Ambiente Agropecuário

Cercas Ecológicas

Um cerca ecológica deve ser construída e ajustada, em função das características edafo-climáticas da região, do tamanho dos animais silvestres existentes e principalmente através do conhecimento das necessidades territoriais e do comportamento espacial e temporal dos animais silvestres.

Envie para um amigo

 

Por José Aníbal Comastri Filho e Sandra Aparecida Santos

 

Cercas construídas para manejo de gado em algumas regiões/ecossistemas naturais e de grande biodiversidade, tais como o Pantanal, podem causar impacto negativo sobre algumas espécies de animais silvestres, especialmente os grandes herbívoros, tais como o cervo do Pantanal (Blastocerus dichotomus), o veado mateiro (Mazama americana), o veado campeiro (Ozotocerus bezoarticus) a ema (Rhea americana) e a anta (Tapirus terrestris).

As peculiaridades da região pantaneira, marcada por secas e cheias, dificultaram a ocupação e interferência antrópica. A prática da pecuária extensiva, favorecida pela riqueza de recursos naturais, vem sendo desenvolvida há séculos.

Para manter esta riqueza em biodiversidade, os produtores desenvolvem uma pecuária extensiva com um mínimo de interferência no ambiente, cujos índices zootécnicos ainda são relativamente baixos. Entretanto, nos últimos anos, vêm crescendo as pressões econômicas para aumento da produtividade, agravando ainda mais os efeitos da redução da capacidade produtiva das fazendas e a descapitalização do setor, acentuado devido à divisão constante das terras, por venda ou herança. Muitas fazendas estão sendo vendidas para fazendeiros e até mesmo para pessoas de outros ramos de atividade, que pouco conhecem a região, colocando em risco a conservação da biodiversidade do Pantanal.

Quando se diz que o homem pantaneiro vem conservando o Pantanal há cerca de 200 anos, não é simplesmente pelo fato dele apenas colocar os bovinos em grandes extensões de terra e deixa-los por conta dos campos naturais. Muitos pensam assim, isto é muito cômodo, mas não é verdade. O homem pantaneiro convivendo na região, aprendeu a respeitar os limites da natureza, fato este que pode ser observado através de pequenas atitudes de manejo, como no simples ato de construir uma cerca.

q

Muitos fazendeiros que vêm de outras regiões, chegam aqui e começam a implantar novas tecnologias, às vezes sem critérios. Porque os fazendeiros tradicionais não optaram por este tipo de cerca? Porque eles sempre usaram uma cerca de quatro fios? Esta atitude pôde ser vista tempos depois durante uma cheia extrema. Animais silvestres como o cervo tentaram passar por esta mesma cerca para fugir da inundação em busca de locais mais seguros e com alimentação, mas foram impedidos pela cerca. Resultado: morreram de fome.

Estes casos ocorrem geralmente em situações de cheias extremas, onde os animais silvestres tentam passar por este tipo de cerca para fugir da inundação ou quando são perseguidos. Na verdade, nas regiões onde transitam grandes herbívoros silvestres, as cercas deveriam ser ajustadas de modo que a altura do último fio até o solo fosse adequada para a movimentação desses animais.

Um cerca ecológica deve ser construída e ajustada, em função das características edafo-climáticas da região, do tamanho dos animais silvestres existentes e principalmente através do conhecimento das necessidades territoriais e do comportamento espacial e temporal dos animais silvestres. Bookhout (1994) descreve algumas especificações/recomendações para a construção/ajustes de cercas para facilitar a movimentação de ungulados.

Cabe descrever aqui um comentário feito por um antigo fazendeiro da região, o saudoso Sr. Laurindo de Barros: "O uso de cercas com cinco ou seis arames é totalmente desnecessária, cara e anti-ecológica, pois não permite o trânsito livre dos animais silvestres. Cercas com cinco fios de arame só são usadas por alguns fazendeiros nas divisas da propriedade. Bezerro ao pé da vaca não passa debaixo do arame deixando a invernada em que sua mãe está para ir para outra invernada, portanto, o uso de cerca de cinco ou seis arames só serve para encurralar os animais. E nós só usamos arame liso, pois o arame farpado risca o couro provocando bicheiras"

Diante desses fatos, além de verificarmos a importância das cercas ecológicas para a região pantaneira, também podemos constatar a importância de se valorizar e conservar a cultura e a origem do homem pantaneiro, que muito vem contribuindo para a conservação da biodiversidade do Pantanal.

 

Fontes: José Aníbal Comastri Filho (comastri@cpap.embrapa.br) e Sandra Aparecida Santos (sasantos@cpap.embrapa.br), são pesquisadores da Embrapa Pantanal.


Você vai gostar de ler também

Publicidade
Confira as principais Tags do ambiente Agropecuário Açai Acerola Agricultura Agroecologia Agroflorestais Agropecuária Agropecuárias Agrotóxicos Água Alimentação Alimentos Orgânicos Ambientais Ambiental Animais Animal Orgânico Área de Preservação Assentamento Atividades econômicas Autossuficiência Avaliação Benefícios Bibliografia Biodinâmica Biodiversidade Biologia do Solo Biológicas Biorremediação Braquiárias Brasil Café Camu-Camu CAR Características Caramujo Censo Agropecuário Cerca Ecológicas Certificação de Produtos Ciclo do Carbono Clima Cobertura do solo Como Fazer Comprimento da rampa Conceito Conservação Conservação Ambiental Consumo Contaminação Contaminação ambiental Controle Controle Ambiental Controle de praga Convencional Corte Crescimento Econômico Critérios Cultura Cupim Dano e efeitos ambientais DDT Declive Definição Dejetos Desertificação Dessalinização Desvantagens Dificuldades Dioxina Doenças Ecologia Educação Energia Alternativa Erosão Estratégico Estrutura Estrutura Fundiária EXemplos Exploração Extensão Extinção Fatores Feijão Fertilização Fertilizantes Físicas Fitoterápico Florestal Florestas Fontes Energéticas Frutas Nativas Gado de corte Grãos Hidropônico História Impactos Ambientais Indicadores Inseticidas Legislação Lodo Mandioca Manejo Manejo Sustentável Mata Atlântica Matéria Orgânica Medicina Meio Ambiente Migratória Monitoramento Mosca-dos-chifres Natural Nitrogênio Nutrientes Objetivos Ondas do mar Operacional Orgânico Pantanal Particulados Pastagem Pecuária Perda de solo Perigos Permacultura Pesquisa Científica Pimenta Planejamento Planta medicinal Planta Tóxicas Plantas Política Polpa congelada Práticas Conservacionistas Princípios Problemas ecológicos Procedimento Procedimentos Proibidos Produção Produtividade Produtos Programas Projetos Propriedade do solo Proteção Qualidade Nutricional Queimada Químicas Reciclagem Recuperação Ambiental Recursos Naturais Reflorestamento Regiões Requisitos Reserva Legal Rios Riscos à saúde Roraima Rural Saúde Selos Sistema Educativo Situação Soja Solos Suinocultura Tático Técnicas Tecnologia Tipos de Agricultura Topografia Tradicional Transporte Tratamento Tratamento de Efluentes Urbano Uso de terras Uso do Solo Usos Vantagens Velocidade Veneno Vento

Resolução míninina de 1024 x 768 © Copyright 2000-2017 Todos os direitos reservados. O conteudo deste Site é de propriedade do Ambiente Brasil S/S Ltda. Nenhuma parte poderá ser reproduzida sem permissão por escrito do Portal.