Ambiente Agropecuário

Pecuária de corte sustentável no Pantanal

Segundo a definição da Organização de Agricultura e Alimentos (FAO), manejo sustentável envolve a “conservação de recursos naturais e o repasse de tecnologias, de modo que assegurem o alcance e a satisfação contínua das necessidades humanas para as gerações presentes e futuras.

Envie para um amigo

 

 

A Sustentabilidade dos sistemas de produção tem sido constantemente debatida nas últimas décadas, enfocando a influência dos bovinos sobre o ambiente e a conservação de recursos genéticos animais. A palavra sustentabilidade vem sendo usada amplamente, de acordo com os interesses e sistemas de valores da sociedade, porém, quando não definida precisamente, perde o seu real significado.

q

Segundo a definição da Organização de Agricultura e Alimentos (FAO), manejo sustentável envolve a “conservação de recursos naturais e o repasse de tecnologias, de modo que assegurem o alcance e a satisfação contínua das necessidades humanas para as gerações presentes e futuras. Tal desenvolvimento sustentável não degrada o ambiente, é tecnicamente apropriado, economicamente viável e socialmente aceitável”. Um agroecossistema sustentável é aquele que mantém a produtividade ao longo do tempo, com introdução mínima de insumos externos (suplementos alimentares, uso de fertilizantes e antibióticos), sem degradar os recursos naturais e a diversidade biológica.

O manejo sustentável de sistemas complexos, como o Pantanal, é extremamente difícil e constitui o principal desafio para cientistas, técnicos e proprietários rurais. O aproveitamento de uma área no Pantanal não deve ser unilateral, sendo necessário entender todo o processo (interações entre componentes bióticos e abióticos) e o papel de cada espécie no seu respectivo ecossistema. Portanto, o manejo sustentável deve se basear nos requerimentos das espécies de flora e fauna integrados com os requerimentos dos animais exóticos introduzidos e as necessidades do homem, levando-se em consideração as limitações do ambiente. A maioria dos estudos efetuados na região tem focado as partes componentes do sistema e resultados de interesse imediato, como o aumento da produção animal, em vez do esclarecimento dos processos que geram tais respostas.

Para que o sistema de produção de gado no Pantanal seja economicamente viável, ele deve otimizar o uso das pastagens nativas, e de práticas sanitárias alternativas para manter os animais saudáveis e com baixo custo. O criador também deve se preocupar em aplicar tecnologias já desenvolvidas e validadas na região.

A Embrapa Pantanal vem há anos desenvolvendo estudos, em busca de conhecimentos para o desenvolvimento de sistemas sustentáveis, de produção de gado de corte para a região. Algumas tecnologias já estão disponíveis, tais como:

  • o uso de estação de monta;
  • desmama antecipada dos bezerros;
  • descarte técnico;
  • suplementação mineral estratégica;
  • seleção de touros;
  • everminação estratégica; e
  • controle profilático-sanitário.

Atualmente, a Embrapa Pantanal vem estudando a integração bovino x planta x solos visando desenvolver metodologia de avaliação e monitoramento da sustentabilidade dos diferentes sistemas de produção, técnicas de manejo sustentável das pastagens nativas, como também, definir medidas de manejo adaptativo para sistemas convencionais e orgânicos, com base em indicadores ambientais, econômicos, sociais e de bem-estar animal.

No Pantanal existe uma grande diversidade de ambientes e espécies forrageiras, que constituem a principal fonte de alimentos para os grandes herbívoros silvestres e domésticos. Entretanto, há pouco conhecimento sobre manejo dos recursos forrageiros nativos. Com relação à pastagem, existem muitas espécies forrageiras nativas de grande potencial que precisam de estudos de manejo e melhoramento. Com relação à raça adequada, os produtores deveriam selecionar um tipo de animal que utilizasse melhor os recursos forrageiros nativos e que fosse adaptado às condições bioclimáticas no Pantanal. O melhoramento genético dos bovinos aumenta os requerimentos de nutrientes e nem sempre as espécies forrageiras nativas estão aptas para atender as exigências desses animais. A raça, além de ser produtiva e adaptada à região, deve possuir as características desejadas do mercado.

