuário Cerca Ecológicas Certificação de Produtos Ciclo do Carbono Clima Cobertura do solo Como Fazer Comprimento da rampa Conceito Conservação Conservação Ambiental Consumo Contaminação Contaminação ambiental Controle Controle Ambiental Controle de praga Convencional Corte Crescimento Econômico Critérios Cultura Cupim Dano e efeitos ambientais DDT Declive Definição Dejetos Desertificação Dessalinização Desvantagens Dificuldades Dioxina Doenças Ecologia Educação Energia Alternativa Erosão Estratégico Estrutura Estrutura Fundiária EXemplos Exploração Extensão Extinção Fatores Feijão Fertilização Fertilizantes Físicas Fitoterápico Florestal Florestas Fontes Energéticas Frutas Nativas Gado de corte Grãos Hidropônico História Impactos Ambientais Indicadores Inseticidas Legislação Lodo Mandioca Manejo Manejo Sustentável Mata Atlântica Matéria Orgânica Medicina Meio Ambiente Migratória Monitoramento Mosca-dos-chifres Natural Nitrogênio Nutrientes Objetivos Ondas do mar Operacional Orgânico Pantanal Particulados Pastagem Pecuária Perda de solo Perigos Permacultura Pesquisa Científica Pimenta Planejamento Planta medicinal Planta Tóxicas Plantas Política Polpa congelada Práticas Conservacionistas Princípios Problemas ecológicos Procedimento Procedimentos Proibidos Produção Produtividade Produtos Programas Projetos Propriedade do solo Proteção Qualidade Nutricional Queimada Químicas Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos Naturais Reflorestamento Regiões Requisitos Reserva Legal Rios Riscos à saúde Roraima Rural Saúde Selos Sistema Educativo Situação Soja Solos Suinocultura Tático Técnicas Tecnologia Tipos de Agricultura Topografia Tradicional Transporte Tratamento Tratamento de Efluentes Urbano Uso de terras Uso do Solo Usos Vantagens Velocidade Veneno Vento

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.