Nota-se que no mundo há uma tendência dos consumidores pela carne de bovinos criados a pasto ("natural beef” ou "grass fed”), o que tem permitido a alguns produtores desenvolver um nicho de mercado apropriado. Diante deste cenário, o mercado alternativo pode aumentar a viabilidade econômica da criação de gado nas condições naturais do Pantanal. Ou seja, aumento do valor agregado, por ser orgânico, natural e alimentado exclusivamente a pasto, torna-se atraente aos consumidores, que estão dispostos a pagar por esse tipo de produto. O marketing da criação de bovinos a pasto é uma estratégia que a grande maioria dos produtores pantaneiros poderia fazer uso para incentivar este nicho de marcado.

Vários criadores pantaneiros vêm se associando, com o objetivo de beneficiar-se deste sistema natural de criação, procurando opções tecnológicas para aumentar a produtividade animal de forma sustentável. Exemplo disso é o Programa Vitelo orgânico do Pantanal Vitpan (Mato Grosso do Sul, 2000), que visa dar condições aos criadores pantaneiros de agregar valores ao seu produto principal. Enfim, se cada produtor buscar opções e estratégias de manejo, de forma sustentável, para as condições peculiares de sua propriedade, todos têm a ganhar: o produtor, o homem pantaneiro, o meio ambiente e a sociedade como um todo.

 

Sandra Aparecida Santos (sasantos@cpap.embrapa.br), é pesquisadora da Embrapa Pantanal, da área de Produção Animal (http://www.cpap.embrapa.br)



Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Agropecuário Açai Acerola Agricultura Agroecologia Agroflorestais Agropecuária Agropecuárias Agrotóxicos Água Alimentação Alimentos Orgânicos Ambientais Ambiental Animais Animal Orgânico Área de Preservação Assentamento Atividades econômicas Autossuficiência Avaliação Benefícios Bibliografia Biodinâmica Biodiversidade Biologia do Solo Biológicas Biorremediação Braquiárias Brasil Café Camu-Camu CAR Características Caramujo Censo Agropecuário Cerca Ecológicas Certificação de Produtos Ciclo do Carbono Clima Cobertura do solo Como Fazer Comprimento da rampa Conceito Conservação Conservação Ambiental Consumo Contaminação Contaminação ambiental Controle Controle Ambiental Controle de praga Convencional Corte Crescimento Econômico Critérios Cultura Cupim Dano e efeitos ambientais DDT Declive Definição Dejetos Desertificação Dessalinização Desvantagens Dificuldades Dioxina Doenças Ecologia Educação Energia Alternativa Erosão Estratégico Estrutura Estrutura Fundiária EXemplos Exploração Extensão Extinção Fatores Feijão Fertilização Fertilizantes Físicas Fitoterápico Florestal Florestas Fontes Energéticas Frutas Nativas Gado de corte Grãos Hidropônico História Impactos Ambientais Indicadores Inseticidas Legislação Lodo Mandioca Manejo Manejo Sustentável Mata Atlântica Matéria Orgânica Medicina Meio Ambiente Migratória Monitoramento Mosca-dos-chifres Natural Nitrogênio Nutrientes Objetivos Ondas do mar Operacional Orgânico Pantanal Particulados Pastagem Pecuária Perda de solo Perigos Permacultura Pesquisa Científica Pimenta Planejamento Planta medicinal Planta Tóxicas Plantas Política Polpa congelada Práticas Conservacionistas Princípios Problemas ecológicos Procedimento Procedimentos Proibidos Produção Produtividade Produtos Programas Projetos Propriedade do solo Proteção Qualidade Nutricional Queimada Químicas Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos Naturais Reflorestamento Regiões Requisitos Reserva Legal Rios Riscos à saúde Roraima Rural Saúde Selos Sistema Educativo Situação Soja Solos Suinocultura Tático Técnicas Tecnologia Tipos de Agricultura Topografia Tradicional Transporte Tratamento Tratamento de Efluentes Urbano Uso de terras Uso do Solo Usos Vantagens Velocidade Veneno Vento

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.